Aprender a nadar

Aprender a nadar
Partillhar

São cada vez mais os profissionais que recomendam a natação para bebés, também conhecida como matronatação. Esta prática, para além de ser muito benéfica para a saúde da criança, é uma verdadeira experiência placentária, estimulante e que reforça os vínculos afectivos entre pais e filhos. Quer saber porquê?

A natação é um desporto com incríveis benefícios, tanto físicos como emocionais, para pessoas de qualquer idade. Os especialistas recomendam familiarizar as crianças com a água a partir dos 3 ou 4 anos de vida, já que o medo e a desconfiança da água vão-se desenvolvendo à medida que o tempo passa e que a criança não tem qualquer contacto com este meio. No entanto, a matronatação não persegue a aprendizagem técnica da natação propriamente dita; o que pretende é que as crianças se familiarizem com o medo aquático, que desenvolvam autonomia na água e que, a pouco e pouco, sejam capazes de boiar e de realizar alguns movimentos da natação.

O seu bebé, habituado ao ambiente aquoso do útero materno, adapta-se de maneira fácil e rápida à água, que o estimula através do jogo para ganhar coordenação motriz e liberdade de movimentos. Para além disso, até aos 9 meses as crianças mantêm um reflexo inato, conhecido como “protecção respiratória” que bloqueia a entrada de água nos pulmões.

Com mais de 25 anos de experiência, María Hita, directora de um centro de natação infantil, especializada no ensinamento de crianças desde os 3 meses aos 6 anos, dá-nos alguns conselhos “a mãe terá que dar ao bebé a sensação de segurança. O fundamental é que adquira o gosto pela água de uma maneira totalmente lúdica. O êxito radica em criar um ambiente relaxado onde, tanto a criança como os pais, desfrutem das aulas ajudando o bebé a sentir-se mais seguro”.

Desenvolvimento infantil: aprender a ler mapas

Desenvolvimento infantil: aprender a ler mapas

Os mapas são uma das ferramentas mais úteis para as pessoas. Todos nós lhes devemos muito pois graças a eles conseguimos chegar a diversos sítios. Muitos exploradores traçaram novas rotas e descobriram novos mundos graças à ajuda dos mapas. Os piratas também os seguiram para encontrar tesouros escondidos. O sentido de aventura, o descobrimento e as viagens são inatos aos mapas. Dessa forma, ler um mapa é uma habilidade que as crianças anseiam ter.


 

Benefícios para o seu bebé

A natação:

- Melhora o sistema respiratório, fortalecendo os pulmões.

- Melhora o sistema cardiocirculatório, fortalecendo o coração e favorecendo a circulação sanguínea ao adoptar a postura horizontal.

- Melhora o sistema imunitário.

- Aumenta o desenvolvimento psicomotor, melhorando a coordenação e fortalecendo os músculos.

- Ajuda a melhorar a postura corporal e desenvolve a flexibilidade.

- Ajuda os bebés a relaxar, evitando os estados de ansiedade e favorecendo o descanso, isto para além de aumentar a segurança da criança.

- Prepara a criança para um estilo de vida activa, evitando muito dos problemas do sedentarismo, como o excesso de peso.

Fortalece o vínculo entre os pais e a criança

Ir com o seu filho às aulas de natação não terá apenas benefícios físicos. O benefício emocional é um dos objectivos mais importantes que a natação procura para os bebés; o fortalecimento dos laços que unem os pais aos seus filhos e o aumento do conhecimento mútuo. Os pequenos percebem os sentimentos de amor e cuidado que os pais transmitem na piscina, o tempo que partilham nesta divertida experiência que faz com que, seguramente, a queiram repetir muitas vezes. Com este tipo de actividades consegue-se uma maior cumplicidade entre a mãe e o pai que podem partilhar com a criança o seu desenvolvimento de uma forma descontraída e divertida.

Antes de ir para a piscina

Tome nota dos preparativos que podem ajudar a criança a adaptar-se melhor e mais rápido às aulas de matronatação ou natação para bebés.

- A primeira coisa a fazer é consultar o pediatra para saber se estas aulas são indicadas para o seu filho.

- Depois do pediatra dizer que sim, pode ir diminuindo a pouco e pouco a temperatura da água do banho até chegar aproximadamente aos 34º, para que ao chegar à piscina a criança não sinta uma diferença brusca de temperatura.

- Tente transmitir segurança ao seu filho enquanto este está no banho.

- Assegure-se que escolhe uma piscina que cumpra todos os requisitos de segurança e de higiene para as aulas de bebés, como o nível de cloro, a temperatura, os profissionais qualificados, etc.


María Hita recomenda que tenhamos especial atenção na hora de escolher o centro e exigir o melhor para as crianças, “a temperatura da água deverá estar a uns 30 graus centígrados, o professores devem estar devidamente qualificados para trabalhar com crianças. É importante que a piscina seja desenhada apenas para crianças, com vestuários e balneários totalmente climatizados. Mas, sobretudo, recomendo não estabelecer um determinado período de tempo para conseguir objectivos, cada criança aprenderá ao seu ritmo”.

A prudência, a sua melhor aliada

Quanto maior for o domínio do seu filho na água, maior será a sua segurança e, por isso, também a sua tranquilidade, embora nunca deva esquecer-se de vigiar o seu filho enquanto este está na piscina, nem delegue essa tarefa a terceiras pessoas. O “afogamento” é um acidente infantil que merece especial atenção já que, segundo um estudo realizado em Julho de 2002 por um Hospital em Barcelona, este ocupa o sétimo lugar entre todas as causas de acidentes infantis.

Cerca de 80% das mortes por afogamento produzem-se em piscinas particulares. Estes arrepiantes dados fazem com que seja tarefa primordial extremar as preocupações no que diz respeito à atenção e cuidado dos nossos filhos na hora de ir para a água, seja na praia ou na piscina pública ou privada.

Segundo um documento da UNICEF sobre a zona da Ásia Oriental e o Pacifico, as mortes por afogamento são a primeira causa de mortalidade entre os menores de 5 anos. Para além disso, o estudo destaca que prevenindo este tipo de acidentes a taxa de mortalidade infantil poderia chegar a diminuir cerca de 40%.

Precauções com os banhos

- As crianças devem estar sempre acompanhadas e vigiadas por um adulto.

- Se a criança nada com dificuldade, não deixe que se meta numa zona onde a água esteja acima da cintura, e sempre com bóias ou braçadeiras.

- Depois de uma refeição abundante não deve tomar banho por mais de duas horas, isto porque a distribuição de sangue no aparelho digestivo faz diminuir o risco sanguíneo do resto do corpo o que pode provocar um corte na digestão.

- Se estiverem na praia respeita as bandeiras e tenha a maior precaução nas zonas de correntes.

- Se está na piscina tenha muito cuidado com as pranchas, isto porque uma má queda pode provocar lesões graves nas costas.

- No caso das crianças com problemas nos ouvidos, é recomendável o uso de tampões para evitar que entre água.


0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×