Saiba o que fazer para ajudar o seu filho a deixar as fraldas!

Saiba o que fazer para ajudar o seu filho a deixar as fraldas!
Partillhar

Imagine que tem muita comichão no braço e dizem-lhe que não se pode coçar até chegar a casa, já que só ali o pode fazer. Agora multiplique isto por 4 ou 5 vezes durante o dia. Assim é como se sentem as crianças quando têm vontade de urinar e devem aguentar até chegarem à casa de banho. É normal que ao princípio não entendam porque não o podem fazer no momento em que queiram.
 

Mas tudo é questão de treino

Logicamente os bebés não nascem com a capacidade para controlarem o seu corpo, e a aquisição dos hábitos de higiene implica uma aprendizagem, que começa por ensinar o que significam os sinais que o seu corpo envia.

Quando é o momento?

Não existe uma idade determinada para começar a aprendizagem deste hábito de higiene. Depende da maturidade dos seus esfíncteres. Habitualmente isto sucede entre os 18 e os 36 meses. Mas como em tudo, há crianças que o conseguem antes desta idade e outras mais tarde. Geralmente é o seu próprio filho quem lho dirá. Esteja atenta aos sinais que este lhe vai dando, para começar o “treino”:

- Pode caminhar sem a ajuda de ninguém.

- O seu filho começa a mostrar-se interessado pelas rotinas de higiene dos adultos. Acompanha-a à casa de banho e quer saber como se urina. É o momento em que começa a aperceber-se das diferenças anatómicas e começa a jogar com os seus genitais associando-os à palavra “xixi”.

- Você pode prever quando o seu filho quer ir à casa de banho, porque já o faz mais regularmente.

- Tem capacidade para brincar sozinho pelo menos durante cinco minutos.

- Pode subir e baixar as calças facilmente sem a ajuda de ninguém.

- Tem capacidade para esperar a sua vez e é tolerante.

- A fralda permanece seca durante pelo menos 2 horas. Isto significa que já tem um maior controlo neuromuscular que o faz reter durante mais tempo.

- Sente-se desconfortável com a fralda molhada.

- Dá sinais de querer fazer xixi, cruzando as pernas, tocando-se, agarrando a fralda, dando saltinhos, escondendo-se, agachando-se, etc.

- Avisa quando já fez xixi.

- Quando o seu filho estiver preparado para deixar as fraldas, recomendamos que não volte atrás. A decisão deve ser definitiva.

Como o fazer?

Existem quatro etapas principais na evolução das crianças que podem ajudá-la a ensinar o seu filho a deixar as fraldas para sempre.

1. Avisa quando já fez xixi:Em primeiro lugar dê-lhe os parabéns por ter avisado. Depois, uma boa ideia é pedir-lhe que vá buscar uma fralda nova e juntos organizem o necessário para o mudar.

2. Avisa quando já o está a fazer:Deve falar com ele com naturalidade e nunca se zangar por ele não lhe ter avisado antes.

3. Avisa antes de o fazer:Se avisa que vai fazer ou mostra que tem vontade pergunte-lhe se quer ir à casa de banho. Ali, se chegou seco, ajude-o simplesmente no que lhe peça, mas não faça tudo por ele.

4. Por último ao acordar de manhã, veja se a fralda se mantém seca durante vários dias seguidos. Se é assim, este é o momento perfeito para tirar-lhe a fralda para sempre e passar a usar apenas roupa interior.

Pelancha Gómez-Olazábal, da Escola Infantil Jauja, dá-nos a conhecer algumas normas importantes a considerar para iniciar a aprendizagem dos hábitos higiénicos:

1º. A idade de maduração: A criança tem de estar preparada fisiológica e afectivamente.

Fisiologicamente porque é necessário que a criança tenha desenvolvido a utilização do músculo esfíncteriano e que tenha o controlo mental do acto de reter para que seja possível impor que faça xixi a horas fixas.

Afectivamente porque a partir da sua perspectiva, agradar à mãe com algo que ela quer permite-lhe conseguir outros privilégios: ser maior beneficia a todos e tem as suas compensações.

No te puedes perder ...

Alguns truques para passar o meu filho do berço para a cama

Alguns truques para passar o meu filho do berço para a cama

Fazer com que as crianças deixem o berço pode parecer fácil, mas para alguns pais essa situação converte-se num verdadeiro desafio. Assim que se aproxima este momento, provavelmente, surgem-lhe várias perguntas em torno do tema para conseguir mudar o seu filho para uma cama da maneira mais eficaz.


2º. Cada criança é diferente e devemos respeitar a sua forma de ser. Há crianças que se sentam alegremente no bacio, outros mostram medo, outros preferem usá-lo de pé… Nunca os devemos obrigar pois o único que se consegue é um completo fracasso e uma rejeição afectiva. Quando o treino higiénico se converte numa batalha entre a mãe e o filho, este irá utilizá-lo como uma arma contra os seus pais sempre que queira.

3º. Não há uma idade determinada para controlar. Como dizemos sempre, nem todas as crianças com idades cronológicas similares são iguais. Isto rapidamente é esquecido e inevitavelmente comparamos as nossas crianças com os seus irmãos, vizinhos ou primos. A experiência confirma que uma criança começa a interessar-se pelo controlo a partir dos dois anos. “Em Jauja iniciamos uma criança quando vemos que está preparada ao nível da sua maduração, e não quando cronologicamente já tem idade para isso”. Pelancha recomenda também informar a educadora quando se começa a fazer o controlo. A criança pode desorientar-se ao receber mensagens contraditórias. A mãe e a educadora devem estar de acordo como o vão fazer, na frequência, tempo de permanência no bacio, o que prefere e os recursos que utiliza. Há crianças que aceitam facilmente o uso do bacio no colégio e não em casa ou vice-versa. Tudo depende da relação afectiva que tenha estabelecido com a sua educadora ou com a sua mãe.

4º. Perante esta aprendizagem devemos mostrar-nos o mais Descontraídos e Tranquilos Possível. Quanto mais interesse tenhamos em que o nosso filho aprenda esta prática, mais ansiedade transmitimos e mais tarde aprenderá. Por tanto há que evitar as pressões excessivas ou mantê-lo demasiado tempo sentado, porque isto apenas conseguirá que a criança retenha até que se levante.

5º. Nunca o devemos envergonhar quando manche as fraldas ou a roupa, pelo contrário, devemos aplaudir as suas vitórias para que se sinta orgulhoso de si próprio e para que saiba que os seus pais valorizam o que está a fazer.

6º.
Uma vez que a criança se tenha habituado a prescindir das fraldas, não devemos pensar que já não voltará a ter dificuldades. Qualquer mudança emocional na sua vida pode fazê-lo regressar à situação anterior. A gravidez da mãe, o nascimento de um irmão, uma doença familiar, uma mudança de casa, etc. Neste caso não se deve mostrar isto como um fracasso pois poderia afectar a sua auto-estima e segurança pessoal. Se a criança já controla há algum tempo e não teve uma razão aparente para isso, então é necessário analisar o que pode estar a acontecer e o que nos quer dizer com esta regressão ou chamada de atenção.



Fecha de actualización: 22-01-2007

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×
*/?>