×
  • Buscar
Publicidad

O seu bebé com 2 anos

O seu bebé com 2 anos

Para muitos a partir desta idade começam os “terríveis 2 anos”: o seu filho torna-se muito curioso, não pára de perguntar “porquê?”, as suas birras são cada vez mais frequentes … É uma época difícil, tanto para ele como para os pais, e deve começar a impor-lhe limites claros.

Publicidade

Construindo a linguagem

Aos 24 meses de idade é possível que o seu bebé tenha conversas de duas e três frases consigo e provavelmente poderá compreender o que está a dizer, pelo menos metade. Para além disso, nesta idade as crianças começam a reagir quando as frases estão mal construídas; acredita-se que esta capacidade acaba de se desenvolver aos 32 meses.

À medida que a sua consciência de ser uma pessoa independente cresce, o seu filho falará sobre ele mesmo, do que está a fazer, do que gosta e do que não gosta.

Inventar o mundo

O seu principal brinquedo é a sua imaginação. Com ela inventa grandes aventuras que coloca em prática com os seus bonecos. Lança-se a imitar o mundo dos adultos, o que aprende a cada dia, o que descobre em casa ou na rua.

 O uso da imaginação e o desenvolvimento de brincadeiras com ela, ajudarão a compreender os comportamentos sociais, a diferenciar o bom do mau, a perceber a forma de actuar dos adultos, etc.

O jogo simbólico torna-se vital para que a criança coloque em ordem os seus pensamentos e que se desenvolva como pessoas individual. Para além disso, ajuda o seu filho a desenvolver a sua capacidade linguística e comunicativa, no amadurecimento psíquico, físico e emocional e a expressar com palavras os sentimentos e emoções.

No te puedes perder ...

O meu bebé com 8 meses

O meu bebé com 8 meses

À medida que o seu bebé se aproxima do primeiro ano de idade, passa cada vez mais tempo acordado e cada vez gosta mais de brincar com os pais. Já diz adeus com a mão, gatinha sozinho e compreende melhor o que dizem. Desfrute de todo o tempo que possa com o seu filho e incentive-o no seu desenvolvimento, tanto mental como social.

Y tambien:

Porquê?

As crianças perguntam continuamente “porquê?” por muitas razões. Algumas vezes querem uma explicação; noutras ocasiões não conhecem outras palavras para expressarem a sua curiosidade sobre algo. No entanto, outras vezes dá-lhes satisfação saber que encontraram uma pergunta que requer uma longa resposta.

Embora a maioria das vezes acabe por se fartar de responder às suas perguntas, deve ter paciência e tomar sempre atenção. Pode tentar responder às suas perguntas com outra: “Porque que pensas que algo te escapou?”. Desta forma pode acabar por obter a explicação que realmente estava a procurar.

Jogos estimulantes

- Os espaços semi-fechados têm um magnetismo especial para as crianças; por exemplo, adoram meter-se debaixo da cama. Pode improvisar um jogo com o seu filho criando um espaço debaixo da mesa como se fosse um barco. Tudo o que está fora desse espaço pode ser um mar cheio de tubarões, etc.

- Encha umas quantas caixinhas de cores com diferentes brinquedos para que o seu filho procure as surpresas que lá estão dentro. Pode dizer-lhe “A bola está na caixa vermelha e o carrinho na amarela”. Dessa forma, o seu filho acabará por praticar as cores.

- Conte-lhe uma história antes de ir dormir, irá relaxar a criança ao mesmo tempo que fomenta a sua imaginação.

- Os puzzles criados para crianças desta idade melhoram a consciência espacial do seu filho e desenvolvem a capacidade de reconhecer e diferenciar formas e encaixá-las entre si. É uma boa prática para quando tiver de aprender a ler.


Fecha de actualización: 28-05-2009

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.