Higiene bucal: cuidados a ter com os dentes de leite!

Higiene bucal: cuidados a ter com os dentes de leite!
Partillhar

Apesar do que a maioria dos pais pensa, os dentes de leite também podem sofrer cáries e outras doenças dentais. Por isso, uma higiene adequada é fundamental desde que nascem os primeiros dentes. Assim, é importante incutir o hábito de lavar os dentes nos seus filhos.

Apesar do que a maioria dos pais pensa, os dentes de leite também podem sofrer cáries e outras doenças dentais. Por isso, uma higiene adequada é fundamental desde que nascem os primeiros dentes. Assim, é importante incutir o hábito de lavar os dentes nos seus filhos.

Desde quando é que se tem de lavar os dentes?

A partir do sexto mês começam a surgir os primeiros dentes nos bebés, embora como sempre isto dependa do desenvolvimento de cada criança. Entre o 6º mês e os 3 anos crescem todos os dentes de leite. E a partir do momento em que sai o primeiro, há que iniciar a higiene bucal do bebé, nunca espere pelos dentes permanentes, já que os dentes de leite também podem sofrer de cáries e a prevenção é fundamental. É imprescindível que as crianças tenham uma correcta saúde oral e que adquiram rotinas de higiene bucal.

A importância dos dentes de leite é vital para que a criança possa mastigar correctamente durante os primeiros anos e ter uma boa alimentação e um correcto desenvolvimento, para o que requer uma boa dentadura. Embora a maioria dos pais não protejam os dentes temporários, acreditando que não é necessário já que vão acabar por cair, estes são muito importantes na formação da dentadura definitiva e se não se cuidam adequadamente podem provocar cáries, dores e inflamações severas.

Escovar os dentes das crianças: começar cedo e bem!

Escovar os dentes das crianças: começar cedo e bem!

Uns dentes saudáveis são fundamentais para desfrutar de uma infância saudável. Os dentes servem para mastigar, para pronunciar com clareza e para exibir um sorriso resplandecente. Os pais desempenham um papel fundamental na saúde dental dos seus filhos.

Dessa forma, de todos os grupos de idade, as crianças são o de maior risco de apresentar cáries, já que tendem a comer com mais frequência. Ensine as crianças a não comerem alimentos doces nem bebidas açucaradas e ofereça-lhes alimentos saudáveis, como o pão e a fruta que as ajuda a conservar os dentes sem cáries.

Ao princípio têm de ser os pais a lavar os dentes do bebé com um pano limpo humedecido em água ou em soro. À medida que a dentição se completa (mais ou menos aos 3 anos) deve começar a usar uma escova especial e macia para não danificar as gengivas. Deve-se utilizar uma escova pequena (1,5 cm) para que possa chegar a todas as partes do dente. Para além disso, é ideal que seja de nylon.

A pasta de dentes não deve conter flúor porque nesta idade as crianças podem comê-la e a sua ingestão pode produzir fluorose dental, uma doença que interfere na formação do esmalte. Apenas deve conter flúor se a criança tem cáries, já que remineraliza o esmalte protegendo-o.

Quando for você a lavar os dentes à criança, faça-o da mesma maneira como lava os seus dentes. Pode ajudar a situar-se atrás da criança e inclinar a sua cabeça para trás.

- Comece por limpar a superfície dos dentes com um movimento de trás para a frente.

- Para a superfície exterior dos dentes, coloque a escova num ângulo de 45º em direcção com a linha das gengivas.

- Faça movimentos suaves e breves, movendo a escova de trás para a frente.

- Para limpar as superfícies frontais interiores, mantenha a escova para cima e faça movimentos suaves de cima para baixo com a ponta da escova.

- Não se esqueça de escovar a linha das gengivas e assegure-se de que alcançou os últimos dentes do fundo.

- Mude de escova de três em três meses ou quando notar que os filamentos estão desgastados. Para além disso, não deixe que as crianças partilhem as escovas: cada um dos seus filhos deve ter a sua escova.

O que são as cáries?

As cáries são perfurações que danificam a estrutura dos dentes. As bactérias estão na boca e estão encarregues de converter os alimentos em ácidos. Estas bactérias juntamente com o ácido, os restos de comida e a saliva formam uma substância pegajosa chamada placa que adere aos dentes. Os ácidos desta placa dissolvem a superfície de esmalte do dente e criam orifícios no dente (cavidades), que se se tornam muito profundas, chegam ao nervo e destroem-no causando uma grande dor. Se não se trata a tempo, pode chegar a perder o dente afectado. Isto pode ocasionar futuros problemas na saída dos dentes permanentes. Para além disso, a placa pode causar gengivites (inflamação nas gengivas).

No entanto, com uma boa higiene bucal as cáries são 100% preveníveis.

E a criança pode fazê-lo sozinha?

Aos 3 ou 4 anos de idade a criança deverá ser capaz de lavar os dentes por si mesma, mas com ajuda. Para que seja mais fácil, convém ensinar uma técnica simples aos seus filhos. Por exemplo, um movimento de escova circular.

Embora varia de uma criança para outra, as crianças com menos de 8 anos podem necessitar de ajuda para lavar os dentes. Devemos ensinar-lhes a lavar os dentes pelo menos duas vezes ao dia, pela manhã e antes de irem para a cama, dedicando dois minutos a cada lavagem. É importante dedicar especial atenção às superfícies dos dentes e aos dentes de trás, onde se desenvolvem as cavidades, bem como ensinar a criança a enxaguar os restos de pasta que ficaram depois da lavagem.

As primeiras visitas ao dentista

A primeira visita ao dentista pode ser recomendada pelo pediatra se este vir algum problema. Se assim não for, é conveniente que a criança vá pela primeira vez ao dentista quando os primeiros dentes saírem, entre os 6 meses e um ano de idade. Ou, pelo menos, quando a primeira dentição terminar, mais ou menos aos 30 meses.

O dentista examinará os dentes, as gengivas e os maxilares da criança para comprovar a eventual existência de indícios de algum problema e para ensinar-lhe a maneira correcta de limpar e cuidar dos dentes. É o momento oportuno para perguntar como se estão a desenvolver os dentes do seu filho.

O objectivo desta consulta é educar os pais sobre a importância da higiene bucal e estabelecer hábitos para a limpeza dos dentes. A partir desse momento, recomenda-se as revisões a cada 6 meses para afastar “ os medos do dentista” e criar o costume de ir ao dentista para prevenir e não só curar.

E se, apesar de tudo, surgem cáries? 

Se apesar de todos os cuidados e da higiene correcta o bebé tem cáries, o tratamento é o mesmo quando não se trata de um dente de leite. Quando se detecta uma cárie é conveniente realizar uma limpeza e o tratamento da mesma, porque quanto mais tempo se deixa sem tratar, mais possibilidades existem de esta afectar o nervo do dente, e aí o tratamento já será mais complexo.

Se mesmo assim deixa a infecção avançar, esta poderá passar para o osso e aí produzirá dor, inclusivo inchaço e febre. Para este casos o tratamento será a extracção do dente de leite, já que não se poderá salvar. Por outro lado, o dente permanente pode ficar afectado no seu desenvolvimento e poderá sair com manchas brancas que não desaparecem.

A anestesia que se aplica nestes casos é local, pelo que não há que preocupar-se pelos efeitos secundários que esta pode ter na criança, já que são mínimos – dor leve ao picar, adormecimento da zona, etc.

O tratamento consiste em extrair a parte danificada pelas cáries e colocar uma pasta que pode ser de diferentes materiais (resinas plásticas reforçadas em vários tons). No caso dos dentes de leite, como irão acabar por cair, não é necessários que o material se assemelhe a um dente, já que não será definitivo. O primordial é acabar com a infecção.


0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
loading...
×


×
×
×