Como ensinar uma criança de 3 anos a ler

 Como ensinar uma criança de 3 anos a ler
Partillhar

A leitura é uma ferramenta da linguagem, a expressão escrita da linguagem falada, e embora aprender a ler seja complicado, é um processo fundamental pelo qual toda criança deve passar. A leitura requer o domínio e a coordenação de uma série de processos cognitivos que nos permitam reconhecer um símbolo escrito com uma letra específica ou identificar essa letra com um som específico, mas também integrar cada letra numa palavra e cada palavra numa frase.

Além disso, aprender a ler tem duas grandes dificuldades: a consciência fonológica e a compreensão. A primeira consiste simplesmente em associar cada som a uma letra específica, e a segunda envolve a compreensão da mensagem literal e não literal do texto.


Como é que os professores ensinam?


A primeira coisa que você tem que saber é que existem dois grandes métodos para ensinar a ler: o analítico e o global. A primeira é baseada em separar letras, depois formar sílabas e, finalmente, palavras. O segundo associa significados de toda a palavra escrita. Este método global, além disso, baseia-se num processo de síntese em que a palavra é percebida como um todo com uma forma associada a um significado. Aqui, as palavras requerem uma capacidade de discriminação mais completa do que as letras, mas são as verdadeiras unidades com significado de língua falada e os espaços entre elas que facilitam às crianças vê-la como um todo. Este método também desenvolve as competências linguísticas e comunicativas dos alunos, facilita e promove a compreensão da leitura desde cedo e baseia-se num modelo pedagógico construtivista, ou seja, é o próprio aluno que constrói a sua aprendizagem. No entanto, é um processo lento e extenso, que também requer muito estímulo por parte dos professores e dos pais.

No te puedes perder ...

Entrevista a Isabel Leal, autora do livro

Entrevista a Isabel Leal, autora do livro "Meditação para Crianças"

"Se a criança não receber a devida atenção, em geral, quando adulta, tem dificuldade de amar seus semelhantes." (Dalai Lama). É assim que Isabel Leal, autora de vários livros sobre e para crianças, inicia a apresentação da sua página na Internet. O TodoPapas não podia perder a oportunidade de entrevistar esta escritora, professor e acima de tudo uma grande defensora de que, essencialmente, somos todos um Ser Espiritual. “Meditação para crianças” é o mais recente livro da autora que mostra que esta é a verdadeira disciplina para trazer paz aos mais novos. Como a própria diz “Deixe-se contagiar …”

 E o método analítico, que é baseado em um processo de análise dos estímulos escritos que são percebidos através da visão. Por um lado, é necessário isolar as letras como estímulos individuais nesta rede de linhas curvas e retas que formam a palavra, e então a cada letra escrita (grafema) deve ser atribuído um som (fonema). Esta relação grafema-fonema deve ser unívoca, isto é, a única maneira de ler essa letra é com esse som. Dá-nos acesso a uma leitura mecânica. A vantagem deste método é que dá prioridade à função visual sobre a função auditiva e motora, responde à percepção da criança e aos movimentos oculares por unidades amplas e também favorece a aquisição da ortografia. No entanto, com este método não é possível identificar novas palavras sem conhecer o código escrito, ele favorece com ele, portanto, a imprecisão e leitores invenção, eo processo de aprendizagem é mais lento.

Outro método pelo qual as crianças aprendem o processo de leituraescrita. A principal característica deste método é que transforma as letras em personagens de um mundo imaginário e usa a fantasia das histórias como elemento motivador. A partir das histórias que são contadas, o som de cada uma das cartas é apresentado e aspectos complexos da nossa linguagem são explicados, mas de uma forma agradável e também muito simples que as crianças lembram naturalmente. Mas recordemos que aos três anos de idade é ainda demasiado cedo para iniciar este processo. Na verdade, os especialistas recomendam que, mesmo que eles tenham seus primeiros começos na leitura, leitura e escrita não deve ser iniciado até que eles tenham pelo menos seis anos de idade.


O que os pais devem fazer? Eles têm que ensinar seus filhos a ler?


Alguns pais acham que é bom para os seus filhos saberem ler e escrever o mais depressa possível e que, se puderem aprender com os seus professores na escola e também em casa, muito melhor. No entanto, alguns especialistas acreditam que esta não é a melhor forma de as crianças aprenderem a ler e que, nesta ocasião, os professores devem ter rédea solta, uma vez que a combinação de diferentes formas de leitura pode prejudicar a criança quando se trata de aprender.


No entanto, a verdade é que existem algumas ferramentas e estratégias para que as crianças em casa possam ler mais e melhor. A primeira coisa é observar e aceitar que, como qualquer criança, é um pequeno ser humano em crescimento que deverá ser respeitado como o ser curioso e ativo que ele é nesta idade. E, em segundo lugar, há também três recomendações importantes a ter em conta.


- Respeitar o ritmo deles. Antes, não é melhor não importa o quanto alguns adultos pensem que é. De forma alguma as crianças devem ser pressionadas a adquirir habilidades ou conhecimentos prematuramente ou penalizar de alguma forma porque a criança não tem esse ritmo que as outras crianças têm. De fato, ficou demonstrado com o passar do tempo que o avanço da leitura e da escrita não favoreceu em nada que essas crianças fossem, por exemplo, apaixonadas pela leitura.


- Não corrigir constantemente. A mania que muitos pais têm é a de corrigir continuamente a criança, mas isso só vai dificultar o aprendizado da criança, impedi-la de descobrir suas soluções, comer sua auto-estima e até mesmo enchê-la.


- Não o castiguem nem lhe ofereçam prémios pela sua aprendizagem. A aprendizagem é um processo natural no ser humano e, de facto, o que melhor caracteriza a nossa espécie. Esse impulso natural de aprender, mais cedo ou mais tarde você terá. Precisas de aprender e vais gostar de o fazer. Lembre-se que é curioso e é louco saber mais. E vocês, os pais desses pequenos pesquisadores, a única coisa com que devem se preocupar é acompanhá-los em suas descobertas, desafios e pesquisas.



0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×
*/?>