Fique a conhecer algumas brincadeiras para ensinar bons hábitos ao seu filho!

Fique a conhecer algumas brincadeiras para ensinar bons hábitos ao seu filho!
Partillhar

Está cansada de ralhar todas as noites com o seu filho para que este vá para a cama? Não sabe o que fazer para que ele a ajude nas tarefas de casa? Para as crianças tudo é uma brincadeira e a palavra diversão é a inspiração de todos os dias, pelo que acabam por recusar tudo aquilo que lhes parece aborrecido ou que se afasta das suas brincadeiras. No entanto, se conseguir tornar estas obrigações quotidianas em algo divertido, verá que não é difícil conseguir que o seu filho lhe obedeça.

“Eu ponho a mesa!

Explique ao seu filho que lhe vai ensinar a por a mesa: “Como estás mais crescido já estás preparado para ajudar-nos”.

No primeiro dia feche a porta faça-o você sem a ajuda da criança. Depois decore a mesa com qualquer objecto que tenha à mão: flores, plumas, folhas … Se tem uma vela pode acendê-la e apagar as luzes para que o efeito seja maior quando o seu filho entrar.

Durante o jantar diga-lhe para preparar a sua “caixa de tesouros” (uma caixa com objectos bonitos) para decorar a mesa no dia seguinte. Explique-lhe que para além de enfeitar a mesa você vai ensiná-lo a colocar algo todos os dias (primeiro os pratos, depois os copos, etc.).

Uma vez que a criança se tornou uma especialista – para o qual devem passar vários dias – permita que ela decore a mesa sozinha sem que você veja para que lhe faça uma surpresa. É importante que fale da beleza da mesa e do bem que isto faz ao seu filho.

É certo que a criança se irá cansar rapidamente desta brincadeira, mas desta forma já incutiu o hábito de colocar a mesa e pode sempre ajudá-la em ocasiões especiais: aniversários, Natal, etc.

No te puedes perder ...

Jogos: aprenda a estimular o bebé desde os primeiros meses de vida

Jogos: aprenda a estimular o bebé desde os primeiros meses de vida

Embora exista a crença generalizada de que os bebés, nos seus primeiros meses, não fazem outra coisa senão dormir e comer, isto não é mais do que um erro. Pode (e deve) contactar com o seu bebé desde o primeiro momento. Quanto mais comunicar com ele maior será a sua capacidade para estabelecer contacto com os outros.

Tomar banho sem lágrimas!

Para muitos pais o momento do banho é uma luta diária: nunca apetece à criança deixar os seus brinquedos para meter-se na banheira, mas deve perceber desde pequena que uma boa higiene é fundamental.

Antes de começar a brincadeira compre uma esponja nova para cada membro da família (ao iniciar uma brincadeira deve existir um elemento inovador para captar a atenção da criança). A do seu filho, por pressuposto, deve ser a mais vistosa e bonita. Também será necessário um doseador de gel de banhos e todos os utensílios para o banho: toalha, pente, etc.

Aproveite um momento em que a família esteja toda reunida para repartir as esponjas novas e peça-lhes que “saltem de alegria” perante a prenda. Nesse mesmo dia devem utilizá-las pela primeira vez. Diga ao seu filho que este jogo é muito difícil e que há que saber como limpar-se para levá-lo a cabo. Por exemplo, o que lavar primeiro? O seu filho contestará algo. Se não é apropriado (por exemplo, as orelhas), nunca o corrija mas sim ajude-o: “Sim, mas antes vamos lavar as mãos. As orelhas ficam para último”.

Se existe um irmão mais velho, deixe que a criança tome banho com ele pois irá acabar por imitá-lo. Tente que a criança faça o máximo de coisas sozinha: lavar-se, vestir-se, pentear-se … embora isto dependa da idade de cada criança.

E, como sempre, felicite a criança quando vir que consegue fazê-lo sozinho e sem recusar.

“Deixei de roer as unhas!”

Antes de começar, anote num caderno os hábitos do seu filho: quando rói as unhas, quando não rói e que alterações ocorreram ultimamente na sua vida e que o afectaram.

Uma vez analisando tudo, fale com a criança e explique-lhe que é importante que deixe de roer as unhas. Para isso, pergunte-lhe porque é que o faz. Aponte o que o seu filho lhe responde e o que sente depois de fazê-lo.

Depois arranjem uma pergunta secreta, um código entre os dois. As crianças cansam-se de ouvir sempre o mesmo (“Não roas as unhas!”), pelo que é uma boa ideia escolher uma pergunta que lhe fará cada vez que o veja a roer as unhas, por exemplo: “Carlos, hoje está frio?”. A criança saberá ao que se refere, mas não estará a envergonhá-la nem a ralhar com ela em frente a outras pessoas. Agora deve conseguir que mantenha as mãos ocupadas para que não roa as unhas.

“Vou para a cama sozinho!”

Estabeleça uma hora para que a criança se deite e avise-a quando a hora se aproximar. Enquanto a criança estiver a jantar ou a tomar banho diga-lhe que esta noite tem uma surpresa para ela. Depois, com uma voz calma, explique o jogo ao seu filho: “Este jogo é para crianças mais velhas que vão para a cama sozinhas. A primeira noite vou acompanhar-te para ver se estás preparado para jogar”.

Previamente faça um desenho que irá dividir em várias peças. Depois recorte essas peças. Ensine ao seu filho que só saberá o desenho que ali está quando juntar todas as peças. Dessa forma, todas as noites irá completando um bocado. Para isso, a cada dia a criança encontrará uma peça debaixo da almofada. No entanto, essa peça do desenho só estará debaixo da almofada se a criança se deitar sozinha. Só quando a criança estiver deitada é que poderá ver o que está debaixo da almofada. Depois dê um beijo de boa noite ao seu filho e coloque a peça na mesinha de cabeceira. De manhã, assim que se levantarem pegam na peça e irão juntá-la às outras, isto até terminarem o desenho.

Assim, todas as noites a criança irá encantada para a cama à hora que lhe disser para ver como vai completar o seu desenho.

“Brinco sozinho ao acordar!”

Depois de uma dura semana de trabalho, chega o fim-de-semana e está a desejar pode dormir umas horas mais, mas chegam as 8 da manhã e já tem o seu filho na sua cama disposto a começar o dia! Se ao menos estivesse entretido até às 9 da manhã …

As crianças com menos de 5 anos acordam mais ou menos à mesma hora. Por isso, conseguir que o seu filho se entretenha durante um bocado é a chave para poder descansar mais ao fim-de-semana.

Prepare uma caixa para guardar brinquedos (se possível com alguns brinquedos novos) e guarde-a debaixo da cama. Escolha brinquedos para os quais não seja preciso a presença de um adulto, já que a graça é que a criança os possa usar sozinha. Pense também num prémio final!

Escolha um dia do fim-de-semana para começar. Na noite anterior explique à criança que vai iniciar um jogo fascinante: “Amanhã de manhã terás uma grande surpresa no teu quarto. Já estás crescido e pensámos que pode estar sozinho no teu quarto a brincar quando acordares, isto em vez de ires chamar os pais. Quando acordares terás debaixo da tua cama uma caixa cheia de brinquedos e poderás brincar com eles até nós acordarmos!”.

Depois deve explicar ao seu filho que não deve fazer muito barulho nem acordar os pais: “Estarás no teu quarto e nos iremos dormir mais um bocado. Assim, quando acordarmos, tomaremos o pequeno-almoço juntos e terás uma pequena recompensa por cuidares do papá e da mamã”.

É fundamental que a criança não saiba quais são os brinquedos que estão na caixa. Nos primeiros dias deve levantar-se na mesma e observar o que a criança faz para que depois consiga dormir tranquila. Se quer que permaneça uma hora a brincar sozinho, deverá começar por meia hora. Quando passar este tempo, entre no quarto e felicite o seu filho. Recolha os brinquedos e diga-lhe que no dia seguinte poderá fazer o mesmo. Gradualmente, vá aumentando o tempo do jogo, mas não abuse. Isto porque se passa demasiado tempo apenas irá cansar a criança e esta irá acabar por perder a emoção da brincadeira.

Ao terminar, não se esqueça de recolher os brinquedos com a criança nem de felicitá-la perante outras pessoas “ O meu filho está tão crescido: brinca sozinho no seu quarto para que nós consigamos dormir!”.



Fecha de actualización: 14-10-2008

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>