×
  • Buscar
Publicidad

Viajar com crianças

Viajar com crianças

Como mãe já deve ter reparado que as crianças não percebem situações como estas e não entendem que não podem ter tudo quando querem. A capacidade para esperar é uma habilidade que é apreendida e construída ao longo da vida, mas que começa a desenvolver-se desde criança.

Publicidade

Quando é necessário esperar os mais pequenos tornam-se irrequietos e irritantes. Para tornar a espera menos insuportável para os adultos e divertida para os mais novos tente manter as crianças ocupadas oferecendo-lhes actividades e jogos que despertem a sua atenção. O tipo de jogo irá depender do sítio onde está. Aqui ficam uns truques muito úteis para que não entre em desespero enquanto espera:

Coloque pequenos brinquedos dentro da mala. Não ocupam muito espaço e numa emergência pode sempre recorrer a eles para entreter os mais novos. Os mais essenciais são aqueles que podem ser utilizados de múltiplas maneiras. Evite aqueles que têm apenas uma utilização e opte por exemplo por lápis, canetas e papel. Escolha também objectos que permitam jogar de várias maneiras. Coloque os brinquedos numa pequena bolsa e leve-a sempre consigo junto ao telemóvel, à carteira e às chaves. Não se esqueça de ir trocando os brinquedos de vez em quando para reciclar as possibilidades das crianças. Vai ver que não se arrependerá!

No te puedes perder ...

Y tambien:

Era uma vez … Leve um livro consigo ou então invente uma história! Um conto criativo irá captar a atenção dos mais pequenos e, dessa forma, tornar a espera mais calma. Pode guardar alguns livros no carro ou recriar uma história com elementos que a rodeiam. A criança irá sentir-se mais envolvida e para si será mais fácil contar a história. Pode sempre pedir ao seu filho que seja ele a contar uma história!

No caso de se esquecer de brinquedos pode sempre usar a criatividade para salvar a situação. Jogue às adivinhas, aos trava-línguas, citem palavras ou objectos que começam por determinada letra, realize jogos em que utilizem as mãos, etc.

Ensine os mais novos a serem pacientes com o próprio exemplo. Não se queixe ou mostre que está chateada por estar à espera. O seu filho irá copiar a sua atitude. Esperar faz parte da vida e admitir que está certo disso pode ser muito benéfico. Especialmente no caso dos mais novos que devem aprender que tudo pode ser divertido e estimulante 24 horas por dia. Aprender a não ficar aborrecida também faz parte do seu desenvolvimento.

A segurança, o mais importante

Um dos aspectos mais importantes das viagens de automóvel com as crianças, é a especial atenção que se deve ter com respeito à segurança rodoviária. A pesar das tentativas da DGV com as suas últimas campanhas para consciencializar os cidadãos sobre a importância da segurança rodoviária, os números de acidentes de trânsito continuam a ser arrepiantes.

Pense antes de conduzir

1. Os cintos de segurança salvam vidas. São a medida individual mais efectiva e menos custosa para os ocupantes do veículo. O uso do cinto de segurança melhora a possibilidade de sobrevivência entre 40 a 60%.

2. Os encostos de cabeça podem evitar lesões cervicais motivadas por choques e travagens que afectam o delicado  pescoço. A nível mundial estas lesões representam 35% do total de problemas sofridos por causa de acidentes de trânsito.

3. Os pneus são um dos elementos de segurança menos considerado pelo público.

4. Assentos para crianças: as crianças devem sempre usar cadeiras-auto ou elevadores de assento até chegarem ao 1,50 m. (por volta dos 8-11 anos). Segundo um relatório norte-americano, os dispositivos de segurança infantis tem uma eficácia de 71% na redução da mortalidade em acidentes de trânsito entre os menores de um ano e 54% entre as crianças de 1 a 4 anos.  Mesmo assim, o uso destes dispositivos específicos para crianças reduzem o risco de danos em caso de choque em 59% mais que o cinto de segurança.


Fecha de actualización: 19-10-2005

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.