Animais domésticos: qual é o mais aconselhável para o meu filho!

Animais domésticos: qual é o mais aconselhável para o meu filho!
Partillhar

Quantas vezes já ouviu o seu filho a pedir um animal de estimação? Entre os 4 e os 6 anos de idade é normal que o seu filhote se sinta atraído e totalmente fascinado por animais e pela natureza. Dessa forma, não deixará de lhe pedir para comprar um cãozinho, um gatinho ou, inclusive, um lagarto. Um novo membro da família e um bom companheiro para o seu filho do qual você acabará por tomar conta.

Os animais de estimação favorecem a socialização, unem as famílias e dão lições de responsabilidade aos mais pequenos, mas nem todos os animais são iguais nem adequados para todos. De acordo com alguns veterinários, apresentamos vários conselhos para ajudar na escolha do animal ideal.

A primeira e mais importante recomendação é escolher o animal que melhor encaixe na sua forma de ser, nos seus costumes, recursos e disponibilidade com a finalidade de aproveitar todos os benefícios que um animal aporta para a sua vida: carinho, companhia, entretenimento, socialização … Para isso, o Grupo Aspro, o maior operador de centros de ócio da Europa, a partir dos seus quase 20 anos de experiência e dos seus conhecimentos sobre animais, elaborou dez conselhos básicos para ajudá-la a escolher o animal de estimação mais indicado:

- Escolha segundo a sua disponibilidade. Pense em quem, habitualmente, vai ser responsável do cuidado do animal. Conte as horas do dia que costuma ter livres, considerando as atenções que o animal precisa. De acordo com os especialistas “um gato exige menos dedicação que um cão e ainda menos dedicação precisam as tartarugas, os hamsters ou os periquitos”.

No te puedes perder ...

Problemas mais comuns do Inverno

Problemas mais comuns do Inverno

Já está aqui outra vez o Inverno, uma estação que consigo traz as chuvas e o frio. Nesta época do ano multiplicam-se as constipações e as gripes. São poucas as crianças que não apresentam algum episódio de febre ou de tosse … Algo que preocupa muito os recentes pais. Quer saber o que fazer nestes casos e quando é o momento mais adequado para ir ao médico?

- Escolha o animal que melhor a represente. O seu animal projecta uma imagem de si. Procure o que mais tenha a ver com a sua forma de ser e com o seu estilo de vida. “As pessoas mais activas que procuram planos para sair de casa podem desfrutar mais dos cães, enquanto as pessoas tranquilas e independentes encaixam melhor nos costumes dos gatos”. O animal de estimação ideal para uma criança é o cão, especialmente as raças grandes que em geral são de melhor temperamento e muito tolerantes com os mais novos. Aceitam que lhes mexam, que lhes puxem as orelhas e, inclusivo, que se montem neles.

- Analise o seu espaço. Os animais precisam de um lugar onde viver que se assemelhe o mais possível ao seu habitat natural. Assegure-se de que o seu novo companheiro terá um lugar para dormir, comer, brincar … Assim poderá crescer saudável e feliz e poderão desfrutar muito mais juntos. Uma casa grande e com jardim é o ideal para um cão grande já que terá espaço suficiente para desenvolver-se bem e correr. Para além disso, também pode ser muito útil na hora de proteger a sua casa. Se a sua casa tem um tamanho médio, uns 70-90 metros quadrados, não terá muito espaço para que um cão de raça grande ou média viça com comodidade, pelo que será melhor escolher uma raça pequena e tranquila ou outro animal de um tamanho mais reduzido: um gato, uma tartaruga, um hamster.

- Faça uma revisão por tudo: a alimentação do animal, os seus cuidados, a sua cama … Tudo isto custa dinheiro, que pode variar em função do animal. Segundo os últimos estudos, as famílias gastam uma média de 1500 euros por ano com o seu animal de estimação. Faça contas aos gastos e evitará sustos.

- Pense nas suas necessidades. “Cada tipo de animal de estimação satisfaz melhor umas necessidades específicas. Por exemplo, os cães podem trazer segurança, já o movimento dos peixes é ideal para relaxar as crianças”.

- Deixe-se aconselhar. Seguramente que algum amigo seu já teve ou tem um animal de estimação … deixe que lhe dêem conselhos e descubra o fácil que é conhecer pessoas graças aos animais.

- Procure uma opinião de profissionais. Para dúvidas mais complexas ou específicas, não se esqueça de que os veterinários são a melhor solução. Eles irão dar-lhe toda a informação que precisa.

- Aprender a ter responsabilidade. Um animal de estimação é uma excelente lição de responsabilidade, especialmente para os mais pequenos. Convém fazê-los perceber que um animal não é um brinquedo e o seu cuidado exigirá sacrifícios.

- Convença os seus familiares. É muito melhor se toda a família e amigos adoptarem o novo membro com carinho e dedicação. Ter um animal em casa une pais e filhos. Para além disso, favorece as actividades em grupo e traz um tema de conversa em comum. Cerca de 80% das famílias portuguesas que têm um cão ou um gato acreditam que um animal é uma fonte de bem-estar e os estudos confirmam que, inclusivo, ajuda a reduzir o stress.

- Desfrute. Assuma a escolha de um animal de estimação com toda a ilusão que aporta trazer um novo amigo para a sua vida. Desfrute de cada nova coisa que descubra sobre a vida do seu animal, entre no seu mundo e faça tudo o que for possível para que seja feliz. O processo para se escolher um animal de estimação é ao mesmo tempo instrutivo e divertido, não só porque se aprende muito pelo caminho, mas sim porque depois de escolher bem descobre a alegria que o animal lhe traz.

Os animais e a segurança dos mais pequenos   

A relação com os animais é uma experiência única e, sobretudo, enriquecedora para a criança, mas há que ter em conta que também traz certos riscos que se devem prevenir. Preste atenção às peculiaridades e riscos de cada um:

- Assegure-se de que nunca deixa a comida dos animais ao alcance das crianças.

- Evite que as crianças se aproximem de animais desconhecidos, especialmente cães.

- Tão pouco as crianças devem mexer nos animais quando estes estiverem a comer ou a dormir.

Cães:

- Recomenda-se não adoptar nenhum animal doméstico até que a criança tenha pelo menos 5 anos.

- É vital que os donos dos cães conheçam os riscos que a sua adopção traz. Ao escolher uma raça de cão há que ter a certeza de que é carinhoso, tolerante e que está acostumado a lidar com crianças.

- É conveniente que o cão seja cachorro, com menos de 3 meses. Deve ter em conta que o facto de o animal nunca ter mordido antes não é uma garantia de que não possa vir a fazê-lo num determinado momento.

- Diga aos seus filhos para não se aproximarem do focinho de nenhum cão e nem lhes dêem comida directamente na boca.

- Evite que os cães brinquem debaixo da cama da criança, pois podem voltá-la.

- Assegure-se de que nunca deixa a comida dos cães ao alcance das crianças.

- Assegure-se de que o cão não tem parasitas, já que estes podem transmitir doenças aos mais pequenos.

- Lembre-se que é obrigatório licenciar e vacinar os cães.

Gatos:

- Assegure-se de que as crianças não se aproximam de uma gata que se encontra com a sua ninhada.

- Tenha em conta que a alergia aos gatos é muito comum, muito mais habitual que aos cães por exemplo.

Pássaros:

- Mantenha uma limpeza periódica e exaustiva das gaiolas. Incuta esse hábito aos seus filhos.

- Procure que a escolha do tipo de pássaro dependa do gosto do seu filho.

- Tenha em conta que as penas dos pássaros podem produzir reacções alérgicas.

Tartarugas e peixes:

- Ensine as crianças a não mexerem nas tartarugas, pois estas podem morder.

- Convém limpar frequentemente o aquário para conservar o bom estado de saúde de todos os animais que aí vivam.

Roedores:

- É aconselhável que a aquisição de um hamster, de um porquinho-da-índia, de um coelho, entre outros, se faça a partir dos 5 anos de idade.

Este Verão não abandone os animais

Infelizmente à medida que as férias se aproximam os animais de estimação convertem-se num estorvo e os números de abandono aumentam.

Desta forma, deve ter em conta o seguinte:

- A decisão de adoptar ou de comprar um animal de estimação deve ser tomada em família.

- Para que a convivência com o animal seja um êxito são imprescindíveis a selecção e a educação.

- Deve informar-se sobre o tipo de animal, raça, tamanho, idade … que melhor se adapta aos seus gostos, estilo de vida, tamanho da casa, nível de actividade …

- Os animais devem ser educados preferencialmente quando ainda são cachorros.

- Peça conselhos ao veterinário para que possa exercer uma “paternidade” responsável.

- Coloque um chip no animal, já que se trata do método mais seguro para recuperar os animais no caso destes se perderem.

Só desta maneira se conseguirá que algum dia os números de animais abandonados se reduzam até aos níveis de outros países da Europa, onde não só não abandonam animais, como os adoptam em canis.



Fecha de actualización: 30-06-2008

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>