Varicela

Varicela
Partillhar

Popular por ser uma das doenças mais contagiosa e mais desconfortante, pelo intenso ardor que as borbulhas produzem, a varicela pode aparecer, sobretudo, durante a infância, passando por cerca de 90% das crianças antes dos 15 anos de idade.

 

O que é?

A varicela é uma doença infecciosa que afecta as crianças e é causada por um vírus que provoca uma erupção muito característica e, geralmente, passa sem complicações maiores, embora em determinadas situações possa originar situações graves.

A vacina da varicela previne a doença até cerca de 84% dos casos, como recomenda a Organização Nacional de Saúde. Esta vacina pode ter efeitos secundários leves, como endurecimento da zona picada, hipersensibilidade, inflamação da zona, etc. No entanto, existem determinadas situações nas quais não deve levar a sua criança a tomar a vacina:

- Não deve administrar uma segunda dose se a primeira produz uma reacção alérgica severa.

- Não deve vacinar as crianças com defesas diminuídas nem mulheres grávidas.

- Também não a vacina da varicela deve ser administrada a uma criança que antes já tinha administrado defesas que podem interferir com a vacinação.

No te puedes perder ...

A 3ª semana de gravidez

A 3ª semana de gravidez

Apesar de não saber que está grávida, o teu bebé cumpre uma semana de vida e vai continuar a crescer e a desenvolver-se. O blastócito implanta-se no endometrio e forma a placenta, já o líquido amniótico começa a juntar-se formando um saco.

Sintomas

As crianças ficam doentes um dia antes da erupção, embora a doença não seja diagnosticada até à aparição das conhecidas e temidas lesões roxas, como picadas de insecto, que produzem um intenso ardor que se convertem em borbulhas e, por fim, em crostas. Podem aparecer entre 20 a 1000 borbulhas, sendo o mais comum entre 250 a 500, sobretudo no tronco e no couro cabeludo. O desconforto que produz faz com que as crianças fiquem muito irritadas, especialmente durante a noite. Embora em quase todas as ocasiões as lesões de pele se curem sem problemas, por vezes o processo de cicatrização pode deixar algumas marcas. Desta forma, é necessário tentar evitar que a criança se coce e que não apanhe sol até as borbulhas desaparecerem por completo.

A maioria das crianças afectadas apresentam febre, dores de garganta e inflamação nos gânglios, cansaço, falta de apetite, dores de cabeça, etc.

Como se contagia?

A varicela é uma das doenças mais contagiosas que existe, sendo a probabilidade de contágio entre escolas ou pessoas da mesma família superior a 90%. O seu período de contágio desenvolve-se desde os dias antes da aparição da erupção até à transformação de todas as lesões em crostas. Transmite-se por via aérea com as secreções expulsadas ao falar e tossir, por contacto directo com as borbulhas ou por utensílios usados pelo doente.

Desta forma, as mulheres grávidas que ainda não tiveram varicela devem ter especial cuidado, já que se contraírem a doença entre cinco dias antes e dois dias depois do parto, o bebé pode desenvolver uma varicela neo-natal extremamente grave. No entanto, se a doença aparecer nos primeiros dois trimestres de gestação, o risco de alterações no feto é pequeno, entre 1 a 2%.

Dessa forma, para evitar contágios é necessário tomar algumas medidas essenciais:

- Tomar banho frequentemente.

- Lavar as mãos constantemente, sobretudo antes de comer.

- Afaste os membros não vacinados da família do doente e, sobretudo, não leve a criança às aulas para não contagiar os colegas.

Tem complicações?

Embora a varicela nas crianças possa ser uma doença benigna, em ocasiões aparecem complicações entre as quais se destacam como mais frequentes as sobre-infecções bacterianas cutâneas e respiratórias, complicações neurológicas e infecções invasivas. Desta forma, se a criança apresentar febres superiores a 38º durante mais de 3 a 4 dias, é necessário que o pediatra avalie a situação dele para despistar possíveis complicações.



Fecha de actualización: 02-06-2009

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>