• Buscar
Publicidad

Problemas digestivos na gravidez, aprenda a comer no Natal

Problemas digestivos na gravidez, aprenda a comer no Natal

Chega a noite de consoada, o dia de Natal, os jantares de Natal do trabalho... todos os dias uma desculpa para se abusar um pouco na comida. Se bem que comer é um prazer do qual não se deve privar (e muito menos no seu estado), deve moderar a quantidade e evitar certos alimentos (gorduras, picantes) que podem favorecer o aparecimento dos desconfortáveis problemas estomacais tão típicos desta época e ainda mais das mulheres grávidas.

Publicidade

Na gravidez são mais frequentes os problemas digestivos: náuseas, acidez, ardores, prisão de ventre, excesso de gases, sobretudo devido às alterações hormonais, que provocam um mau funcionamento gastrointestinal e um relaxamento do cardio-esfínter que comunica o esófago com o estômago - que favorece o refluxo de ácidos do estômago ao esófago. As grávidas sofrem mais frequentemente de acidez devido à pressão que o feto e a placenta exercem sobre os órgãos da mãe conforme vai progredindo a gestação. Isto faz com que os ácidos do estômago subam até ao esófago causando uma sensação de mal-estar na qual o sintoma mais característico é a sensação de ardor no estômago.

E as festas de Natal, com todos os comeres típicos desta época, podem aumentar este tipo de desconfortos. Se abusar da comida e dos doces o mais provável é que no dia seguinte sofra as consequências, o que não significa que tenha de se privar de todas as delícias do Natal, apenas deve seguir uma série de recomendações.

Como evitar os problemas digestivos?

- Não abuse de nenhum alimento nem como até ficar cheia. É melhor comer um pouco de tudo mas com moderação.

- Coma devagar e mastigue bem cada bocado.

- Espere pelo menos duas horas antes de se deitar, é o tempo necessário para realizar a primeira fase da digestão.

- Evite o café depois das refeições. Verá que irá sentir-se melhor se beber um chá que facilite a digestão.

- Reduza o consumo de alimentos gordos e evite aqueles que são muito salgados ou com molhos.

- Limite os molhos muito gordos elaborados com natas, queijo, muito óleo, etc.

- Não beba muitas bebidas com gás.

- Embora as fatias douradas e as azevias lhe façam perder a cabeça, limite-se a comer um pouco de cada. Todos estes alimentos provocam digestões mais lentas e pesadas do que o normal.

- Os derivados do tomate e alguns citrinos podem causar desconfortos.

- Evite os alimentos muito frios ou muito quentes, provocam a irritação das paredes do estômago.

- Cozinhe os seus pratos a vapor, no forno, no grelhador, etc.

- Convém dar prioridade ao peru, às aves de caça ou capão que são menos indigestos, não se esqueça também do cabrito e do pato. Também pode  recorrer ao peie no forno: besugo ou chicharro, por exemplo, cuja digestão é ainda melhor que a da carne.

- Um bom acompanhamento para uma carne ou peixe podem ser umas batatas no forno ou umas verduras cozidas. Esqueça as batatas fritas.

- O vinagre de maçã e o sumo de limão são melhores que o vinagre de vinho. Embora pareça raro, ambas as substâncias ácidas contribuem para neutralizar a acidez estomacal.

- Se entre os ingredientes se encontrarem alho, cebola, nabo, entre outros, assegure-se que estes são cozinhados para uma melhor digestão.

- Evite as especiarias fortes que irritam a mucosa gástrica: pimenta (negra, branca, etc.), pimentão...

- Se a celebração for nocturna faça uma refeição mais ligeira ao lanche.

- Embora o álcool esteja totalmente proibido para as grávidas, pode molhar os lábios com champanhe depois dos brindes para se sentir mais integrada nas celebrações.

Cuidado com a sesta!

Apesar de a sesta ser um hábito muito saudável, mais ainda quando se está grávida, se tiver uma duração de mais de 15 a 20 minutos e se for logo a seguir à refeição o mais provável é que ao acordar tenha a sensação de que a comida não foi digerida, dores de cabeça ou mal-estar geral.

Isto deve-se ao facto de que quando se está a dormir tudo funciona mais devagar, incluindo a digestão, e que a posição horizontal facilita a passagem dos ácidos do estômago ao esófago. Para remediar esta situação a sesta deve ser de curta duração e em vez de deitar-se é preferível manter-se encostada no sofá.

Existem diversos alimentos e condimentos que são anti-ácidos, aproveite-os:

- A batata é anti-ácida, o arroz e a maçã desinflamam a mucosa digestiva, a aveia tem o efeito suavizante da mucosa gástrica e a cenoura neutraliza a acidez.

- Inclua nas suas receitas ervas que ajudam na digestão como louro, tomilho, alecrim, manjericão, erva-doce, cominhos, etc.

- Infusões digestivas: camomila, erva-cidreira,  tília... O chá suave e repousado também se considera benéfico dado a sua riqueza em compostos que ajudam a desinflamar a mucosa gástrica.

Exercício contra a prisão de ventre

É um problema também muito comum entre as grávidas que pode tornar-se mais frequente no Natal ao ver-se alterada a rotina diária e pela falta de fibra da maioria dos alimentos nesta época.

A realização de exercício físico ajudará a melhorar a prisão de ventre, já que complementa os movimentos peristálticos dos intestinos e ajuda a fluir o trânsito intestinal, reduzindo a secura e dureza das deposições.

Sempre que o seu médico não lhe proíba o exercício é uma boa ideia que realize algum desporto suave para combater a obstipação, isto para além de incluir alimentos ricos em fibra na sua dieta. Passear ou nadar sãoboasalternativas para uma grávida.


Glosario

Prisão de ventre

Definição:

Dificuldade para eliminar as fezes.

Sintomas:

Dor e dificuldades para eliminar as fezes.

Tratamento:

Consumir muita fibra em forma de frutas, verduras e outros alimentos ricos nela. Praticar exercicio regular.

Fecha de actualización: 25-11-2008

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×