×
  • Buscar
Publicidad

Posso tomar a pílula do dia seguinte enquanto estou a amamentar?

Posso tomar a pílula do dia seguinte enquanto estou a amamentar?

A latancia materna é a ingesta do leite procedente do seio materno. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), "a latancia é uma forma inigualável de facilitar o alimento ideal para o crescimento e o bom desenvolvimento das crianças". Segundo esse organismo e UNICEF falam que é imprescindível durante os primeiros seis meses de maneira exclusiva.

Publicidade

No te puedes perder ...

A vida sexual de um casal depois do parto

A vida sexual de um casal depois do parto

São oito horas, mas a si parece-lhe meia-noite. Depois de deitar o seu bebé a única coisa que lhe apetece é atirar-se para cama … para dormir! Cuidar de um recém-nascido – ainda mais se tiver um irmão – é um duro e esgotante trabalho que inevitavelmente passará para um segundo plano o resto das coisas. Surge então a pergunta: Influenciará a chegada do bebé a nossa vida sexual? A pergunta tem uma resposta difícil, já que entram em jogo diversos factores.

Y tambien:

Índice

A pílula do dia seguinte e a latancia

Uma das circunstâncias que devemos ter em consideração com qualquer medicamento é, por exemplo, a ingesta da pílula do dia seguinte mas ainda estamos a amamentar.

Muitas mulheres duvidam com o que fazer quando essa pílula tem efeitos secundários.

Para começar, devemos saber que a pílula do dia seguinte (pílula Postday) faz referência aos anticonceptivos orais de emergência femininos que tentam evitar gestações não desejadas desde as primeiras horas até os três dias (ao redor das 72 horas depois das relações sexuais sem proteção ou quando preservativo furou). Não obstante, quando antes tomes a pílula maior eficácia tem. Depois dessas 72 horas, os efeitos da pílula não têm nenhuma eficácia.

Também devemos ter em consideração que, embora podamos tomar a pílula do dia seguinte enquanto estamos a amamentar, o primeiro que devemos fazer é saber a informação sobre esse anticonceptivo para usar de maneira adequada e não prejudicar a saúde do nosso bebé.

A pílula do dia seguinte tem as seguintes funções:

- evitar a ovulação: esse método consegue atrasar o processo para que o espermatozóide não fecunda o óvulo.

- expulsa o óvulo fecundado: quando o óvulo já tem sido fecundado pelo espermatozóide, a pílula do dia seguinte provoca que esse óvulo fecundado não fique nas paredes do útero.

De fato, algumas mulheres têm o risco de ficar grávidas novamente durante o período de latancia materna. Isso sempre é mais difícil mas devemos ser conscientes que não é impossível porque as probabilidades de ficar grávida durante o período de latancia são bem maiores e se multiplicam.

Ante esse risco, o primeiro que devemos saber é que cada pílula tem umas características diferentes assim como riscos diferentes. As pílulas para depois do coito feitas com levonorgestrel estão entre os métodos anticonceptivos de primeira eleição durante a amamentação, pois não alteram a quantidade nem a composição do leite. Esse tipo de anticonceptivos não tem efeitos secundários, não afeta ao crescimento do lactante nem sua duração.

O levonorgestrel é recomendado apenas para evitar a gravidez depois de uma relação sexual sem proteção, mas não é aconselhado o uso de maneira regular porque pertence a uma classe de fármacos conhecidos com o nome de progestinas que agem evitando a liberação do óvulo.

Efeitos adversos da pílula do dia seguinte

A pílula do dia seguinte sempre tem efeitos secundários quando estamos a amamentar ou tomando outra medicação.

Os feitos podem ser:

- Náuseas

- Vômito

- Diarréia

- Cansaço

- Dor de cabeça e tontura

- Aumento o diminuição do sangrado menstrual

Ante qualquer dúvida o melhor é acudir ao médico para ele nos orientar.

Quando a latancia materna é um anticonceptivo?

Durante os seis primeiros meses depois de ter tido um bebé, é muito difícil que a mulher libere um óvulo. Para usar a latancia como método anticonceptivo deves fazer três condições:

- que a amamentação seja exclusiva ou quase exclusiva (o suplemento não deve substituir nenhuma toma).

- estar em amenorréia, que não tenhas tido o primeiro sangrado depois do pato (é considerado qualquer sangrado que tenha a mulher 10 ou mais dias separados do sangrado puerperal e seja um dia de sangrado normal ou três consecutivos)

- teu bebé não deve ter mais de seis meses.

Se tens essas condições, o índice de fracasso é do 0'5%. Se é teu caso, não deves utilizar a pílula do dia seguinte.

Porém, se a menstruação volta ou se o bebé se alimenta com algum suplemento que substitui alguma toma é necessário que escolhas outro método anticonceptivo para evitar a gravidez.

A latancia pode fazer que apresentes uma amenorréia e uma infertilidade que demore desde os dois meses até os dois anos ou mais. As bases fisiológicas da infertilidade associadas a latancia são:

- inibição da ovulação e da amenorréia: que o bebé chupe com frequência o mamilo da mãe faz um efeito inibitório na função do hipotálamo e a hipófise. Dessa forma se produz uma alteração de uma hormona que é a encarregada da ovulação. Nessa situação a mulher não tem a menstruação (amenorréia depois do parto).

- alteração dos primeiros ciclos menstruais: é muito estranho que se produza uma gravidez durante a amenorréia de latancia nos primeiros meses do parto, ainda quando a mulher ovula antes da primeira mestruação. Isso acontece porque o ciclo menstrual está alterado.


Guía de lactancia materna, Asociación Española de Pediatría. http://www.aeped.es/sites/default/files/7-guia_baleares_esp.pdf

www.e-lactancia.org

Instituto Chileno de Medicina Reproductiva, http://icmer.org/wp_ae/mela-metodo-de-la-amenorrea-de-la-lactancia/

Fecha de actualización: 15-10-2020

Redacción: Ana Ruiz

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.