A chegada do bebé a casa e os primeiros cuidados fora do hospital

A chegada do bebé a casa e os primeiros cuidados fora do hospital
Partillhar

A chegada do recém-nascido a casa pode gerar nos pais, especialmente nos estreantes, um certo sentimento de insegurança perante a responsabilidade de terem de cuidar de um bebé. Desta forma, damos-lhe alguns conselhos de normas básicas a ter em conta durante os primeiros dias do bebé na sua nova casa: como dar peito, dar banho, cuidar do umbigo …


 

A chegada do recém-nascido a casa pode gerar nos pais, especialmente nos estreantes, um certo sentimento de insegurança perante a responsabilidade de terem de cuidar de um bebé. Desta forma, damos-lhe alguns conselhos de normas básicas a ter em conta durante os primeiros dias do bebé na sua nova casa: como dar peito, dar banho, cuidar do umbigo …

Na primeira etapa da vida da criança o pediatra tem um papel fundamental, não só no que diz respeito ao reconhecimento do recém-nascido mas também nas indicações que este deve dar aos pais. Para além disso o pediatra também deve incentivar os pais a lerem e a informarem-se sobre o desenvolvimento do bebé, a sua nutrição, as doenças próprias da infância, as diferentes etapas do desenvolvimento neurológico e de amadurecimento, a relação com outras crianças ou como enfrenta as possíveis dificuldades que aconteçam no crescimento do bebé para que, dessa forma, acabem por enfrentá-las juntos, a supervisão do correcto desenvolvimento da criança.

No te puedes perder ...

As primeiras brincadeiras do meu filho!

As primeiras brincadeiras do meu filho!

O seu filho já nasceu e está bem perto de si. No entanto, embora os primeiros meses sejam de muito cansaço, apenas irá querer cuidar dele e brincar com ele, já que a importância destes primeiros estímulos é enorme. Mas... como é que se pode brincar com um bebé?

Estas são algumas normas básicas para os primeiros dias até que os pais possam realizar a primeira consulta ao pediatra e começarem assim as visitas periódicas estabelecidas no controlo da criança saudável. Estas normas são apenas orientarias e, por pressuposto, não substituem as indicações do pediatra, quem temos de consultar sempre que exista a mais pequena dúvida.

A amamentação materna, a mais recomendada.

Ao sair do hospital a nova mamã já tem um certo treino na técnica da amamentação materna graças aos médicos, enfermeiras e auxiliares do serviço hospitalar onde deu á luz. Para além disso, já sente a produção de leite ou, pelo menos, o colostro (o primeiro leite). Ainda assim, a importância de realizar uma correcta alimentação da criança justifica o facto de mais uma vez querermos explicar essa técnica.

Em primeiro lugar deve pegar o bebé pelas costas, situando-a paralela á da mãe. Esta tem de estar sentada com as costas rectas e apoiadas numa cadeira. Sobretudo é fundamental que esteja comoda, sem tensões musculares que possam causar contraturas. Existem ainda outras posições, como estar deitada na cama, que possam servir sempre e quando cumpram os requisitos básicos de comodidade para a mãe e para o bebé.

Uma vez cómodos e instalados, a criança tem de ver com os seus olhos o peito da mãe e, ao pegar no mamilo, espremer a auréola com a boca para estimular a produção de leite. Nesta posição o nariz da criança fica encostado ao peito da mãe e, dessa forma, a mãe deve separar o peito com o dedo indicador e médio da mão contrária ao peito do que está a mamar para que a criança, enquanto engole, respire pelo nariz.

A duração correcta da toma é aproximadamente de 10 minutos em cada peito, embora se possa alargar por mais 2 a 4 minutos se estiver a ser muito produtiva. No caso de prolongar a toma, recomenda-se que seja a do segundo peito.

Nas primeiras vezes, mesmo que ainda esteja no hospital, até que o leite suba é recomendável utilizar uma bomba antes de colocar a criança a mamar, isto para ajudar a que os peitos encham e assim deixem sair o primeiro colostro. No entanto, até que o leite suba não pode deixar o bebé sem comer. Desta forma deve dar-lhe 20 cc de leite de fórmula, duas ou três vezes por dia, repartidos pela manhã, ao meio-dia e à noite. No momento em que a mãe tenha leite e salvo outra recomendação do médico deve colocar a criança apenas a mamar no peito, sem dar-lhe água nem nenhuma outra bebida.

Uma vez terminada a toma, devemos colocar a criança no ombro para que deite o ar fora, se não arrotar em 20 minutos parte-se do princípio que expulsou o ar por baixo.

Frequência das tomas: Sempre que a criança peça há que dar-lhe peito. No máximo a cada 3 horas e no mínimo a cada hora ou hora e meia. Nos primeiros dias também deve mamar no máximo de 3 em e horas até que o pediatra indique.

Sinais que indicam a correcta alimentação da criança com a amamentação materna

O principal objectivo é o peso. Durante os primeiros 7 ou 10 dias a criança não pode perder até 10% do peso do nascimento, já depois deste período deve ganhar, no mínimo, 150 gramas por semana. Para comprovar se está dentro destes parâmetros, o controlo do peso deve ser feito sempre à mesma hora e com a mesma roupa, em farmácias e uma vez por semana. Se o aumento for inferior a 150 gramas deve consultar o pediatra. Existem ainda outros sinais que nos indicam que a amamentação está a alimentar correctamente o bebé. Estes são:

- O facto de a mãe ter leite em excesso, manchar a camisola e notarem-se os peitos cheios antes de cada toma. Também é bom sinal quando a criança começa a succionar se veja leite e enquanto está a mamar por um peito escape leite pelo outro.

- A criança está tranquila e saciada depois de mamar, aguentando entre 2 a 3 horas até à seguinte toma. Se a criança chorar muito e pedir peito a cada 20-30 minutos, deve consultar rapidamente o pediatra.

- Quando o bebé toma peito, as deposições, que deve realizar aproximadamente depois de cada toma, são líquidas de cor amarela e com grumos que se destacam. Devem encher um pouco a fralda e ter um minino de consistência.

- No que diz respeito ao xixi, este deve ser claro e pesar nas fraldas.

A posição na cama

A criança deve estar na cama de lado ou de barriga para cima, nunca de barriga para baixo para evitar que ao vomitar não se engasgue. Deve ainda colocar-se uma almofada debaixo do colchão num plano inclinado de 20-25 graus. Esta é a posição que a criança deve manter em todos os sítios que está deitada: na cama, na alcofa, entre outros, nos primeiros 6 meses de vida.

Temperatura do bebé

A temperatura ideal para o ambiente da criança está entre os 20 e os 22 graus centígrados, isto com alguma humidade que podemos conseguir colocando um recipiente de água no seu quarto. Para além disto, não deve abrigar o bebé em excesso, cerca de 20% mais que os adultos é o suficiente.

Lembre-se que as mãos e os pés dos bebés estão sempre frios, pelo que ao tirar-lhes a temperatura deve fazê-lo na cara da criança.

O banho e o cuidado do umbigo

Embora o umbigo ainda não tenha caído a criança tem de tomar banho todos os dias, com um pouco de água e segurando com a mão esquerda o seu ombro esquerdo, apoiando a cabeça da criança sobre o antebraço esquerdo da mãe. Com a mão direita ensaboa todo o corpo – não existe melhor antisséptico que a água e o sabão – com especial cuidado ao passar pela zona do umbigo.

A temperatura ideal da água é de 36-37 graus.

Depois do banho colocamos a criança no trocador para secá-la e aplicar-lhe creme hidratante por todo o corpo. O umbigo deve ser limpo com um pouco de álcool de 70 graus e de seguida coloca-se uma gaze seca. Se vir que a gaze está suja, deve trocá-la por uma limpa.

É importante recordar que o umbigo apenas deve molhar-se uma vez por dia, com água e sabão durante o banho e que, dessa forma, o álcool só é aplicado depois do banho. O resto do dia o umbigo deve permanecer seco. Depois do umbigo cair, deve continuar a limpar a ferida com álcool de 70 graus até que esteja totalmente sarado.

As unhas

É importante em todas as etapas da infância que a criança tenha as unhas curtas e limpas, estas são veículo de auto inoculação e transmissão de germes.

Ao chegar a casa do hospital deve cortar as unhas do bebé com uma tesoura própria e apenas depois do banho. É fundamental para evitar que se arranhe ou inclusive que se lesione nos olhos.

O que é normal no bebé?

- Que tenha soluções, a única coisa que pode fazer é deixar a criança deitada de barriga para cima e esperar que passe.

- Que tussa um pouco.

- Que tenha rinite ou algumas mucosidades.

- Que vomite um pouco depois de comer.

O que não é normal no bebé?

Consultar o pediatra o mais rápido possível se …

- Não sorri de vez em quando.

- Não come ou come mal em várias tomas: 2 ou 3 tomas.

- Não segura com força o biberão, a chucha ou o mamilo da mãe. O normal durante os primeiros dias é que lhe doa o mamilo quando o bebé o agarra.

- Não segura um pouco a cabeça e não faz força com ela como se a quisesse levantar ao estar de barriga para baixo ou ao tê-la no ombro para arrotar.

- Não se assusta com os ruídos.

- Se a criança apresenta um forte odor a urina. Isto pode ser sintoma de uma doença metabólica de má assimilação dos alimentos.



Fecha de actualización: 13-01-2006

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>