Brincadeiras, uma grande ajuda no desenvolvimento do meu filho!

Brincadeiras, uma grande ajuda no desenvolvimento do meu filho!
Partillhar

As brincadeiras são um facto fundamental para o desenvolvimentos da criança, que para além de se divertir e de socializar através desta actividade, aprende a expressar livremente os seus sentimentos, potencia as suas capacidades sensoriais e o entendimento do seu próprio corpo.

As brincadeiras criam um vínculo de cumplicidade entre pais e filhos

Se queremos estimular a inteligência dos nossos filhos desde pequenos, é recomendável brincar com eles desde muito jovens. Dependendo do tipo de brincadeiras ajudaremos as crianças a potenciarem a sua parte física ou a sua parte intelectual. Por exemplo, as brincadeiras de actividades físicas e de coordenação são as mais indicadas para o desenvolvimento do seu corpo, da concentração, da memória e relação, etc. Para além disso, brincar com as crianças ajuda a criar um vínculo de cumplicidade entre pais e filhos.

 

Muitos jogos infantis baseiam-se na interpretação de papéis distintos e personagens, como brincar às visitas, às mamãs ou aos polícias e ladrões. Desta forma, as crianças imitam um comportamento específico que as ajuda no processo de socialização primária, aprendendo a assumir um papel social.

No te puedes perder ...

As brincadeiras, ao serem um processo colectivo, favorecem a capacidade da criança para actuar na sociedade, para defender o seu ponto de vista e para contar com os outros. As brincadeiras com uma participação activa das crianças são as mais indicadas para fomentar o pensamento crítico, a capacidade de atenção e a autoconfiança. Para além de implicar a expressão oral, as brincadeiras fazem com que a criança manifeste os seus sentimentos e opiniões.

Também é importante o desenvolvimento mental que as brincadeiras implicam nos mais pequenos, assim as crianças colocam em prática a sua iniciativa inventiva, a sua capacidade de decisão e de resolverem problemas. Para além disso, aprendem a diferenciar entre o mundo imaginário e o mundo de fantasia, que, de certa forma, potenciam a criatividade infantil e o mundo real.

Com os estímulos sensoriais adequados a criança desenvolve a sua capacidade física, intelectual e emocional

Especialmente entre o primeiro e o terceiro ano de vida o bebé desenvolve um ritmo de vida assombroso: a sua curiosidade e sede de conhecer parecem insaciáveis. É cada vez mais ágil fisicamente e mais sociável. Aos poucos meses, provavelmente desfrutará brincando com as crianças da mesma idade e até aos três anos começa a relacionar-se com elas. Proporcionando os estímulos adequados através das brincadeiras, os pais podem contribuir para o desenvolvimento dos seus filhos que, dessa forma, descobrirão o mundo que os rodeiam.

Pode estimular a criança através de jogos simples como agrupar objectos de acordo com as suas características, por exemplo por formato, cores, ordenar coisas de acordo com o tamanho, de maior a menos ou vice-versa. As brincadeiras com legos, blocos e todo o tipo de construções desenvolvem a visão espacial da criança e as suas habilidades físicas. A partir dos 3 anos pode começar a fazer puzzles com o seu filho.

Para aprendizagem de acções sociais, é recomendável brincar com a criança ao “dar e receber”, isto para ensinar-lhe a compartilhar e a dizer “obrigado” e “se faz favor”.

Também pode estimular o seu pensamento lógico introduzindo a criança no mundo dos conceitos, com por exemplo distinguir a esquerda da direita, a horizontal da vertical, quantidades, etc.

No que diz respeito ao desenvolvimento físico o mais adequado são os jogos de movimento que favorecem a coordenação, o controlo do corpo e o desenvolvimento muscular. Pode brincar com o seu filho com uma bola de esponja, para evitar que se aleije, ou colocar um pouco de música e dançarem juntos.

 

 

 

 

 

    



Fecha de actualización: 13-07-2005

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>