Os primeiros brinquedos do meu filho (0-3 anos)

Os primeiros brinquedos do meu filho (0-3 anos)
Partillhar
Desde o nascimento que é necessário dar aos brinquedos o valor que ">

Desde o nascimento que é necessário dar aos brinquedos o valor que eles merecem: a criança deve aprender a brincar porque, dessa forma, aprende a respeitar o seu corpo, quem está perto e quem está longe. Através dos momentos de diversão, os brinquedos facilitam o desenvolvimento das habilidades e das capacidades do bebé. A criança que brinca torna-se mais confiante e espontânea, porque a brincadeira traz um ambiente de confiança e de espontaneidade.

Todos meninos, meninas e adultos necessitam de brincar, embora os brinquedos mudem no decorrer da vida. Com eles adquirimos certas destrezas e habilidades e podemos aprender o valor das regras, indispensáveis para se viver em harmonia.

Durante o primeiro ano de vida da criança a percepção sensorial, a manipulação, a coordenação de movimentos e os primeiros contactos com as pessoas são os principais âmbitos de aprendizagem, estimulação e brincadeiras. Os brinquedos da primeira infância são muito variados e podem ser um excelente aliado para dar a conhecer ao bebé, de uma forma placentária e segura, o mundo que o rodeia.

A partir do primeiro ano de vida, os bebés passam a ser crianças e, para esta transformação, têm de superar importantes alterações e aprendizagens em todas as facetas do seu desenvolvimento: linguagem, raciocínio, afectividade, socialização e coordenação de movimentos. Durante os primeiros três anos de vida, o desenvolvimento cerebral e a capacidade de aprendizagem são muito maiores que noutras etapas. É fundamental, dessa forma, que para além de proporcionarmos vários momentos de brincadeira às crianças dediquemos muito tempo a interagir com elas através de distintos tipos de brincadeiras.

As primeiras brincadeiras do meu filho!

As primeiras brincadeiras do meu filho!

O seu filho já nasceu e está bem perto de si. No entanto, embora os primeiros meses sejam de muito cansaço, apenas irá querer cuidar dele e brincar com ele, já que a importância destes primeiros estímulos é enorme. Mas... como é que se pode brincar com um bebé?

NORMATIVA

Existe uma legislação de segurança de obrigatório cumprimento desde 1990 para todos os brinquedos comercializados na União Europeia. Nela se estabelecem uma série de requisitos cujo objectivo é evitar os riscos para as crianças a que são destinados, considerando a sua utilização normal e previsível.

Antes de serem comercializados todos os brinquedos deverão ser identificados com a marca CE, mediante a qual o fabricante ou importador garante que determinado produto cumpre a normativa de segurança. Não obstante, estas normas, por mais estritas que sejam, não podem garantir que se efectue um bom uso do brinquedo. Isto está a cargo dos pais e educadores.

ACIDENTES

De acordo com dados de acidentes no Reino Unido os brinquedos flexíveis, como os ursinhos de peluche, causam mais de mil e quinhentos acidentes por ano, sendo o principal risco a existência de partes pequenas, como os olhos, botões ou fragmentos, que se desprendem do brinquedo.

Outros brinquedos, como os apitos, os brinquedos para apertar, para morder, etc., traduzem-se em vários acidentes devido às extremidades serem demasiado largas e estreitas. Se a criança os coloca na boca, pode chegar até à sua garganta, bloqueando a entrada de ar.

Os acidentes devem-se, com frequência, ao facto de se dar um brinquedo que não está destinado à criança ou por ser utilizado de uma forma diferente da destinada. Desta forma, é conveniente prestar muita atenção na hora de se escolher um brinquedo ou jogo: deve-se ter em conta o desenvolvimento mental e físico da criança que o vai utilizar.

NO LABORATÓRIO

Dentro desta categoria de brinquedos de primeira infância podemos incluir: guizos, mordedores, peluches, bonecos de pano, tapetes de actividades musicais, bonecos de látex, ginásios para bebés, etc.

Estes brinquedos devem cumprir uma série de exigências essenciais de segurança e de cumprimento com a normativa de segurança química dos materiais. Não deve esquecer que quando um brinquedo funciona a pilhas ou a bateria deverá cumprir requisitos do tipo eléctrico.

Requisitos mecânicos e físicos

Estes requisitos vêm reflectidos na norma EN 71-Parte 1. Para além das generalidades exigidas a todo o tipo de brinquedos, como o facto de não conterem extremidades cortantes, pontiagudas, exige-se que os brinquedos de primeira infância:

- Não contenham peças pequenas desmontáveis ou não desmontáveis, já que podem apresentar um perigo de asfixia para as crianças pequenas.

- Superem os ensaios de torcer, tensão, cair, impacto, pressão, sem gerar peças pequenas nem partes perigosas acessíveis.

- Os brinquedos de madeira com partes ligadas entre si e os brinquedos que contenham adesivos plásticos não devem despegar-se depois de um teste com água.

- As cordas que estejam incluídas nestes jogos têm de ter uma espessura mínima de 1,5 milímetros e para as cordas que tenham uma fixação nas extremidades exige-se que não ultrapassem a longitude de 220 mm.

- Os brinquedos manifestamente destinados a crianças, que, todavia, não podem manter-se sentadas sem ajuda, e fabricados com matérias rígidas, têm de ter uma forma e tamanho que não produzam danos a uma criança que possa cair em cima deles ou que exista uma parte saliente que seja possível a criança introduzir na boca.

- Os brinquedos que emitam um som intencionado, como brinquedos musicais, guizos, telefones, devem respeitar uns limites de nível de pressão sonora, com a finalidade de evitar danos permanentes de audição nas crianças pequenas.

Inflamáveis

Nos brinquedos de primeira infância esta norma é exigida especialmente em peluches e, em geral, em brinquedos flexíveis com textura têxtil.

Compostos orgânicos

Na parte 9 da norma EN 71 especificam-se os requisitos para a migração ou para o conteúdo de certos compostos químicos orgânicos perigosos nas matérias de certos brinquedos. As rotas de exposição consideradas são: o contacto com a boca, a ingestão, o contacto com a pele, o contacto com os olhos e a inalação. Os compostos orgânicos considerados são certos dissolventes, conservantes, plastificantes, retardantes de chama, ajudas de processo e agentes colorantes.

Todas estas provas realizam-se no laboratório do AIJU: é um Organismo Autorizado na EU para realizar o estudo de segurança dos brinquedos de acordo com a normativa vigente e com a experiência neste tipo de análises e ensaios. O AIJU participa nos Comités de Normalização Nacionais e Europeus no campo da segurança dos brinquedos, com a finalidade de colaborar activamente nas futuras alterações e novos projectos de normas.

ALGUNS CONSELHOS PARA ESCOLHER JOGOS

- Observar e respeitar sempre as etiquetas e as possíveis indicações relacionadas com a segurança do brinquedo.

- Deve escolher sempre os brinquedos que divirtam, distraiam e alegrem os seus destinatários.

- Deve escolher em função da idade, das necessidades e dos interesses de cada pessoa.

- Não compre brinquedos diferentes a meninos e meninas por motivos de sexo. Ambos têm necessidades idênticas e o mesmo direito de desfrutar de todo o tipo de brinquedos.

- Há que evitar brinquedos que transmitam valores não desejados, como o sexismo, a violência e o racismo.

- Escolha sempre jogos que permitam a criança ser a protagonista do jogo.

- Não se deixe levar pela publicidade. Os meninos e as meninas devem aprender que a publicidade, diversão e qualidade não têm que estar associadas.

- Os brinquedos devem ser suficientes mas não excessivos. Ter demasiados brinquedos provoca atitudes de menosprezo e falta de interesse.

- É importante repartir as prendas de brinquedos durante o ano, assim faz com que as crianças mantenham o interesse e a ilusão por eles.

- Evite as compras precipitadas. Antes de decidir é importante pensar qual será a prenda mais adequada para cada caso. Decidir sem uma reflexão prévia aumenta, consideravelmente, a probabilidade de equivoque.

- Qualidade não significa preços altos, mas há que desconfiar de produtos com preços escandalosamente baratos.

- Cuidado com os estabelecimentos. Assegure-se de que compra em lojas responsáveis, que a podem informar e atender a possíveis reclamações.

Uma boa escolha de um brinquedo é uma boa inversão. Procure fazê-la e contribuirá para o desenvolvimento integral dos seus filhos.

 


1 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
  1. Anônimo

    "obrigado".

    Responder
    ×


    ×
    ×
    ×