• Buscar
Publicidad

Porque é que os recém-nascidos sorriem ao dormir?

Porque é que os recém-nascidos sorriem ao dormir?

É mágico observar o nosso bebé dormindo placidamente, ainda mais quando sorriem durante o sono. Para os pais, ver o nosso filho sorrir durante o sono é uma indicação clara de que está feliz e que estamos a fazer as coisas bem.

Publicidade

Índice

 

O riso enquanto o bebé está a dormir

Para os novos pais, as primeiras semanas de vida são um verdadeiro estresse: adaptar-se ao bebé, tomar conta dele, dar-lhe banho, dar-lhe de comer, dormir muito menos, atender as visitas, recuperar-se do parto... É por isso que os momentos em que tudo está calmo e tranquilo, e o bebé dorme tranquilamente, são muito apreciados. E se além disso ele sorri enquanto dorme, os pais respiram aliviados e felizes, contemplando-o com absoluto amor e sentindo que tudo está a correr bem.

E é que este sorriso que todos os recém-nascidos fazem enquanto dormem é um acto involuntário e inconsciente que o bebé realiza quando se sente satisfeito por ter comido ou por estar a dormir placidamente.

Também pode ser motivado por memórias porque, acredite ou não, os bebés reccém-nascidos já têm memórias das suas curtas vidas. Foi demonstrado que a memória começa criar-se no útero, pelo que os bebés já têm memórias armazenadas das suas vidas dentro da barriga. Estas memórias estão relacionadas com as sensações e experiências que aí tiveram, pelo que podem ser boas (o som do coração da mãe, a sua voz, comer...) ou más (doença ou problemas emocionais da mãe, parto...). Assim, se o seu bebé sorri durante o sono, pode estar a lembrar-se de algo belo que sentiu ou experimentou quando estava dentro de si.

Para além de ter memória e lembrar-se, os bebés sonham, pelo que este sorriso também pode ser produzido pelos sonhos que está a viver. Mais uma vez, estes sonhos estarão relacionados com as experiências e sensações vividas até à data, que irão aumentando à medida que os dias forem passando. Assim, duas semanas após o nascimento, ele já terá acumulado muitas experiências novas: os seus primeiros banhos, comer do peito da mamã, estar nos braços dos pais, ouvir as canções de embalar que lhe cantam para dormir... Todas estas experiências são acrescentadas às vividas no útero, proporcionando sonhos e memórias maravilhosas para o pequenino.

Portanto, se vir o seu bebé sorrir, mesmo que seja um acto involuntário, não duvide que isso significa que ele está a pensar em algo que lhe causa felicidade, tranquilidade e paz, sentimentos que também pode experimentar quando a vê.

 

Quando é que o bebé vai rir em voz alta?

Este sorriso involuntário torna-se um acto voluntário para responder a outro sorriso ou para expressar alegria por volta das 6 semanas de idade, quando aparece o primeiro sorriso social do bebé. Este primeiro sorriso é mais uma resposta a um sorriso seu, mas já é feito consciente e voluntariamente em resposta a diferentes estímulos externos que atraem a sua atenção, surpreendem-no, chocam-no, etc. Então, por volta dos dois meses, o bebé aprende que sorrir é contagioso e sorrirá, pois, tal como você gosta de vê-lo sorrir, ele gosta de ver os seus pais sorrir.

Finalmente, as gargalhadas aparecem por volta dos 3 ou 4 meses de idade, e com certeza que quando um pai ouve a primeira gargalhada do seu bebé, pensará que é o som mais maravilhoso do mundo. Os bebés, de facto, têm um grande sentido de humor e estão sempre prontos a rir e a divertir-se, por isso não é preciso muito para que riam. Pode fazer con que dé uma gargalhada escondendo-se e aparecendo de repente por detrás de um lenço, fazendo-lhe cócegas ou fazendo caretas engraçadas. Verá como ele responde imediatamente a estes gestos com uma risada feliz.

E fazer o nosso bebé rir o máximo possível todos os dias é um grande objectivo porque o riso ajuda-os a crescer e a ser uma pessoa feliz e positiva.


Silveira, Dr. Manuel (2011), 50 cosas que debes saber sobre un recién nacido, Barcelona, Libros Cúpula.

Fecha de actualización: 21-04-2021

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×