×
  • Buscar
Publicidad

Piolhos, aprenda a eliminá-los!

Piolhos, aprenda a eliminá-los!

Cerca de 14% das crianças entre os 3 e os 10 anos sofre com a chegada dos temidos piolhos uma vez por ano. A falta de higiene não tem necessariamente a ver com as epidemias de piolhos e quando estes chegam à sala do seu filho … é o momento de colocar mãos à obra!
 

Publicidade

O que são os piolhos?

O piolho da cabeça é um insecto que na sua fase adulta mede cerca de 2 a 4 milímetros, é de cor acinzentada, tem 6 patas e, ao contrário do que muita gente pensa, não tem asas. Reproduz-se muito rapidamente já que cada fêmea pode por entre 100 a 300 ovos ao longo da sua vida. Estes ovos ou lêndeas, brancas e de forma oval, demoram uma semana a converterem-se em ninfas que num prazo de 5 a 9 dias se transformam num piolho adulto. Estes podem viver até 30 dias, alimentando-se do sangue da cabeça dos nossos filhos, mas também dos adultos. Fora da cabeça podem sobreviver cerca de 24 horas.

A parasitose de piolhos denomina-se de pediculose, segundo o seu nome médico.

A sensação de comichão que o facto de ter piolhos produz na cabeça deve-se à irritação que a saliva dos piolhos causa na pequena ferida que a picadela deixa.

Segundo alguns historiadores e arqueólogos, os piolhos acompanham o homem desde a há muito tempo. Assim encontrou-se evidências que demonstram que já no Antigo Egipto os faraós sofreram com a existência destes insectos.

Como se contagiam?

No te puedes perder ...

Futuros pais

Futuros pais

Vai ser papá e invadem-lhe todo o tipo de sentimentos estranhos e contraditórios, dúvidas e inclusive medos. Não se preocupe, não é o único. Estes são os medos mais frequentes dos futuros papás.

Y tambien:

Como já foi dito, os piolhos não têm asas pelo que não podem voar nem saltar de cabeça em cabeça. Os animais domésticos não têm piolhos … por isso, o seu cão ou o seu gato não são os responsáveis pelos piolhos dos seus filhos!

Os piolhos contagiam-se de uma forma muito rápida entre as crianças devido ao contacto entre cabeças, à partilha de gorros, toalhas, escovas, etc. Por este motivo, se a escola do seu filho a informa de que há piolhos na sua sala, é muito importante explicar à criança que não deve partilhar nenhum destes objectos com os seus colegas.

Tanto os pais como os professores devem vigiar se a criança coça muito a cabeça ou se o faz de maneira compulsiva … aí sim é o momento de agir! A primeira coisa a fazer é levar a cabo uma inspecção rigorosa da cabeça. Provavelmente irá demorar muito tempo e, dessa forma, deve sentar o seu filho em frente à televisão a ver os seus desenhos animados preferidos. Utilize uma luz potente e um pente muito fino. Vá inspeccionando com toda a sua paciência a cabeça da criança. Os piolhos adultos escondem-se da luz, por isso as primeiras zonas a observar devem ser atrás das orelhas e na nuca.

Os ovos apresentam um aspecto muito parecido à caspa, esbranquiçados e próximos do couro cabeludo.

Depois de passar o pente, deve sacudi-lo em cima de um papel para comprovar se caem, quer seja algum piolho ou uma lêndea. Se, finalmente, encontrar piolhos deve comunicá-lo imediatamente na escola da criança para começarem o tratamento.

Prevenção e tratamento

Se lhe informarem de que há crianças com piolhos na sala do seu filho, mas depois de observá-lo não parece que tenha sido contagiado, as melhores medidas de prevenção a tomar são as seguintes:

 

- Não utilize champôs nem cremes de tratamento, pois a única coisa que fariam seria facilitar o aparecimento de resistências ao tratamento no caso de uma infestação posterior.

 

- Explique ao seu filho que não deve partilhar com os seus colegas nenhum objecto pessoal como toalhas, pentes, escovas, babetes … e que introduza o casaco dentro da mochila em vez de pendurá-lo directamente no bengaleiro. Os piolhos também podem passar de um casaco para outro e infestar o seu filho desta maneira.

 

- Que o seu filho use o cabelo mais curto ou recolhido, pois evitará, em parte, possíveis contágios. Por isso são mais normais os casos de piolhos nas meninas que nos meninos.

 

- Reveja periodicamente a cabeça da criança, pois mesmo que não tenha piolhos da primeira vez que o examina não quer dizer que não tenha sido contagiado mais tarde.

 

Se a criança já está infectada, para além dos tratamentos à base de champôs ou cremes que o seu pediatra ou farmacêutico indicar, deve tomar uma série de medidas caseiras que irão ajudar a solucionar o problema:

 

- Lavar a sua roupa, lençóis, roupões, toalhas, entre outros, com a água a 55 graus num mínimo de 20 minutos e secar, preferencialmente, no secador.

 

- A roupa que apenas pode ser lavada a seco, como algum casaco por exemplo, deve ser lavado numa lavandaria.

 

- Lavara 55 graus os brinquedos, especialmente os de peluche, durante cerca de 10 minutos. Se não se poderem molhar, deve metê-los numa bolsa hermética durante 2 semanas.

 

- Passar o aspirador por sofás, encostos e pela zona do chão onde se examinou a cabeça da criança.

 

- Lave frequentemente o cabelo ao seu filho, umas 2 a 3 vezes por semana e penteio diariamente.

 

- Ferva todos os pentes, escovas, elásticos e ganchos.

 

- Examine periodicamente a cabeça da criança e penteia com um pente especial de dentes finos e metálicos que ajuda a retirar as lêndeas e os piolhos que permaneçam na cabeça.

 

- Para além disso, deve ter em atenção se a criança não contagiou outros membros da família.

 

Novos tratamentos

Alguns piolhos, segundo demonstraram investigações recentes em países como os Estados Unidos ou Israel, sofreram uma mutação tornando-se resistentes à maioria dos ingredientes activos tradicionais utilizados nos remédios contra os piolhos. O que fez com que aparecessem novos produtos no mercado.


Fecha de actualización: 13-01-2006

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.