› 
Gravidez de risco: o que fazer quando se está de repouso absoluto?

Gravidez de risco: o que fazer quando se está de repouso absoluto?

Gravidez de risco: o que fazer quando se está de repouso absoluto?
comentarios0 comentarios
comparte

Todos os seus planos e a sua alegria pela sua gravidez foram abalados perante as palavras do seu ginecologista: “Tem de fazer repouso absoluto durante toda a gravidez”. A partir desse momento a angústia de que aconteça algo ao bebé une-se ao aborrecimento e ao peso de estar fechada em casa sem se poder mexer dias e dias.

Por que estou de repouso?

Existem diversas complicações que podem obrigar uma grávida a fazer repouso durante um determinado tempo para evitar futuros problemas. Na maioria dos casos o repouso pode ser necessário nos primeiros meses (quando existe maior risco de um aborto) ou nos últimos (quando se pode produzir um parto prematuro). No entanto, também existem algumas mulheres que têm que passar os novos meses da gravidez praticamente na cama.

O repouso pode ser absoluto, em cujo caso a grávida não se pode mexer da cama a não ser que seja para ir à casa de banho; moderado, quando permite que a mulher se mexa da cama para o sofá e quando pode andar por casa, mas sem sair para a rua e sem realizar nenhum esforço; ou simplesmente levar uma vida tranquila, sem stress nem ocupações pesadas como fazer compras ou carregar crianças, mas pode sair de casa

Algumas das causas mais frequentes são:

- Doenças maternas: como cardiopatias ou problemas respiratórios que obrigam a limitar a actividade da mãe.

- Ameaça de aborto: se nas primeiras semanas de gravidez (mais ou menos até às 16) se produzem sintomas de aborto, como sangramento ou dores abdominais muito fortes, o médico irá prescrever repouso absoluto até que o sangramento pare, mas depois há que continuar com repouso moderado até à 23ª semana (dependendo da evolução da grávida).

- Problemas com a placenta: se houve um desprendimento prematuro ou placenta prévia podem-se ocasionar hemorragias que obrigam a um repouso absoluto até que desapareçam.

- Crescimento intra-uterino retardado: a maioria dos casos correspondem a um problema de insuficiência placentária (a placenta não nutre bem o feto) e como não existe tratamento farmacológico para evitá-lo, o mais recomendável para melhorar a nutrição do feto é fazer repouso. Neste caso, terá de permanecer assim até que chegue o momento do parto.

- Pré-eclâmpsia: é uma doença produzida por um aumento brusco da tensão arterial da mãe. Pode chegar a ser grave se deriva numa eclâmpsia e se requer hospitalização. Por isso, enquanto se detecta esta dolência há que fazer repouso absoluto, já que o único tratamento é o parto, pelo que terá que permanecer na cama até que a criança esteja pronta para poder nascer.

- Ameaça de parto: se aparecem contracções antes da data provável do parto o descanso é imprescindível para evitar os movimentos do útero. Entre outras razões, o repouso é benéfico porque favorece o relaxamento dos músculos e diminui a pressão do bebé sobre o colo uterino.

- Cerclagem uterina: algumas mulheres não mantêm o colo uterino fechado durante a gestação, o que provoca perdas de sangue e um aumento do risco de parto prematuro. Para evitá-lo, fecha-se o colo uterino com uns pontos cirúrgicos que se retiram antes do parto. Convém fazer repouso depois da intervenção e levar uma vida muito tranquila durante a gravidez.

- Gravidez múltipla: muitas mulheres grávidas de mais de um bebé precisam fazer repouso desde o 6º ou 7º mês, já que o peso que têm que suportar é maior e, desta forma, asseguram-se de que os bebés não nasçam prematuros para que o seu peso ao nascer seja o maior possível.

Não desanime …

Se o seu médico lhe diz que tem que estar de repouso durante bastante tempo, parece que o mundo lhe cai em cima. Todos os planos que tinha feito para a gravidez, a imagem que tinha do seu marido e de si a passearem a barriguinha e a alegria e a felicidade que sentia foi tudo por água abaixo. A preocupação e a angústia irão invadi-la, sobretudo se ainda nas primeiras semanas e se corre risco de perder o bebé.

No entanto, embora seja difícil deve valorizar a questão e estar o mais tranquila e relaxada possível. Pense que todas as suas emoções e pensamentos afectam o seu bebé e que o stress irá prejudicar ambos. Para além disso, quanto mais tranquila estiver menos tensão terá e mais relaxados estarão os seus músculos, pelo que também sentirá menos dores.

Deve mentalizar-se e apoiar-se na sua família e pensar que se seguir os conselhos do seu ginecologista e se a sua gravidez estiver controlada, nada de mal vai acontecer. Fale com o seu parceiro dos seus sentimentos e oiça-o também. O filho também é dele e o facto de ver que você está a passar mal e que não pode fazer nada também o vão deixar triste.

Compartilhe todas as suas dúvidas e medos com o seu ginecologista, ele é quem melhor a pode ajudar. E, por pressuposto, apoie-se nas experiências da sua mãe, da sua sogra, das amigas e outras familiares que já passaram pela mesma situação.

Inclusivamente pode procurar na Internet fóruns de grávidas, verá quantas mulheres estiveram e estão na sua situação e isso irá tranquilizá-la. As tristezas aliviam-se sempre que se partilham.

Como preparar a gravidez?

Uma vez que já se consciencializou da sua nova situação, tem que modificar os seus planos e a sua rotina e adaptá-la à cama ou ao sofá da sua sala. A primeira coisa que terá que organizar é a sua casa, já que não poderá colaborar nas tarefas do lar. Se o seu marido trabalha muito e não a pode ajudar, aproveite a ajuda que seguramente a sua mãe ou a sua sogra lhe vão oferecer. Deixe que a mimem, você merece. Dessa forma, quando os seus irmãos ou algum familiar se oferecerem para ir às compras deixe que o façam.

Uma vez solucionada a parte prática, irá perguntar-se como se poderá preparar para estes 9 meses e, sobretudo, para o parto. Assim dever arquivar na sua casa toda a informação que caia nas suas mãos: existem muitos livros (alguns com textos práticos e exercícios para fazer em casa), revistas e, por pressuposto, a Internet. Páginas e páginas sobre a gravidez, parto, preparação, sintomas, etc.

Para além disso, pode ter alguma amiga que já tenha passado pelo mesmo processo e que a possa ajudar a enfrentar esta fase. Também existem alguns centros que permitem que o marido vá sozinho às aulas de preparação para o parto para que depois transmita à mulher grávida aquilo que aprendeu. Antes de tudo pense que durante milhares de anos as mulheres deram à luz sem preparação prévia e sem ajuda médica.

Quero sair de casa!

Seguramente que ao inicio do seu repouso forçado pensa: “Bem, não estou assim tão mal, não terei que ir trabalhar, poderei acordar quando me apetecer, vou ler os vários livros para os quais nunca tenho tempo e ver todos os filmes que ainda não vi”. Mas é muito provável que depois de passar algumas semanas deitada na sua cama sem se mexer comece a desesperar e que as paredes do seu quarto pareçam cada vez mais pequenas. E se ainda pensa no tempo que tem de ficar assim, então cada dia irá parecer mais longo.

Tem de ter paciência, muita paciência. Tente procurar diversas actividades que pode fazer durante estes dias enquanto está na cama ou no sofá:

- Cozer. Se não o saber fazer este é o momento ideal para aprender, verá como se vai entreter ao mesmo tempo que faz roupinhas para o seu bebé e que poupa algum dinheiro.

- Navegar pela Internet. Pegue num portátil e navegue pelas várias opções da rede: procure informação, fale com os seus amigos e familiares, mande emails, ordene fotografias, leia notícias, etc.

- Receber visitas. Seguramente que os seus amigos e familiares vão tirar um bocado de vez em quando para irem visitá-la e entretê-la com noticias do mundo exterior.

- Leia livros, revistas … aproveite qualquer coisa esteja à mão.

- Veja televisão. Filmes, séries, concursos, telejornal.

- Videojogos. As novas consolas portáteis têm muitos jogos e actividades que podem entretê-la. Alguns, como os jogos de memória ou de palavras irão ajudá-la a reforçar a sua mente, bastante dispersa e despistada desde que está grávida.

- Escrever. Seja um diário ou qualquer outra coisa que lhe passe pela cabeça irão ajudá-la a manter-se activa.

Não faça todos os dias a mesma coisa, altere de actividade de vez em quando. Dessa forma, os dias serão um pouco diferentes e passarão mais rápido. Para além disso, se está de repouso absoluto e não se pode levantar da cama, procure alterar de posição frequentemente e mexa as suas pernas para evitar outros problemas.

Dentro do possível e da normal preocupação tente desfrutar ao máximo deste tempo e pense que cada dia que passa é um dia a menos para ver a carinha do seu bebé e para tê-lo nos seus braços.

Questões legais

Uma vez que o seu ginecologista lhe prescreveu repouso absoluto, o seu contrato laboral se suspende de maneira temporal. A partir deste momento tem direito a uma prestação económica por uma gravidez de risco. Informe-se bem sobre os seus direitos e deveres se tiver de permanecer nesta situação.

Depois de ler este texto, outras pessoas leram:

  • Image

    Musicoterapia pré-natal na água

    Há cerca de dezoito anos que se estuda e comprova que a massagem musical subaquática traz numerosas vantagens para a saúde. Agora as futuras mães também podem desfrutar... (gravidez de risco)

  • secciones salud embarazo Estos cursos son de vital importancia para la salud física y psicológica de los padres, según todos los expertos.

    Aulas de educação materna

    De acordo com vários especialista estes cursos são vitais para a saúde física e psicológica dos pais. Por isso, é estranho que existam mulheres que podem mas... (repouso absoluto na gravidez)

  • Vacaciones sin estrés

    Férias sem stress

    Está prestes a ir de férias? Antes de iniciar a viagem para o tão esperado descanso tem de preparar tudo o que é preciso: as compras, as malas, adiantar o trabalho, os assuntos... (repouso absoluto)

0 Comentarios

Anônimo
Entrar na sua conta ou registre-se para comentar este artigo.