Que fazer quando uma criança engole uma moeda?

Que fazer quando uma criança engole uma moeda?
Partillhar

Moedas são os objetos ingeridos por crianças de 1 a 3 anos com mais frequência. Guiados por sua curiosidade ou pelo reflexo de colocar tudo na boca, é comum que elas engulam moedas ou outros corpos estranhos acidentalmente. O que fazer?

Primeiro, é conveniente identificar o objeto ingerido. O perigo está relacionado ao tamanho, à forma, e, claro, à idade da criança.

Mais de 3 anos: Os objetos de até 5 cm podem passar pelo estômago sem causar problemas. Se o tamanho for maior, ele deve ser removido.

Bebês e crianças menores de 3 anos: Se o objeto for maior que 3 cm, ele deve ser removido.


O risco mais comum é que a peça ingerida fique emperrada ao longo do caminho, formando uma rolha que resulta em infecção ou na ruptura do trato gastrointestinal.

No caso de moedas menores que 2 cm e de formas arredondadas – se a criança não for muito pequena – o perigo geralmente não é grande porque elas costumam passar quase sem dificuldade pelo trato digestivo e, em seguida, são removidas nas fezes. Na realidade, cerca de 80% dos corpos estranhos ingeridos por crianças são espontaneamente expelido nas fezes.


É diferente se o objeto é pontiagudo, cortante (vidro, agulha, prego) ou tóxico (pilha), pois é fácil que ele cause uma perfuração no trato gastrointestinal ao ser engolido e ao tentar ser removido. Neste caso, é necessária uma intervenção médica urgente, independentemente da idade da criança.

No te puedes perder ...

O seu bebé com 18 meses

O seu bebé com 18 meses

Com um ano e meio o seu filho caminha sem cair e começa a repetir todas as palavras que escuta. Gosta que você lhe diga como se chamam os objectos que o rodeiam. Dessa forma, aproveite todos os bocados que está com a criança (enquanto come, passeia ou toma banho) para designar e assinalar as coisas: a colher, a esponja, as árvores da rua …

A Associação Espanhola de Pediatria indica que os corpos acidentalmente ingeridos devem ser removidos antes de 12 horas a fim de evitar obstruções, infecções ou aspirações. Embora, na maioria dos casos, eles costumem ser detectados somente quando já  estão no estômago, muitos podem se alojar no esôfago causando sérios problemas nas vias respiratórias.

O primeiro passo a tomar, especialmente quando se trata de bebês ou de crianças pequenas é telefonar ou ir direto ao pronto-socorro.


 

Além disso: - Oferecer água em abundância e uma dieta rica em fibras.

- Observar se dói, se a criança vomita, tem náuseas, febre, sintomas de asfixia etc. Normalmente, quando se aloja no estômago não aparecem sintomas. No entanto, se se mantiver no esôfago podem causar dor na garganta, na altura do esterno, dificuldade em engolir, regurgitação e náuseas.  Mas nem sempre isto ocorre, de modo que é apropriado o exame radiológico para confirmar a sua localização.

- Examinar as fezes em casa para verificar se a moeda é evacuada. Os objetos deste tipo são frequentemente evacuados no decurso de uma semana. Se ele não for removido dentro de 15 dias, deve ser feito um exame radiológico.

- Dependendo do tamanho, o objeto pode causar hemorragia e/ou lesão anal ou retal.

 

Tratamento médico

Geralmente, na maioria dos casos de ingestão de moedas, se não houver sintomas, o tratamento é esperar que ela seja expelida nas fezes dentro de um prazo de 7 a 10 dias.

Se o objeto está no esôfago ou há risco de complicações (perfurações, obstruções, aspirações, fístulas, infecções etc.) deve se proceder à extração com endoscópio. Geralmente, ocorre em aproximadamente 20% dos casos.

Nos casos mais graves (1%), pode ser necessária uma cirurgia para a remoção. 



Fecha de actualización: 28-06-2014

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>