O número de fumadores passivos é cada vez maior entre as crianças

O número de fumadores passivos é cada vez maior entre as crianças
Partillhar

O tabagismo passivo é a terceira causa de mortalidade evitável nos países desenvolvidos. Embora já se tenham conseguido importantes avanços contra o tabagismo, é agora que as pessoas estão a começar a ganhar consciência sobre os riscos reais de compartilhar um ar contaminado pelo fumo do tabaco.

Quase metade dos pais fuma ou permite que se fume na sua casa. É um dos dados de uma entrevista feita a 1013 pais, dos quais 35,2% eram fumadores. Neste subgrupo a exposição ao fumo existe em cerca de 80% das famílias; se apenas o pai é fumador o fumo está presente em 58% dos casos; se a fumadora é a mãe, em 74,8%. Se os dois são fumadores, as percentagens aumentam então para 89%.

De acordo com alguns especialistas esta atitude dos pais cabe atribui-la à falta de consciencialização e desconhecimento dos riscos e não tanto ao desprezo da saúde dos que os rodeiam.

O mesmo estudo coloca em relevo que entre os pais fumadores cerca de 26,8% consideram o fumo ambiental menos prejudicial que o inalado, 87,6% associam o tabaco e droga, 94,1% acreditam que o tabaco é muito prejudicial e cerca de 73,2% pensam que ser fumador pode influenciar que os seus filhos fumem. Uma realidade que hoje também se reconhece em Portugal e no Brasil, onde o número de fumadores passivos entre as de crianças e jovens adolescentes tem aumentado gradualmente.

Os animais de estimação e as crianças!

Os animais de estimação e as crianças!

 

Ter um animal de estimação em casa pode ser bom tanto para as crianças como para as famílias em diferentes aspectos, mas também pode originar certos riscos, como as alergias ou as infecções. Tome nota das regras para desfrutar ao máximo da convivência com um animal de estimação.

 

 

Efeitos do fumo do tabaco nas crianças

As crianças não podem evitar voluntariamente a exposição ao ar contaminado pelo fumo do tabaco e são, por isso, as principais prejudicadas. Algumas das patologias que as crianças fumadoras passivas podem apresentar com frequência são: síndrome tabágico-fetal, síndrome de morte súbita do lactente, patologia digestiva e nutricional, patologia otorringológica, patologia das vias respiratórias inferiores, alteração imunitária, patologia vascular, oncológica, alterações neurológicas e psicológicas.



 

0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×