Saiba como tratar as feridas nas crianças!

Saiba como tratar as feridas nas crianças!
Partillhar

As feridas são as lesões protagonistas do Verão e daquelas crianças que começam a andar, a correr e a brincar em diferentes cenários. Como todas as lesões, requerem um certo conhecimento para saber como tratá-las. O mais importante é actuar correctamente para que sarem o mais rápido possível e para que se evitem infecções.

No Verão as instalações aquáticas abrem as suas portas e os parques convertem-se no espaço de lazer mais frequentado pelas crianças. Os baloiços, as corridas pela areia e o chão escorregadio das piscinas, entre outros, são cenários que aumentam o risco de quedas e golpes que podem produzir pequenas feridas nas crianças.

Qual é o principal risco de uma ferida?

Quando se produz uma ferida devemos prestar atenção num primeiro à hemorragia que se pode produzir e, posteriormente, à infecção. É fundamental tratar a ferida correctamente para que sare o mais rápido possível e para que não se produzam cicatrizes anómalas nem infecções.

O que devemos fazer quando a criança faz uma ferida?

A primeira coisa a fazer é não perder a calma. Deve ter em conta que as feridas provocam dor e hemorragia visível, o que pode assustar a criança, fazer com que esta chore e que fique nervosa. Desta forma, é importante que o seu filho a veja segura a fim de transmitir-lhe a maior tranquilidade possível.

No te puedes perder ...

Musicoterapia para bebés e crianças

Musicoterapia para bebés e crianças

A musicoterapia consiste na aplicação científica do som, da música e do movimento para facilitar a comunicação, promover a expressão individual e favorecer a integração social. A nivel de estimulação, a sua utilização está a extender-se dentro dos programas educativos para facilitar a aprendizagem nas crianças.

Depois, deve observar a ferida. Se existir sangramento, deve evitar o contacto com outros líquidos como o suor ou a saliva. Sempre que seja possível utilize luvas descartáveis para evitar a infecção da ferida. O primordial neste tipo de acidentes é tentar parar a hemorragia pressionando directamente sobre a ferida.

Se a ferida não sangrar, antes de começar a trate-la tem de lavar as mãos com água e sabão ou, se possível, utilizar luvas descartáveis. Depois, limpe a ferida com água fria corrente. É possível que em alguns sítios não se encontre uma torneira, nesse caso pode procurar uma fonte de água potável ou utilizar uma garrafa de água.

Depois, deve tapar a ferida com um lenço seco e limpo. Tape a ferida mesmo que não consiga deixa-la limpa, mas depois vá ao centro de saúde para ser feito um curativo. Em ambos os casos é aconselhável ir ao médico para que este avalie se a criança ou o lactente está vacinado contra o tétano.

O que deve fazer?

Existem algumas más práticas enraizadas que normalmente acreditamos que são correctas na hora de tratar uma ferida. Dessa forma, aqui ficam alguns conselhos sobre aquilo que não deve fazer perante este tipo de lesões:

- Não é recomendável o uso de pomadas ou de antibióticos sobre as feridas.

-No caso de existir um corpo estranho ou uma partícula cravada na ferida, não deve tentar extrair.

- Tão pouco é recomendável o uso de algodão ou de álcool em qualquer das suas formas.

Como podemos saber se uma ferida está infectada?

Existem diferentes sinais e sintomas que nos alertam e indicam se há infecção numa ferida. A infecção é um risco comum neste tipo de lesões: nas superficiais porque podem ser extensas e nas profundas devido à profundidade.

Dessa forma, deve tomar todas as precauções possíveis. Os sinais e sintomas de infecção que uma ferida pode apresentar são os seguintes:

- Inflamação e edema nos bordos.

- Endurecimento do contorno.

- Calor local.

- Dor.

- Sensação de picadas.

Se a infecção estiver em estado avançado junta-se:

- Pus.

- Febre.

- Mal-estar geral.

Tétano, uma infecção a ter em conta

O tétano trata-se de uma doença contra a qual dispomos de vacina. Em Portugal, como prevenção desta doença e de forma sistemática, as crianças iniciam a sua vacinação desde bebés, devendo receber doses periódicas.

Apesar disto, quando se produz uma ferida é conveniente verificar o correcto estado da vacina, que deve estar registado no Boletim de Vacinas. No caso de a criança não ter recebido nenhuma dose desta vacina ou de esta ter sido administrada de forma incompleta, deve recorrer a um centro hospitalar para realizar uma profilaxis antitetânica adequada.

Existe a ideia de que o tétano apenas pode ser transmitido por feridas produzidas por ferros, material oxidado ou pela exposição a fezes de animais, mas na realidade todas as feridas estão expostas à infecção, sobretudo, as sujas, as profundas e as contusas.


0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×
*/?>