Terapia psicológica para crianças surdas

 Terapia psicológica para crianças surdas
Partillhar

Surdez é a incapacidade de ouvir sons, que podem ser completos ou parciais, caso em que é chamada hipoacusia. As crianças surdas podem ser surdas ao nascer ou por causa de um problema ou doença que surge na infância. Não ser capaz de ouvir ou comunicar com os outros de uma forma normal pode causar muitos problemas psicológicos. É por isso que, em alguns casos, precisam de ir à terapia.

As crianças que são completamente deficientes auditivos, isto é, surdas, não conseguem ouvir nenhum som, o que dificulta a sua comunicação porque não conseguem ouvir o que as outras pessoas estão a dizer. A surdez pode ser um defeito de nascimento, causado por uma malformação produzida durante o desenvolvimento fetal, ou adquirida, causada por infecções, doenças como meningite, trauma, etc.


No segundo caso, se a criança ficar surda com mais de 3 anos, poderá falar sem problemas, pois já aprendeu a fazê-lo, embora seja possível que o faça de forma mais lenta ou diferente, porque não consegue ouvir-se a si mesma, o que pode dificultar a fala. As crianças surdas à nascença têm normalmente muitos problemas em aprender a falar e fazem-no com dificuldade, embora seja possível. Portanto, alguns se comunicam exclusivamente através da linguagem de sinais e outros misturam linguagem de sinais com a fala.


Portanto, a ajuda de especialistas especializados do bebé é muito importante para garantir que ele se comunica corretamente, de qualquer forma, uma vez que a comunicação com os outros é essencial para não isolar ou apresentar outros problemas que podem causar essa deficiência, tais como baixa auto-estima, problemas escolares, depressão, insegurança, ansiedade, e assim por diante.

Terapia psicológica para crianças através de jogos

Terapia psicológica para crianças através de jogos

Para crianças pequenas, a terapia psicológica por meio de terapias convencionais, como psicoterapia ou terapia comportamental, pode não ser muito eficaz, especialmente se você ainda não consegue falar corretamente ou achar difícil expressar seus sentimentos e pensamentos. Portanto, em crianças pequenas, é normal que a terapia seja realizada através de jogos e desenhos.


Para as crianças surdas ao nascer, pode ser mais fácil aceitar sua deficiência porque estão acostumadas a ela, mas também pode chegar um momento em que elas se rebelam contra sua "má sorte" e se perguntam por que isso aconteceu com elas, o que pode levar a atitudes negativas, desafio à autoridade, rebelião, má conduta, comportamento perigoso, etc.


E para aqueles que de repente ficam surdos, também pode ser difícil aceitar sua nova deficiência e as mudanças que ela trará para suas vidas e futuros, então ambos podem precisar de ajuda psicológica para aceitá-la e perceber que podem viver uma vida plena e feliz apesar de não serem capazes de ouvir.


Terapia psicológica para crianças surdas


Ao procurar um psicólogo para o seu filho surdo, é importante encontrar um profissional especializado nesta área, pois as limitações de comunicação do seu filho podem tornar necessário que ele conheça, por exemplo, a linguagem de sinais.


A primeira coisa que o psicólogo fará é uma avaliação geral da criança para verificar que problemas ou transtornos mentais devem ser tratados, já que não é a mesma coisa que a criança está deprimida do que não aceitar sua deficiência. Uma vez confirmado o problema, o psicólogo procurará a melhor terapia para o ajudar.


Ele pode recorrer à terapia lúdica se a criança for menor de 10 anos, psicoterapia, terapia cognitivo-comportamental, etc.

 

A musicoterapia, embora possa parecer incrível, é muito benéfica para as crianças surdas, pois, embora não possam ouvir a música, podem sentir as vibrações e sensações que ela produz. Alguns dos benefícios que a musicoterapia oferece às crianças surdas são: favorecer a integração escolar e social, favorecer as interacções sociais, ajudá-las no seu desenvolvimento psicomotor, sensorial e perceptivo, melhorar a linguagem e a fala, aumentar a sua auto-estima e confiança, melhorar o equilíbrio (órgão afectado pela surdez), etc.


Por outro lado, pode ser necessário que a família faça terapia tambem ao mesmo tempo que a criança ou em sessões individuais para que o psicólogo dê uma série de orientações aos pais para saberem como ajudar a criança no seu desenvolvimento, evitando os problemas acima mencionados.


Além disso, a atenção precoce vai evitar que a criança desenvolva problemas mais sérios que podem mais tarde ser mais complicados de tratar, como transtornos alimentares, depressão, ansiedade, fracasso escolar, mau comportamento e comportamentos perigosos, como vícios ao álcool, drogas, sexo desprotegido, e assim por diante.


Portanto, se você notar quaisquer sintomas em seu filho que o preocupem, não hesite em consultar o pediatra ou um profissional de saúde para evitar ir mais longe. E lembre-se de encontrar um psicólogo especializado em crianças com deficiência auditiva para que você saiba como ajudar o seu filho de forma eficaz.

 

 

 


Fontes:

"Psicoterapia em Famílias com Membros Surdos: Un modelo Sistémico", Marcelo Salamanca Salucci, Carolina Guadalupe Picón, 2008, http://www.cultura-sorda.org/wp-content/uploads/2015/03/Salamanca_Picon_Psychoterapia_sistemica_sordos_2008.pdf

SILVESTRE, N (1998): Surdez, comunicação e aprendizagem. Barcelona. Masson.

SUÁREZ, M. e TORRES, E. (1998): Family education and development in surdo children.

Foto: Freepik.com

Redacçao: Irene García


0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×