×
Publicidad

A agressividade infantil

A agressividade infantil

O desenvolvimento dos nossos filhos é uma aventura diária, cheia de ilusões e de surpresas. Um dos comportamentos dos filhos que mais pode surpreender os pais é a aparição da agressividade: uma preocupação que pode partilhar. Como veremos mais à frente, é apenas uma fase que devemos enfrentar como passageira.

Publicidade

O que é que são condutas agressivas?

Chamamos conduta agressiva a todo aquele comportamento que pode ocasionar uma dor física à pessoa afectada: um empurrão, uma mordidela, um arranhão, etc.

Por volta dos dezassete meses de idade (idade de maior incidência) são visíveis as primeiras condutas que podemos designar de “agressivas”. São fruto de uma conduta que vem de há muitos anos atrás resultante da necessidade de sobrevivência da espécie humana. Hoje só é preciso entendê-las.

A importância deste tipo de comportamento na infância é o facto de poder vir a repetir-se na idade adulta. No entanto, uma intervenção antes dos 3 anos pode eliminar qualquer preocupação posterior.

No te puedes perder ...

Saiba o que fazer para ajudar o seu filho a deixar as fraldas!

Saiba o que fazer para ajudar o seu filho a deixar as fraldas!

Imagine que tem muita comichão no braço e dizem-lhe que não se pode coçar até chegar a casa, já que só ali o pode fazer. Agora multiplique isto por 4 ou 5 vezes durante o dia. Assim é como se sentem as crianças quando têm vontade de urinar e devem aguentar até chegarem à casa de banho. É normal que ao princípio não entendam porque não o podem fazer no momento em que queiram.
 

Y tambien:

A intervenção pedagógica desta conduta deve ser dirigida tanto para a criança agressora como para a criança agredida.

Porque é que o fazem?

- Aparece de forma instintiva para conseguir um benefício, ou seja, é eficaz dar um empurrão a um colega para se conseguir ficar com a bola dele. Nesta situação a criança reconhece o sofrimento alheio, pois a sua percepção é egocêntrica.

- A frustração ao não poder expressar verbalmente os seus interesses faz com que as crianças acabem por reagir agressivamente em algumas brincadeiras.

- O desconforto na boca na altura da dentição faz com que o seu filho morda regularmente os colegas.

Como modificar esta conduta?

- Desde a nascença até ao primeiro ano as crianças vão adquirindo controlo nos seus movimentos e não é estranho para os pais que os filhos lhes mordam ou belisquem.

- Do primeiro ao segundo ano as crianças são agressivas pelo prazer que experimentam com as suas acções bruscas. Pode corrigir esta acção acalmando a criança agredida para que esta não tenha um comportamento igualmente agressivo.

- Dos dois aos três anos o amadurecimento permite reconhecer a eficácia das acções da criança. Agredir uma criança para conseguir algo que ela tem, é mais rápido e menos frustrante do que esperar que lhe empreste. Nesta situação tem de fazer ver à criança que agride que o que ela fez não está minimamente correcto, dizendo “gostavas que te fizessem o mesmo?”, “Pede desculpa!”.

Porque é que as crianças repetem as condutas agressivas?

- Por diversão;

- Quando não toleram a frustração ao não conseguirem o que querem de uma forma rápida.

- Pela eficácia ao conseguirem atingir os seus objectivos.

Importante

O aparecimento de condutas agressivas na primeira infância é normal, no entanto, não podemos normalizar a situação.

É responsabilidade das famílias e dos centros educativos modificarem estes comportamentos no momento em que acontecem, isto para evitar que se voltem a repetir.
 


Fecha de actualización: 23-08-2005

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.