Problemas mais comuns do Inverno

Problemas mais comuns do Inverno
Partillhar

Já está aqui outra vez o Inverno, uma estação que consigo traz as chuvas e o frio. Nesta época do ano multiplicam-se as constipações e as gripes. São poucas as crianças que não apresentam algum episódio de febre ou de tosse … Algo que preocupa muito os recentes pais. Quer saber o que fazer nestes casos e quando é o momento mais adequado para ir ao médico?

Febre

Diz-se que uma criança tem febre quando a sua temperatura corporal ultrapassa os 38 graus. É uma reacção de defesa do organismo frente a uma agressão, seja vírus o bactéria, que impede que os micróbios se multipliquem. Por outro lado, não é necessário tentar baixar a febre se esta não ultrapassar os 38 graus. No entanto, se a temperatura ascender os 40 graus, é o momento de agir. Nos bebés a febre sobe com muita rapidez.

Também é uma resposta normal do corpo que depois de uma doença a temperatura corporal da criança baixe até aos 36 graus e que se mantenha assim durante alguns dias.

O que pode fazer:

- Dar de beber à criança com frequência. Assim evita as desidratações, já que a temperatura faz com que a criança transpire mais.

No te puedes perder ...

A alimentação das crianças na escola

A alimentação das crianças na escola

São milhares as crianças na idade escolar que utilizam os serviços do refeitório. Por isso, este deve servir como marco educativo para que as novas gerações aprendam e adquiram hábitos de vida e atitudes saudáveis. E ao mesmo tempo, o menu deve garantir-lhes uma alimentação saudável e equilibrada que favoreça a sua saúde, o seu crescimento e desenvolvimento.

- Para refrescar a criança, se ela gosta de água, pode dar-lhe um banho com a água um ou dois graus abaixo da sua temperatura corporal.

- Consulte o médico para saber que medicação a criança pode e deve tomar.

O que deve evitar:

- Abrigar demasiado a criança.

-Nunca dê um medicamento à criança sem saber se é ou não o mais indicado. Consulte um especialista.

Quando consultar o pediatra:

- Se o bebé tem menos de seis meses e se a sua temperatura alcança os 39 graus, leve-o aos hospital.

- Igualmente, se a febre é mais moderada mas se dura mais de 4 dias.

- Se para além da febre a criança tiver diarreia, vómitos, sentir dores de barriga ou de ouvidos.

Gripes e resfriados

Os resfriados são praticamente inevitáveis durante os primeiros anos de vida da criança. De facto, uma criança saudável em idade pré-escolar resfria-se cerca de cinco a oito vezes por ano. Podem aparecer de maneira individual ou ser o resultado de uma epidemia, especialmente se a criança está num infantário. Ao crescerem as crianças desenvolvem um reportório de anticorpos que lhes proporcionam imunidade frente aos resfriados. Até que, ao cumprirem os 6 anos, podem enfrentar melhor as infecções, alcançando um novo nível de saúde: menos resfriados, menos tosse, menos mucosidades e melhor sono.

Os sintomas da gripe e os resfriados podem ir desde a aparição de febre à dor de cabeça, rinites, vómitos, etc.

O resfriado pode-se considerar uma doença praticamente inofensiva, salvo os desconfortos passageiros que este origina. A gripe, no entanto, é uma infecção causada por um vírus que pode acarretar outras complicações maiores como uma pneumonia. Embora os sintomas sejam muito parecidos, a gripe dá febre mais alta e uma sensação de esgotamento e fadiga. Os sintomas mais frequentes do resfriado nas crianças são a congestão nasal e a mucosidade abundante. Ter o nariz tapado ou com mucosidades pode ser desconfortante para a criança, tanto para respirar como para comer.

O que pode fazer:

- As crianças resfriadas podem ter problemas na hora de comer. Deve limpar-lhes o nariz para que respirem melhor e com maior facilidade ao ingerirem os alimentos. Para isto, lave-lhes o nariz com água do mar.

- Dê água mineral à criança para evitar a desidratação.

O que deve evitar:

- Não eleve demasiado a temperatura do quarto da criança, regule a temperatura para uns 20 graus.

- Coloque um humidificador no quarto.

Quando consultar o pediatra:

- Se a febre aumentar bruscamente.

- Se a criança se levanta de noite a chorar, pois a infecção pode ter passado para os ouvidos formando otites.

Otites

As otites são uma inflamação do ouvido médio, muito frequentes durante a infância. A melhor forma de preveni-las é a amamentação materna. As crianças às quais não foi dado peito desenvolvem mais infecções nos ouvidos durante a infância.

Apesar de sem os conhecimentos médicos não ser fácil de detectar uma otite, perante alguns sinais da criança você pode desconfiar de que algo não está bem: se a criança acordar de noite a chorar levando as mãos aos ouvidos e se tiver febre.

O que deve fazer:

- Coloque uma compressa quente em cima do ouvido da criança para aliviara a dor.

- Vá ao pediatra para evitar complicações maiores.

O que deve evitar:

- Não tente limpar os ouvidos à criança, as infecções nesta zona do corpo podem complicar-se e, dessa forma, é melhor ir a um pediatra.

Quando ir ao pediatra:

- Quando os sintomas acima indicados a façam suspeitar que o resfriado do seu filho converteu-se numa otite.

Tosse e dores de garganta

A tosse é um fenómeno que reflecte uma irritação destinada a expulsar secreções anormais, ou seja, é um mecanismo de defesa. Esta inflamação dos brônquios, que pode acompanhar um resfriado, pode causar alguma febre e mal-estar.

O que pode fazer:

- Curar bem o resfriado ao começar a tosse.

- Se a criança tosse, sobretudo à noite, experimente a trocá-la de posição.

O que deve evitar:

- O fumo do tabaco e os ambientes secos, pois prejudicam muito a garganta.

Quando consultar o pediatra:

- Se o seu bebé parece realmente desconfortável ao respirar, consulte rapidamente um médico.

- Se a tosse impede o bebé de tomar o biberão.

- Se está há mais de uma semana com tosse.

 



Fecha de actualización: 27-10-2005

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>