• Buscar
Publicidad

Um dia de verão

Enviado por psantos

Publicidade

João era um menino muito valente, apenas existia uma coisa que o assustava muito e essa coisa eram os monstros

Todas as noites à hora de ir dormir ficava cheio de medo ao pensar que podiam estar monstros escondidos debaixo da sua cama, no armário ou nalguma parte do quarto

. No entanto, um dia tudo mudou para sempre.

Era um dia de Verão, estava muito calor e os pais de João levaram-no à praia. João, que era muito corajoso, meteu-se na água que estava muito boa e brincou durante um bom bocado. Ele sabia que não podia afastar-se da areia, pois a sua mãe tinha avisado muitas vezes, mas veio uma onda muito grande que o arrastou para o fundo do mar.

Para sua surpresa ao afundar-se podia continuar a respirar e estava tão bem como se estivesse fora de água. João nem queria acreditar: estava a ver as algas, as estrelas-do-mar, os caranguejos … ali tudo era precioso. Dois peixes aproximaram-se dele e falaram, um chama-se Miritani e o outro Nairipaibi.

Eram muito simpáticos e João passou o dia a brincar com eles e a descobrir o bonito que era todo aquele mundo debaixo de água. Mas rapidamente começou a anoitecer e todos tinham de ir dormir. O pequeno João ficou completamente sozinho e apercebeu-se que não conseguia sair dali. Ficou muito triste porque pensou que não voltaria a ver os seus pais e começou a chorar. As suas lágrimas caíram numa grande rocha fazendo muito barulho …

BOOM!!!

A rocha abriu-se e de entro dela saiu um monstro horrível, era vermelho e tinha uma boca enorme e cheia de dentes pontiagudos.

João ficou com muito medo quando o viu, estava muito assustado. Por momentos pensou que tudo aquilo era um pesadelo e que de fechasse os olhos iria acordar na sua caminha, mas não foi assim. O monstro aproximava-se cada vez mais, estendeu o seu braço a João e disse:

- Olá pequeno, não tenhas medo de mim.

- Mas se és um monstro – disse João.

- Sim, sou … mas ao contrário do que as pessoas pensam os monstros são bons. O que acontece é que somos muito grandes e feios, mas todos temos um coração muito bom. Eu chamo-me Bubu e tu?

- Eu João!

- E porque estás a chorar João?

- Porque uma onda arrastou-me até aqui quando estava a brincar à beirinha da água. Agora não consigo regressar à praia …

- Oh, não te preocupes. Eu sei o caminho muito bem. Agarra-te às minhas costas e eu levo-te num instante.

Então a criança agarrou-se a Bubu e os dois puseram-se a caminho. O monstro deslocava-se tão rápido que João teve que fazer grandes esforços para não cair. Tal como o seu novo amigo tinha dito, rapidamente regressaram à praia. Foi aí que se despediram, já que as pessoas não podiam ver Bubu para não se assustarem.

Passado um bocado chegaram os paus de João que durante todo o dia estiveram muito preocupados a procurá-lo. Os três deram um forte abraço.

João e Bubu tornaram-se grandes amigos e viam-se todos os Verões. Para além disso, a partir daí João nunca mais teve medo de monstros, pois sabiam que eram bons e que alguns viviam no mar.

Publicidade

¿Queres publicar um conto?

Cada vez que publiques un cuento en TodoPapás, podrás descargarte uno de los e-Books de la Colección TodoPapás ¡Gratis!

Publicar conto
Colección de libros TodoPapás
Publicidade
×