• Buscar
Publicidad

As crianças e a desorganização: ensinar o meu filho a ser arrumado

As crianças e a desorganização: ensinar o meu filho a ser arrumado

Todas as crianças têm o mau hábito de ir buscar um brinquedo, cansar-se dele, ir buscar outro, e assim sucessivamente até que enchem o quarto de brinquedos sem nunca se lembrarem de arrumá-los. Porque é que as crianças são tão felizes no meio da desordem? A resposta é simples: chateiam-se se tiverem de arrumar. No entanto, se não ensinar o seu filho desde pequeno, quando for adolescente nunca conseguirá colocar o seu quarto em ordem.

Publicidade

Porquê tanta desordem? 

A partir desta idade as crianças têm mais autonomia e começam a brincar sozinhas no seu quarto. Montam as suas próprias histórias e gostam de espalhar todos os brinquedos que têm à mão. O problema é que nunca são capazes de colocar os brinquedos no lugar, o que faz imensa confusão aos pais o facto de a criança ser feliz na desordem. Porque é que é assim?

Apesar de no filme Mary Poppins arrumar parecer muito divertido e simples, a realidade é que é uma tarefa que aborrece bastante aborrecida para os mais pequenos. Não gostam de arrumar porque significa que a brincadeira chegou ao fim. Acontece o mesmo quando vão ao parque e têm de deixar um jogo de futebol a meio, ou seja, querem tudo menos acabar com a diversão.

Para as crianças a vida apenas significa brincar e passar bem, isto porque ainda não têm consciência de também implica responsabilidade e tarefas menos agradáveis. Se não gostam de uma coisa, é simples, não o fazem. Para as crianças é igual se as coisas estiverem organizadas ou não. No entanto, nesta idade já é possível moldar o caracter do seu filho e ensinar-lhe a deixar tudo arrumado quando acabar de brincar. Geralmente é mais fácil ser desarrumado que arrumado, mas é possível criar hábitos de rotina.

Como ensinar o meu filho? 

- Para começar deve ser o exemplo, ou seja, em casa todos devem ser arrumados. Se tem o hábito de chegar a casa, descalçar os sapatos e deixá-los no meio da sala também não pode exigir muito da criança.

- Faça ver ao seu filho que ser arrumado não é uma opção. Tem de ser e pronto. Tal como deve lavar bem os dentes depois de comer ou tomar banho todos os dias.

- Seja paciente e não desista. Nunca deve ser outra pessoa a arrumar o que mandou o seu filho arrumar. As palavras "deixa lá, eu depois arrumo", devem desaparecer do seu vocabulário.

- Se a criança arrumar as suas coisas sem reclamar, dê-lhe uma recompensa. Por exemplo, proponha-lhe verem um filme depois ou jogarem um pouco de consola. No entanto não lhe ofereça presentes, não deve associar o facto de arrumar as coisas com o facto de ganhar uma prenda obrigatoriamente.

- Explique-lhe porque é que é preciso ser arrumado: porque a mamã e o papá também o são, porque assim as coisas encontram-se mais facilmente, porque o quarto fica mais agradável (sobretudo para as visitas), etc.

- Facilite o trabalho da criança: o quarto deve ter baús ou aracas de plástico e os armários devem estar à sua altura.

- Podem brincar a ver quem é mais rápido a arrumar. Não será tão divertido como na Mary Poppins, mas o facto de estar a competir irá despertar interesse nos mais pequenos (as crianças querem ser sempre as primeiras).

- Evite acumular coisas desnecessárias. Quando os brinquedos estão partidos e já não servem para nada, pode dá-los ou, simplesmente, deitá-los fora se já não servir para dar a alguém mais necessitado.

- A sua linguagem deve ser clara e precisa. É melhor utilizar frases nas quais esteja concreto aquilo que quer que a criança faça: "Arruma os brinquedos na caixa", "Arruma a roupa no armário".

 

 

 

Redacção: Irene García


Fecha de actualización: 03-03-2009

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×