Proteja a sua familia do sol!

Proteja a sua familia do sol!
Partillhar

O protector solar não é suficiente para proteger a pele dos raios prejudiciais do sol. Vários estudos, realizados recentemente, descobriram que aumentou significativamente o número de problemas cutâneos em zonas tradicionalmente cobertas pela roupa. Dessa forma, a nova tendência das marcas têxteis é a fabricação de linhas de roupa com um tecido especial que impede totalmente a radiação ultravioleta.

A pele das crianças, mais sensível

A sobreexposição à radiação ultravioleta (UV) pode causar cancro de pele, envelhecimento prematuro da pele e diferentes transtornos cutâneos, para além disso, cataratas e outros danos na vista, e inibição do sistema imunitário.

As crianças são especialmente vulneráveis devido à falta de amadurecimento das estruturas epidérmicas. Para além disso, o sistema de produção da melanina ou de pigmentação (a primeira barreira com a que se depara o sol) coloca-se em marcha progressivamente durante os primeiros anos de vida.

Cerca de 80% dos casos de exposição solar que recebemos ao longo da nossa vida produz-se nos primeiros 18 anos e os seus efeitos acumulam-se devido à pele ter memória solar, o que pode gerar problemas na idade adulta.

Por isso, é essencial proteger a pele das queimaduras solares desde pequenos, pois embora pareça apenas um vermelhão que passa uns dias depois, a longo prazo pode ter consequências graves.

No te puedes perder ...

Grávida no Verão?

Grávida no Verão?

Faz calor, sente-se pesada, está suada, asfixiada e para ajudar está grávida. Se isto lhe parece a combinação ideal de ingredientes para lhe estragarem as férias, fique tranquila pois existem formas de sobreviver a um Verão com a sua barriga de grávida.

Como proteger-se dos raios UVA e UVB?

Quando os portugueses vão de férias para a praia basta um pouco de óleo para ficarem morenos. Anos depois, o aumento dos casos de cancro da pele surge devido à sobreexposição aos raios ultra-violeta. E a destruição da capa do ozono não faz mais que aumentar o perigo.

Desde então, são vários os estudos e avanços no que diz respeito à fotoprotecção, não só os típicos cremes solares, mas também através de nutricosméticos ou de roupa de protecção solar.

Os raios UVA penetram nas capas mais profundas da pele, podem desencadear o cancro da pele e são responsáveis pelo envelhecimento cutâneo. Enquanto os raios UVB absorvem-se, principalmente, nas capas mais superficiais da pele (são responsáveis pelas queimaduras, desencadeiam tumores malignos e também causam alterações no sistema imunitário.

Os últimos avanços permitiram que agora já existam cremes que protegem também dos raios UVA. A última tendência na protecção solar foi eliminar as substâncias que eram alérgicas ou que eram muito pouco fotoestáveis. Também se incorporou agentes biológicos de substâncias antioxidantes que nos protegem da formação de radicais livres e do envelhecimento prematuro. Melhorou-se muito a textura e, sobretudo, nos cremes para a cara das crianças (com filtros muito resistentes à água, ao suor e à fricção).

No entanto, é um erro pensar que basta por creme e estamos protegidos na praia. O sol actua sempre e qualquer exposição solar prolongada aos raios, seja na praia, na piscina ou no campo, pode ser prejudicial, sobretudo, para as crianças pequenas. Para além disso, os cremes solares apenas cobrem a parte de pele exposta directamente ao sol, mas não a que está tapada pela roupa, que não fica totalmente protegida pelos raios.

Roupa com protecção solar

Alguns estudos médicos realizados recentemente mostram que é muito importante cuidar da pele que está debaixo da roupa. Para as peles mais sensíveis, como a das crianças, investigou-se e criou-se um tecido especial com protecção solar.

A maioria das pessoas pensam que ao colocarem uma camisola enquanto tomam banho, evita-se as queimaduras nas costas. Mas a roupa de Verão, como as camisolas brancas de algodão, não protegem bem a pele dos raios prejudiciais do sol. De facto, alguns estudos recentes demonstraram que a incidência do cancro da pele aumentou em certas partes do corpo que, geralmente, permanecem cobertas com roupa ou com o fato de banho.

O nível de protecção oferecido pela roupa depende de vários factores. Uma camisola branca de algodão tem um UPF (Factor de protecção ultravioleta) entre 5 e 7. Este parâmetro define a quantidade de luz ultra-violeta (UVL) que penetra através de um tecido ou produto. Se se molha, o UPF baixa ligeiramente para 3. Isto significa que a sua pele, normalmente, começa a queimar em cinco minutos sem protecção, a pele debaixo de uma camisola branca começa a queimar-se depois de 15 a 35 minutos debaixo do sol. E embora não se queima usando uma camisola, pode correr o risco de prejudicar a sua pele.

A cor da roupa, a sua construção, o conteúdo da fibra, o tipo de tecido e factores, como se o tecido foi preparado especialmente para a protecção do sol, determinam a eficácia de determinada roupa para bloquear os raios UV prejudiciais. As cores escuras funcionam melhor: uma camisola de algodão verde, por exemplo, protege quase 50% mais que uma branca. No entanto, uma camisola de cor escura tem um UPF de apenas 10.

A protecção ultravioleta proporcionada pela roupa depende de:

- Tipo de tecido. O algodão e o linho, por exemplo, têm menos UPF do que o náilon, a seda e o poliéster.

- Porosidade, peso e grossura: o UPF aumenta quanto menos forem os espaços entre as linhas e quanto maior é o peso e a grossura do tecido.

- Cor: as cores escuras têm um UPF maior. No estudo feito com o mesmo tecido, um branco e uma camisola de cor, percebeu-se que um tecido de algodão branco tem um UPF de 12, enquanto se o tecido fosse de cor escura a protecção aumenta até 32. Na investigação com poliéster os resultados mostraram que o poliéster branco proporciona um UPF de 16 e o negro até 34. A crença popular de que o branco protege mais do que as cores escuras é errada.

- Humidade: o UPF é menor quando o algodão está húmido. O algodão molhado pode chegar a perder até 50% do seu poder de protecção. Isto acontece pelo facto de a água reduzir a dispersão da luz ultra-violeta e, dessa forma, aumenta a transmissão dos raios prejudiciais.

Por isso, são muitas as marcas têxteis que criaram uma linha especial de roupa de Verão feita com um tecido que protege dos raios de sol. Algumas roupas têm um factor de protecção solar de 50. Estas roupas dispersam os raios de sol de maneira a que estes não penetrem na matéria têxtil.

Para além proteger o corpo das crianças com este tipo de roupa, estas também deve colocar um chapéu e óculos de sol.

Os tecidos com protecção solar proporcionam-nos numerosos benefícios:

- Permitem fabricar roupa muito ligeira, transpirável e muito confortável que se pode utilizar nos dias de muito calor.

- Aplica-se uns valores de protecção científicos de modo a que os consumidores não tenham dúvidas. É fácil de encontrar o valor de UPF cosido no interior ou em qualquer parte exterior da roupa.

- Superam as roupas normais, já que a maioria da roupa com protecção solar tem um factor mínimo de 30.

- Proporcionam uma protecção eficaz, tanto se as crianças tiverem secas ou molhadas, o que diferencia estas camisolas das normais.

- Estas camisolas não têm que ser trocadas a cada duas horas.

Ensine os seus filhos a protegerem-se

As principais radiações que recebemos são durante a infância, e está nas nossas mãos incutir o uso regular de protectores aos nossos filhos. Para isso, o método mais eficaz é que tenham um exemplo a seguir e os pais devem ser esse modelo. Por isso, os pais devem ser os primeiros a usar a protecção máxima para que os filhos sigam o exemplo.

Esta é apenas uma maneira de assegurar que as crianças vão assumir e assimilar este hábito, incorporando-a na sua rotina diária.

 


Fecha de actualización: 08-09-2009

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×
*/?>