Os animais de estimação e as crianças!

Os animais de estimação e as crianças!
Partillhar

 

Ter um animal de estimação em casa pode ser bom tanto para as crianças como para as famílias em diferentes aspectos, mas também pode originar certos riscos, como as alergias ou as infecções. Tome nota das regras para desfrutar ao máximo da convivência com um animal de estimação.

 

 

Cães, gatos, hamsters ou tartarugas …

A maioria das crianças na hora de escolher um animal de companhia preferem, em primeiro lugar, os cães, depois os gatos e em terceiro lugar as pequenas mascotes como os hamsters, as tartarugas ou os peixes. Esta ordem de preferência corresponde à companhia e às possibilidades de compartilharem os seus jogos com os cães e os gatos, que em muitas ocasiões chegam a converter-se nos melhores amigos das crianças.

 

No entanto, são muitos os aspectos que devemos ter em conta na hora de escolher um animal de estimação. Em primeiro lugar devemos ser conscientes do tempo disponível para cuidar dele, assim como do espaço que temos em casa para o animal. São seres que vão depender tanto física como afectivamente de nós. Se se trata de um cachorro, necessitaremos de mais tempo e paciência para que aprenda qual é o seu lugar num novo grupo e o significado das nossas ordens. Se não se vê capaz de educar o cachorro adequadamente ou se não tem paciência ou tempo suficiente, o melhor é deixar-se ajudar por profissionais.

No te puedes perder ...

Os animais de estimação e as crianças!

Os animais de estimação e as crianças!

 

Ter um animal de estimação em casa pode ser bom tanto para as crianças como para as famílias em diferentes aspectos, mas também pode originar certos riscos, como as alergias ou as infecções. Tome nota das regras para desfrutar ao máximo da convivência com um animal de estimação.

 

 

 

Também é importante pensar o que vai fazer durante as férias, se tem a possibilidade de levar o animal consigo ou de alguém tomar conta dele. Um animal não é um capricho passageiro, nem um brinquedo para crianças, são seres vivos que necessitam que alguém os alimente, lhes dê banho, que cuidem deles e que os queiram. Outro aspecto importante são as circunstâncias pessoais de cada um, um animal de estimação não só implica tempo, como também um certo desembolso económico na alimentação, veterinário, com o pêlo, etc.

 

Os pais são os responsáveis por ensinar os seus filhos a tratar dos animais

Depois de reflectir sobre o que foi dito anteriormente, deve preparar as crianças sobre aquilo que supõe a chegada de um animal. Há que fazer-lhes compreender que não é um brinquedo que podem deixar de lado quando se aborreçam. É muito positivo que leia livros às crianças sobre as tarefas delas com o animal de estimação. Isto sem esquecer a idade e o amadurecimento dos seus filhos, já que os responsáveis finais são os pais que devem supervisionar sempre os filhos enquanto estes estão a tomar conta ou a brincar com o seu novo amigo.

 

Que benefícios traz o facto de se ter um animal de estimação em casa?

Numerosos estudos comprovam que as crianças que crescem junto de um animal de estimação desenvolvem um maior sentido de responsabilidade ao descobrirem como o animal necessita de atenção e dos seus cuidados. Para além disso, potenciará a capacidade de empatia e compaixão dos seus filhos. Muitos adquirem uma maior auto-estima como consequência da sua relação com o animal. Por outro lado, as crianças com animais de estimação observam condutas biológicas que enriquecem o seu conhecimento do mundo animal e o seu entendimento do necessário que é a adaptação a realidades diferentes que logo se estendem a relações interpessoais.

 

Dessa forma, as famílias com animais de estimação passam mais tempo juntas, interagindo com os seus animais de companhia, realizando actividades, etc. As crianças potenciam o seu desenvolvimento da linguagem enquanto falam com animal e favorecem a sua capacidade de linguagem não verbal ao observarem comportamentos que convergem em significados concretos.

 

Alguns riscos …

Os animais de companhia apresentam certas substâncias que podem desenvolver alergias em pessoas geneticamente predispostas. A aparição dos sintomas alérgicos e a sua intensidade dependem da quantidade de alérgenos presentes no ambiente. As medidas a tomar são:

 

Também é importante ter em conta os parasitas que podem albergar no animal, tanto internos como externos, como podem ser as pulgas, os piolhos, as carraças, etc. A melhor coisa que pode fazer é uma desparasitação periódica e umas análises de fezes de tempo a tempo, isto para comprovar que tudo está bem. No entanto, em qualquer caso é fundamental ensinar às crianças que a higiene é a medida mais necessária que devemos adoptar. É fundamental lavar as mãos depois de ter estado em contacto com o animal e antes de comer. Respeite as vacinações, estas fazem parte do plano de saúde preventiva do animal. Com elas evita as possíveis doenças de viroses que em alguns casos podem chegar a ser muito graves, embora só cheguem a afectar o animal.

 

Conselhos de TodoPapás

- Restringir o acesso do animal aos quartos onde as pessoas que sofrem de alergias se encontrem mais tempo.

 

- Dar banho ao animal uma vez por semana com um champô específico de uso frequente.

 

- Limpe diariamente a cama, a caixa de da areia ou a casota do animal.

 

- Lave a roupa que entra em contacto com o animal, passe o aspirador semanalmente e tente evitar tudo aquilo que favoreça a acumulação de pó e pêlos, como as almofadas, as paredes forradas, etc.

 

- Consulte um alergologista que a oriente no seu caso concreto.

 

- Não se precipite na hora de trazer um animal para casa. Escolha um animal que se adapte ao seu modo de vida e que tenha o tamanho adequado às circunstâncias.

 

- Antes de levar o animal para casa fale com as crianças sobre as tarefas e as responsabilidades que têm de ter com o animal, isto tendo em conta a idade e o amadurecimento das crianças.

 

- Ensine as crianças a respeitar os animais, pois são seres vivos com necessidades de alimentação, de cuidado e de carinho.

 

- Desfrute, juntamente com os seus filhos, do novo membro da família. Aproveite para realizar actividades conjuntas, tanto no cuidado com o animal como nas brincadeiras.

 

- Vá regularmente ao veterinário com o animal. Cumpra o calendário de vacinações.

 

- Siga as instruções do veterinário no que diz respeito à frequência dos banhos e da higiene do animal, bem como das necessidades de fazer exercício ou de alimentação.

 

- Não deixe a criança sozinha com o animal e preste sempre atenção antes de possíveis comportamentos agressivos por parte do animal.

 

- Recorde-se que a responsabilidade final é sempre dos pais que devem educar os animais e ensinar as crianças a tratarem deles de uma maneira adequada.



    Fecha de actualización: 18-08-2005

    Redacción: Irene García

    TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

    ×


    ×
    ×
    ×
    */?>