O Natal de filhos de pais separados

O Natal de filhos de pais separados
Partillhar

Alguns estudos revelam que são cada vez mais os casais que se separam e o certo é que esses pais podem encontrar no Natal uma época particularmente dura. Isto pelo que pode implicar no que diz respeito a possíveis discussões e ausências dos seus filhos nestas datas tão especiais.

Então, qual é a melhor opção?

“Há que normalizar. O que faz com que as festas de Natal sejam tristes ou felizes para as crianças são os pais, pelo que se uma criança ouve: pobrezinho é Natal e não tem o seu pai ou a sua mãe, vai ficar triste. No entanto, sendo realistas, se em outras ocasiões sabe que o momento de ver o seu pai ou a sua mãe chega quando assim o tem estipulado (a cada 15 dias, por exemplo), no Natal será igual, sempre e quando não dramatizarmos os maiores” afirma a psicóloga Sonia Macías. Embora seja normal que o seu filho estranhe o facto de não passarem o Natal todos juntos, há que tentar normalizar a situação e fazer com que faça parte da vida rotinária. Agora o seu filho tem duas casas e duas famílias e terá que passar o tempo suficiente com ambas, o mesmo que acontecerá nas férias de Verão, pelo que terá de facilitar que passe o tempo necessário tanto com o pai ou com a mãe como com as suas respectivas famílias.

No te puedes perder ...

A 3ª semana de gravidez

A 3ª semana de gravidez

Apesar de não saber que está grávida, o teu bebé cumpre uma semana de vida e vai continuar a crescer e a desenvolver-se. O blastócito implanta-se no endometrio e forma a placenta, já o líquido amniótico começa a juntar-se formando um saco.

Para além disso, há que ter em conta que cada família tem um ritual de Natal, pelo que a criança deve poder relacionar determinada actividade com o seu pai ou com a sua mãe, ou seja, ceia de Natal em casa do pai, abertura de prendas em casa da mãe, ceia de Natal em casa da avó, etc. Mas tenha sempre em atenção: apesar de ser um momento estranho para a criança (principalmente se for a primeira vez) não deve substituir a presença do progenitor por uma maior quantidade de prendas.

A primeira coisa a fazer é explicar a situação à criança e depois os pais devem decidir entre elas as datas e os momentos em que cada um vai ter a guarda da criança. Façam-no de forma pacifica e, principalmente, sem afectar a criança para que esta tenha um Natal feliz e sem percalços. 


 


0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×
*/?>