• Buscar
Publicidad

Quais são as causas e as consequências do bullying?

Quais são as causas e as consequências do bullying?

O bullying está presente diariamente e cada vez com mais frequência. Infelizmente, são muitas as crianças que têm que sofrer o bullying na escola.

Publicidade

Índice

O que é o bullying?

O bullying é o assédio físico ou psicológico ao qual subordinam, de forma continuada, um aluno os companheiros da turma. É certo que não sempre é na mesma escola, as vezes das escolas vizinhas podem se transladar para começar com o bullying.

Essa forma de maltrato psicológico, verbal ou físico produzido entre estudantes de forma reiterada nas aulas é cada vez mais presente nas redes sociais, conhecido como ciber- bullying, caracterizado principalmente pela utilização de médios de comunicação digitais para assediar mediante a divulgação de uma informação confidencial ou falsa. Isso também é bullying.

Causas do bullying

As causas que fazem com que uma criança ou adolescente assediar outra podem ser tanto familiares, quanto por falta de controle ou vigilância da escola.

A questão das causas pessoais é porque normalmente a criança faz o bullying sobre outra , quando é humilhada pelos adultos. Esse aluno se sente superior, bem porque conta com o apoio de outras crianças ou porque a vítima que sofre o bullying tem poucas capacidades para respondes as agressões.

Em relação a questão familiar está relacionada com a forma de expressar seus sentimentos no entorno familiar pouco afetivo, onde por exemplo existem situações de ausência de algum familiar (do pai ou da mãe), um divórcio ou abuso feita pelos pais ou pelos irmãos mais velhos. Pode ser um menino que esteja baixo uma pressão constante na sua casa ou, inclusive, excessivamente mimado.

Todo isso pode provocar um comportamento agressivo, até inclusive de adultos.

Consequências do bullying

As consequências para a vítima são muitas e algumas delas, irreversíveis. Uma autoestima baixa, uma atitude passiva, perdida de interesse pelos estudos, depressão, ansiedade, trastornos emocionais, problemas psicossomáticos e inclusive pensamentos suicidas.

A criança agresora se sente frustrada porque sua convivência com outras crianças é mais difícil porque sente a recusa de algumas crianças. Seu rendimento acadêmico será mais baixo, terá dificuldade para cumprir as normas e suas relações sociais serão bastante negativas.

Como agir se meu filho sofre bullying?

Se pensas que teu filho sofre bullying, primeiro terás que saber o que aconteceu. As recomendações da Associação Espanhola para a Proteção do Assédio Escolar (AEPAE) são:

- se aconteceu na aula, pedir uma tutoria.

- verificar se foi um episódio pontual ou aconteceu em mais ocasiões.

- animar teu filho para ele comunicar esses episódios.

- oferecer ferramentas de defesa pessoais tanto verbais como físicas.

- conseguir que a criança saiba que tú estás perto dele para ajudar e proteger.

Se já sabes que não é um episódio pontual:

- os pais terão que tentar saber toda a informação possível sobre o que aconteceu, onde aconteceu, quando aconteceu, com quem aconteceu... Depois de saber a informação se deve que fazer uma cronológia (se existem partes médicos ou psicológicos se ajuntam).

- rápidamente, falar toda a informação ao tutor ou tutora do seu filho e pedir que se investiguem os fatos acontecidos.

- numa segunda reunião, o centro deve informar das medidas de proteção que estão postas na criança.

- se o bullying continua, terá que solicitar uma reunião com o chefe de estudos ou com a direção da escola para solucionar o problema com urgência. Se não se consegue acabar com o bullying, se deve denunciar os fatos.

Como prevenir o bullying?

As recomendações da prevenção do bullying são:

- observar o comportamento do teu filho para detetar possíveis mudanças.

- fomentar um clima de confiança com a criança para que sinta que pode confiar em ti.

- passar tempo a diário com tua criança.

- põe limite ao comportamento do teu filho. Que tenha responsabilidades e auto-estima.

- ensina mostrar os sentimentos sem medo.


Fecha de actualización: 18-09-2020

Redacción: Ana Ruiz

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×