Pensar, também se ensina às crianças!

Pensar, também se ensina às crianças!
Partillhar

Para as crianças se desenvolverem como seres humanos é fundamental que aprendam a pensar. Na era da tecnologia e da imagem em que vivemos são muitos os estímulos recebidos que promovem uma atitude intelectual passiva nos mais pequenos. Dessa forma as crianças não se habituam a reflectir.

Pensar é compreender e captar o significado do que se ouve e do que se lê. Pensar é reflectir e reconsiderar um assunto de diferentes pontos de vista. Pensar não é só aplicar os processos mentais lógicos. É também formular opiniões, ideias e tomar decisões próprias…

Os nossos filhos vivem numa época em que o acesso à informação é quase infinito. No entanto, as crianças começam a ser pessoas instruídas mas ‘’não pensantes’’. Podem memorizar todos os versos da obra de um poeta ou mesmo a tabela periódica contudo, serão incapazes de meditar e resolver um assunto da vida quotidiana.

Para ensinar as crianças a pensar é necessário não só a participação de educadores mas também dos pais (que devem ter maior importância nesta tarefa). Aqui ficam algumas dicas para ajudar nesse trabalho.

A leitura é indispensável

A leitura é uma das melhores maneiras para ensinar uma criança a raciocinar. A leitura, em conjunto com as conversas com os outros, é o que mais ajudará a despertar ideias na cabeça de uma criança. As histórias ajudam a desenvolver a imaginação e a pensar de noutras perspectivas. O interesse pela leitura pode ser incutido desde muito cedo. No mercado existe uma grande variedade de livros para bebés: livros para o banho, sistemas multimédia para aprender a ler, histórias, livros para ler e colorir, livros sobre diversos temas, revistas infantis, etc.

Os animais de estimação e as crianças!

Os animais de estimação e as crianças!

 

Ter um animal de estimação em casa pode ser bom tanto para as crianças como para as famílias em diferentes aspectos, mas também pode originar certos riscos, como as alergias ou as infecções. Tome nota das regras para desfrutar ao máximo da convivência com um animal de estimação.

 

 

Conselhos para promover o gosto pela leitura

- É importante que os livros estejam ao alcance das crianças: na sala, no banho e no quarto.

- Leia às crianças desde pequenas.

- Leia diferentes livros durante a semana e aumente o número de leituras progressivamente.

- Utilize jogos com letras, palavras e abecedários.

- Ensine o seu filho a encontrar livros em livrarias ou bibliotecas adequados ao seu gosto e idade.

- Elogie o seu filho pelos livros que leu e mostre-lhe os progressos que fez e o que tem aprendido.

- Compre programas multimédia que reforcem as competências linguísticas das crianças. Os exercícios devem ser adaptados ao grau de desenvolvimento do seu filho e para além de leitura devem ser de linguagem e ortografia.

- Mostre interesse pelos livros que a criança lê e pergunte-lhe o que é que aprendeu e o que é que mais lhe chamou à atenção. Faça perguntas sobre as histórias que o seu filho está a ler, por exemplo: Como é que o cavaleiro pode sair do castelo? Etc.

- Leve sempre algum livro consigo para que a criança possa aproveitar o tempo de espera, por exemplo enquanto aguarda por uma consulta.

- Incentive o seu filho a ler para os irmãos ou familiares mais novos.

- Não se esqueça de levar livros quando vão de férias.

- Incentive a criança a ler cartazes e revistas infantis.

Como pais devem encontrar o momento e o tempo certo para falar com as crianças sobre todos os temas: durante um passeio, de um encontro familiar importante, etc. Aproveite para falar com calma com o seu filho. Primeiro é necessário que oiça a criança para perceber como está organizada a sua cabeça. É muito importante que deixe a criança falar, explicar e fazer perguntas. Só depois é que você vai intervir fazendo perguntas ou observações para ver como é que o seu filho é capaz de argumentar.

Se existe alguma coisa que caracteriza as crianças quando começam a descobrir o mundo é a sua capacidade para formular perguntas sobre tudo o que está ao seu redor. Quando o seu filho o faz não dê resposta a todas as perguntas. Deixe que seja ele mesmo a encontrar as respostas. Obviamente que existem perguntas às quais tem de responder: Posso ir brincar com o Luís? O que é que é o jantar? etc. Desta maneira, vai fazer com que a criança passe a reflectir bem antes de fazer uma pergunta. Você pode orientar o seu filho, no entanto, é melhor que ele encontre, com a sua ajuda se necessário, a resposta certa para algo. Por exemplo, faça-lhe as seguintes perguntes: Como é que achas que podemos cortar isto? Como é que tu farias?

Para aprender a pensar de forma racional e melhorar capacidades como o raciocínio ou a tomada de decisões é importante que pensem de forma convencional. Envolva o seu filho em alguns assuntos de adultos (onde colocar o sofá, que compras fazer, etc.). Não exclua as crianças com a desculpa de que o tema não interessa. Se contar com o seu filho para alguma situação ele vai sentir-se importante. Da mesma maneira, não despreze as suas ideias mesmo que lhe parecem absurdas. Procure o lado positivo e incentive as crianças a continuar.

Também é importante que as crianças aprendam a tomar decisões rapidamente. Logicamente que tem de ter em conta a idade da criança já que a um bebé com dois anos não poderá perguntar que roupa quer comprar ou como é que quer ir vestido. Devemos ajudar as crianças a tomar decisões que se adaptem às suas possibilidades.

No entanto, não deve carregar o seu filho com responsabilidades que não pode assumir. Comece por perguntar-lhe o que é que quer comer ao pequeno-almoço, que camisola quer, com quem quer jogar, etc. O importante é que faça perguntas às crianças às quais elas possam responder. Deve sempre ter em conta que uma vez que pediu ao seu filho para tomar uma decisão deve levá-la em frente, mesmo que você não esteja totalmente de acordo.

A opinião da criança também conta

- Aproveite as refeições em família ou as viagens no carro para fazer perguntas e falar sobre alguns temas. Evidentemente que não é preciso abrir um debate sobre politica, simplesmente pense em algum tema que poderá interessar ao seu filho e com o qual poderá fazer a criança pensar. Comece por colocar perguntas simples e que consigam responder sem grande problema: Sabes porque é que vamos a praia no Verão? Sabes porque é que não podemos deixar uma torneira aberta o dia todo?, etc.

- Seja qual for a sua opinião, esteja ou não de acordo, puxe pela criança para que esta argumente o seu ponto de vista da melhor maneira possível: Não achas que se houvesse mais animais no Jardim Zoológico nós podíamos conhecer mais espécies?

- Procure não pressionar o seu filho. A criança deve sentir-se livre para poder expressar as suas ideias e a sua postura.

-Não se esqueça de elogiar o seu filho se este tiver boas ideias ‘’Muito bem pensado, tens razão!’’.

Apenas quando as crianças são capazes de raciocinar por si mesmas é que estão preparadas para enfrentarem o mundo. Por isso, é fundamental que dominem o pensamento prático, que sejam capazes de tomar decisões e que possam manifestar a sua opinião livremente.




 

0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×