Como desenvolver o sistema imunitário das crianças

Como desenvolver o sistema imunitário das crianças
Partillhar

Nos últimos anos aumentou o número de bebés com certas doenças próprias dos lactentes: alergias respiratórias, dermatites atópicas e infecções intestinais. Vários estudos descobriram a solução para fazer frente a este aumento, ou seja, reforçar o sistema imunitário das crianças através de dois tipos de ingredientes: os pré-bióticos e os pró-bióticos.

O sistema imunitário dos bebés

A nutrição nas primeiras etapas da vida de uma pessoa é essencial para um crescimento e um desenvolvimento saudáveis. A sua alimentação afetará à posterior a capacidade do sistema imunitário na protecção de infecções, no desenvolvimento da tolerância a antígenos próprios e estranhos e no desenvolvimento de transtornos imunitários.

O leite materno é a melhor escolha, de acordo com recomendações de pediatras e especialistas em nutrição infantil, já que proporciona todos os nutrientes necessários para a saúde e defesas do lactente. Contém fibras naturais solúveis com efeito pré-biótico, que favorecem uma digestão saudável e reforçam as defesas do bebé. No entanto, nos casos em que a amamentação materna não é possível torna-se insuficiente, o bebé tem de ser alimentado com leite adaptado e é recomendável que este ofereça propriedades o mais próximas possíveis às do leite materno.

As primeiras amizades das crianças!

As primeiras amizades das crianças!

Actualmente, com a iniciação escolar cada vez mais cedo das crianças, acelera-se o processo de socialização. Entendendo este conceito como o desenvolvimento da autonomia pessoal e da aprendizagem de compartilhar com os outros, surgem as primeiras amizades do seu filho. As crianças, ao chegarem ao Jardim de Infância ou à escola, aprendem a partilhar um espaço (a sala de aula, o recreio, o refeitório, etc.), os objectos e os professores. Dessa forma, até aos dois anos a maioria das crianças já começaram a ter os seus primeiros amigos e os seus primeiros amores de infância.

Por outro lado, demonstrou-se que actualmente cerca de 25% das crianças sofrem de algum tipo de alergia antes dos 5 anos e a maioria delas devem-se a um sistema imunitário pouco desenvolvido. Partindo desta realidade verificou-se a necessidade de realizar investigações que trouxessem soluções para a prevenção das doenças dos lactentes: a dermatite atópica, as alergias respiratórias e as infecções intestinais. Como resultado surgiram uma série de estudos que demonstram a eficácia de uma mistura exclusiva de pré-bióticos e pró-bioticos, capazes de reduzir a incidência e o risco de padecer destas doenças infantis.

O que são os pré-bióticos e s pró-bioticos?

Os pró-bioticos são microrganismos vivos que ajudam a restituir a flora intestinal que pode ter sido alterada por alguma razão. Os pré-bióticos, por sua vez, são ingredientes naturais, presentes também no leite materno que estimulam o crescimento no colon das bactérias benéficas. Ao contrário das bactérias vivas dos pró-bioticos, os pré-bióticos servem de substracto às bactérias do individuo.

Quais são os efeitos benéficos?

Os pré-bióticos são fibras presentes naturalmente no leite materno que estimulam o crescimento e a actividade das bactérias benéficas (bifidobactérias e lactobacilos). Encontram-se de forma natural no intestino do bebé e aportam uma série de benefícios para a saúde do lactente. O seu efeito global é conseguir uma flora intestinal saudável e protectora ao longo de todo o intestino, similar à dos bebés alimentados com leite materno. Para além disso, uma criança alimentada com leites enriquecidos com pré-bióticos consegue um trânsito intestinal mais saudável e as suas defesas naturais ficam reforçadas. Graças a estes ingredientes naturais, a digestão e absorção de todos os nutrientes do leite é mais fácil e suave, trazendo um bem-estar imediato ao lactente.

Entre as vantagens de uma flora bifidobacteriana encontram-se o reforço do sistema imunitário, o desenvolvimento de uma microflora intestinal saudável, o sustento da barreira intestinal, a protecção em relação aos microrganismo patógenos e a redução do risco de padecer de dermatite atópica, assim como diarreias e infecções respiratórias. Tanto os pré-bióticos como os pró-bioticos têm um papel muito importante como anticancerígenos.

Dentro dos pró-bioticos mais importante ese4ncontram-se os lactobacilos e as bifidobacterias (o bífidos). Os lactentes alimentados com leites infantis têm uma flora intestinal com menos quantidade de bifidobacterias. Não obstante, quando se começa a introduzir outros alimentos distintos do leite, a flora intestinal assemelha-se à dos adultos, tanto nos bebés alimentados com leite materno como nos alimentados com leites infantis.

Outra via alternativa aos pré-bióticos para conseguir benefícios similares seria a administração de leites ou papas de cereais suplementados com pró-bioticos, embora estes apenas sejam permitidos em alimentos de continuação (a partir do 4º-6º mês), devido à imaturidade do lactente até essa idade. Ao reforçar o seu sistema imunitário, a criança terá mais defesas para combater as infecções e doenças contagiosas que estão presentes nos pequenos e que se transmitem facilmente pelo contacto com outras crianças na escola ou no infantário.


 

0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×