• Buscar
Publicidad

Protegidos debaixo do sol

Protegidos debaixo do sol

O Verão chega às nossas portas e por mais um ano recebemo-lo com a vista posta no prometido descanso. Praia, piscina, ar livre … e sol. Embora tenha os seus grandes benefícios, o principal astro apresenta também alguns perigos que devemos combater adoptando uma série de precauções. Tome nota de algumas coisas para desfrutar do melhor do sol sem que a sua saúde corra riscos.

Publicidade

O sol melhora a circulação sanguínea e fomenta a formação de vitamina D, fundamental para o crescimento e para o desenvolvimento corporal. Para além disso é imprescindível para absorver melhor o cálcio e o fósforo e ajuda a prevenir o stress, já que ajuda a produzir as denominadas hormonas da felicidade e do bem-estar. No entanto, para desfrutar de todos os benefícios há que tomar precauções, especialmente com as crianças.

A pele das crianças necessita de uma protecção especial. É muito mais fina e sensível e, todavia, ainda não desenvolveu os mecanismos de protecção próprios da pele de um adulto. Para além disso, os pequenos permanecem muito mais tempo na água ou a brincarem ao ar livre, o que multiplica os efeitos da exposição solar sobre a pele. Apesar disto, numerosos estudos revelam que apenas metade dos pais protege a pele dos seus filhos com um creme solar adequado. Não importa o que estão a fazer ou a estação do ano em que se encontram, se estão a brincar na rua necessitam de estar protegidos.

O ideal é incutir-lhes hábitos de segurança solar desde o inicio. As crianças responderão melhor se observarem os pais a protegerem a pele. Com apenas três palavras pode ensinar-lhes hábitos básicos saudáveis: creme, chapéu e camisola. Não se esqueçam!

Desfrute do sol sem riscos

Antes do primeiro ano

A pele dos bebés é frágil e especialmente sensível ao sol, pelo que a protecção total é, neste caso, fundamental. Se o seu filho tem menos de 12 meses siga estes conselhos:

- Evita qualquer exposição directa ao sol.

- Nunca, nem sequer com protecção, exponha o seu filho ao sol entre as 12 e as 16 horas.

- Utilize produtos para bebés, formulados especialmente para eles.

- Combata a desidratação oferecendo-lhe água com frequência e pulverizando-lhe a cara com água termal em spray.

Maiores de um ano

- Pergunte ao pediatra qual é o factor mais adequado para o seu filho (factor mínimo 20).

- Aplique-lhe creme solar em casa, uma meia hora antes de sair de casa, sobre a pele bem seca para facilitar a sua fixação. Desta forma, dará tempo para que comece a actuar.

- Evite as exposições ao sol entre as 12 e as 16 horas. São as horas de maior perigo.

- Utilize camisolas de algodão que não deixem passar o sol. Aqui tem um truque para comprová-lo: levante a camisola contra a luz, se conseguir ver através dela é porque não é segura.

- Não se esqueça dos óculos de sol anti-UVA, que sejam suficientemente grandes para cobrirem a pele à volta dos olhos.

- Ofereça-lhe água e líquidos regularmente para evitar as temidas desidratações de Verão.

- Volte a aplicar creme a cada duas horas, ou cada vez que saia da água.

- Uma vez finalizado o dia de praia ou de piscina, dê banho à criança para eliminar o sal ou o cloro que podem danificar a sua pele. Depois do banho, aplique-lhe um creme próprio para depois do sol.

Brincar à sombra

Geralmente a radiação solar é muito forte, dessa forma mais prejudicial, entre as 10 da manhã e as 14 da tarde. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a essas horas recebemos cerca de 60% de radiações UV diárias.

Se os seus filhos brincam ao ar livre durante esse período de tempo, assegure-se de que a sua pele está protegida.

Pode e deve ensinar às crianças o truque das sombras: no exterior, quando a sombra delas é mais pequena que o corpo, significa que o sol está alto e que os raios UV são intensos. Explique aos seus filhos que quando isto acontece devem extremar as precauções, protegendo o seu corpo com roupa, chapéu e óculos de sol e aplicando várias doses de protector solar.

Proteja os seus filhos nos dias nublados. Nestes dias a sensação de calor é menor, mas as nuvens apenas retêm 10% dos raios solares.

Onde se multiplicam os efeitos da radiação solar?

  1. Na neve: os raios UV reflectem-se na superfície aumentando os seus efeitos em cerca de 80%.
  2. Na areia: se apanharmos sol na praia, os raios incidem cerca de 25% mais sobre a nossa pele.
  3. Na água: enquanto tomamos banho, os efeitos dos raios UV aumentam cerca de 10% pelo facto de se reflectirem na água.
  4. Na relva: neste caso aumenta cerca de 5% a incidência dos raios solares.

A água, imprescindível no Verão

Os bebés e as crianças apresentam necessidades de água muito superiores ás dos adultos, isto para substituir a quantidade que perdem diariamente.

Cerca de 65% dessa água perde-se por evaporação. Nos casos extremos, como o aumento da temperatura ambiental própria da temporada, essa perda vê-se aumentada por cada grau de temperatura corporal (cerca de 10%). Por isso, as crianças devem beber água regularmente para evitar as desidratações que a luz solar e a água das piscinas produzem. Sobretudo, se a criança suou por causa do sol ou do exercício físico.

Cremes para crianças

É importante que utilize sempre cremes específicos para a sua idade. Os cremes de protecção para crianças são especialmente resistentes à água e à fricção e, normalmente, são baseados em filtros físicos, muito mais inofensivos que os químicos e orgânicos.

Para além disso, devem-se evitar as loções com álcool que podem causar irritações na pele delicada das crianças, bem como as perfumadas que podem atrair insectos.

Antes de utilizar o creme do ano passado, comprove a data de validade, porque se já expirou é provável que já não tenha o filtro solar adequado. Para além disso, se o creme esteve exposto a temperaturas altas também pode ter perdido as suas propriedades protectoras.


 


Glosario

Desidratação

Definição:

Significa que o corpo não tem tanta água e líquidos como deveria e pode ser causada pela perda excessiva de líquidos, o consumo insuficiente de água ou líquidos, ou uma combinação de ambos. O vómito e a diarreia são as causas mais comuns.

Sintomas:

-Pele seca e pouco flexivel. -Olhos fundidos. -Escassez de saliva. -Urina pouco abundante. -Batidas cardiacas rápidas. -Nos casos mais graves, convulsõess, aturdimento, falta de consciência.

Tratamento:

No caso de desidratação, dar à criança em quantidade progressiva líquidos isotónicos ou água; colocá-la à sombra num sítio fresco e ventilado de forma imediata; que coma alimentos astringentes e fáceis de digerir como arroz, batata e cenoura cozidas, peixe branco ou frango grelhado; e, se se observam dores, náuseas, vómitos, diarreia, febre, dor de cabeça e fadiga, vá rápidamente a um serviço de urgências.

Fecha de actualización: 29-05-2009

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×