En cumplimiento de lo establecido en el RDL 13/2012, de 30 de marzo, Fourcats Media S.L. solicita su consentimiento para obtener datos anónimos de carácter estadístico sobre su navegación en nuestro sitio Web. Si Ud. continua navegando por el mismo entenderemos que acepta expresamente que instalemos cookies en su navegador, con las finalidades indicadas en nuestra Política de Privacidad.

Desenvolvimento do bebé: a fala como uma das primeiras reacções de comunicação

Desenvolvimento do bebé: a fala como uma das primeiras reacções de comunicação
comentarios0 comentarios
comparte

Não podem dizer nem uma só palavra mas já podem comunicar. Os bebés expressam-se desde o primeiro dia em que chegam ao mundo, reconhecem a voz da sua mãe, o tom, os gestos e respondem da única maneira que sabem: chorando. Ao fim de uns dias irão fazê-lo com a ajuda do seu corpo e das expressões faciais. Em pouco tempo saberá o que isso quer dizer.

Os bebés possuem a anatomia necessária para criarem sons, mas até que amadureçam e que possam manifestar palavras de forma coerente deverá passar mais ou menos um ano. Durante os primeiros meses apenas são capazes de emitir alguns sons e choros.

De 0 a 6 meses

Os recém-nascidos, antes do primeiro mês, são capazes de produzir diferentes tipos de grunhidos com os quais exteriorizam o seu humor. De acordo com alguns especialistas, estes sons representam a origem da linguagem. Os sons que um bebé realiza passam por várias etapas durante o seu primeiro ano de vida. Depois começam a descobrir as palavras. Aos três meses a capacidade de poder produzir sons encantará o bebé que não tardará a emitir as primeiras vogais abertas (aaaaaaaaa, oooooo).

A necessidade das crianças de balbuciarem durante os primeiros meses é inata, se bem que a linguagem falada se aprende pela imitação, pelo que embora acredite que a criança não a entende, falar com um recém-nascido é muito útil. Ao falar com o seu filho, quando ainda é muito pequeno, ele irá tentar emitir um som como imitação. A linguagem receptiva é anterior à linguagem expressiva, o que significa que necessita perceber antes de poder falar. Por volta dos 4 meses pronunciará as suas primeiras consoantes (g, p e b) e variará o tom dos sons.

De 6 a 9 meses

A partir dos 6 meses começam a formar o seu primeiro reportório de sons claros e distintos. O balbucio pode ser composto de sons monossilábicos e repetitivos (bababa, nanana) aos que irão incorporando novas sílabas (da, ga, ca, pa, etc.). Se bem que não existe nenhuma relação entre os sons produzidos e um objecto ou pessoas concretos. É nesta etapa quando começam a assimilar os sons específicos da sua linguagem nativa. Por volta dos 8 meses começa a aprendizagem das palavras.

De 9 a 12 meses

Embora continuem a balbuciar e a pronunciação esteja longe de ser boa, nesta idade pode esperar-se que digam as suas primeiras palavras. Já respondem ao seu nome e percebem perguntas simples. Balbuciam mais se querem alguma coisa e obedecem a ordens simples. Por volta do primeiro ano de idade já poderão ser capazes de utilizar uma média de três palavras com sentido.

De 12 a 18 meses

Cumprido um ano de vida as crianças já dizem cerca de três palavras, conhecem algumas partes do corpo e sabem o seu nome. Em pouco tempo são capazes de construir frases simples que apenas os seus pais entenderão e que lhes permitirá iniciar uma conversação básica. Aos 14 meses começam a etapa na qual repetem as palavras que ouvem. A partir deste momento deve prestar especial atenção à linguagem e às conversas que tem ao pé da criança, já que não hesitarão em repetir o que ouvem.

De 18 a 24 meses

Aos 18 meses contam com um vocabulário de umas 40 palavras, embora não empreguem todas correctamente e muitas serão de invenção própria. Também é provável que comecem a cantar nesta idade. A sua palavra favorita pode ser “não”. Compreendem praticamente duzentas palavras e depois de ouvi-las não tardarão em repeti-las. A partir desta idade já sabem como se chamam a maioria das coisas que fazem parte da sua vida quotidiana. Dessa forma começam a perceber o conceito do tempo (depois, hoje, amanhã) e podem construir frases inteligíveis de duas palavras (papá carro).

De 24 a 30 meses

Com 24 meses as crianças falam a maior parte do tempo e podem construir frases de 4 palavras. Começam a utilizar frequentemente adjectivos dentro das frases, descobrem os pronomes pessoais, bem como os verbos e a formação de plurais a partir do singular. A sua pronunciação irá melhorando e poderão comunicar melhor com outras crianças e adultos.

De 30 meses a 3 anos

Nesta etapa as crianças já percebem quase tudo o que lhes dizem. Por volta dos dois anos e meio gostam de interagir com os adultos. Formulam muitas perguntas e aprendem a expressão “porquê?”, que utilizam sem descanso. Falam sem parar sobre a sua vida, os seus brinquedos, os seus amigos e sobre as actividades que realizam. As suas frases já têm uma média de 5 palavras.

Atrasos e transtornos da linguagem

As crianças que não recebem suficientes estímulos correm o risco de aprenderem a falar mais tarde. Em qualquer caso não existe uma regra fixa que estabeleça uma idade concreta a que devem começar a dizer as suas primeiras palavras. Umas crianças fazem-no primeiro que outras, pois cada uma tem o seu ritmo de aprendizagem. Pelo que um atraso no início desta tão pouco tem que significar um problema, e o mais habitual é que quando começarem a fazê-lo recuperem o tempo perdido em poucos meses. No entanto, esteja alerta se:

- Durante os primeiros meses a criança é silenciosa e não balbucia.

- Por volta dos 18 meses apenas pronunciam sons vocálicos.

- Entre os 18 e os 24 meses não percebem ordens simples e não reagem quando se lhes faz uma pergunta.

- Mostram pouco interesse por comunicar.

- Aos 2 anos apenas repetem o que ouvem.

- Cumpridos os 4 anos pronunciam mal a maioria das consoantes.

Um atraso na aquisição da linguagem pode ter múltiplas causas e pode acompanhar-se de transtornos na conduta, por essa razão é importante que se faça um diagnóstico precoce. Existem outros factores que podem chegar a influenciar o desenvolvimento da linguagem da criança: como ser rapaz (as meninas começam a falar primeiro que os rapazes), um bebé prematuro ou com pouco peso ao nascer, etc.

Erros de prenunciação

Depois de soprarem a primeira vela as crianças já pronunciam os sons vocálicos, mas as consoantes ainda resistem. Com o tempo, se continuam sem aprendê-las, esta incapacidade poderá ter a ver com algum problema de audição. Se considera que o seu filho tem dificuldades em falar, não deixe de consultar um pediatra para perceber se realmente existe algum problema.

Conselhos para estimular o desenvolvimento linguístico

O bebé absorve tudo o que ouve desde o primeiro momento que reage positivamente quando se fala, se canta, se conta uma história ou se fazem perguntas. Com o tempo tentará contestar, primeiro com balbucios, depois com a linguagem corporal e mais tarde com palavras.

- Antes de iniciar uma conversa, chame a criança pelo nome. Irá concentrar-se e ouvir melhor.

- Utilize frases simples.

- As canções ajudarão a criança a prender os ritmos e algumas palavras simples.

- Quando a criança errar alguma palavra não a corrija directamente. Tente fazê-lo de uma forma indirecta para que não fique triste.

Depois de ler este texto, outras pessoas leram:

0 Comentarios

Anônimo
Entrar na sua conta ou registre-se para comentar este artigo.