• Buscar
Publicidad

Causas do aborto retido

Causas do aborto retido

Um aborto retido acontece quando o feto morre dentro do corpo da mãe mas não é expulsado pelo organismo, nem a placenta nem o resto de produtos próprios da gestação. O corpo o retém durante várias semanas.

Publicidade

Índice

O que é um aborto retido?

Em algumas ocasiões, depois de dias ou semanas da implantação do embrião no útero se produz o aborto, ou seja, o feto morre por diversas causas e é expulsado pelo organismo. Porém, as vezes acontece que quando o embrião morre fica dentro do útero porque o organismo não percebeu que não está vivo e a placenta ainda funciona.

Isso é conhecido como aborto retido.

Como o corpo não expulsa o feto, a mulher não percebe nada e também não sabe que o bebé morreu porque o sangrado não é produzido. A única maneira de saber o estado do feto é com uma revisão rutinaria mediante ecografia que observe que o coração do feto não late mais.

Uma vez que a ecografia enxergue que o feto não está vivo, é importante ajudar o organismo a expulsar o embrião. É um processo psicologicamente doloroso para a mãe e também perigoso porque pode causar infeção ou outros problemas como alterações de coagulação, hemorragia, etc.

Segundo as semanas de gestação será recomendável um método ou outro.

Principais causas do aborto retido

São as mesmas que podem causar um aborto natural normal. A única diferencia é que o organismo não detectou o falecimento do feto:

- alterações cromossômicas ou genéticas; anomalias.

- Trombofilia ou doenças que alteram a coagulação da sangue.

- Infeções.

- causas endócrinas; devido ao desequilíbrio dos níveis de progesterona.

- Causas autoimune: por causa dos anticorpos que podem criar algum tipo de resistência contra o feto.

Uma vez que a mãe se recuperar do aborto, pode voltar tentar ter um bebé uns 3 ou 4 meses, sempre que seja capaz mentalmente. Um aborto retido é excepcional, não tem por que acontecer novamente. Muitas mulheres que tiveram esse tipo de aborto, ficam grávidas novamente e têm uma gestação normal. O mais importante é manter a calma e seguir as indicações do médico.

Amém disso, as causas pelas quais o organismo não expulsa o feto são várias:

- a causa mais comum é a falta de contrações uterinas.

Articulo relacionado: Causas do aborto retido

- ter um canal uterino estrito.

- se o aborto retido se produz a partir da décima semana, pode ser por causa do desprendimento do ovo.

Quais são os sintomas?

A diferença com outros tipos de abortos involuntários que desenvolvem sangrado, câimbras e dores, o aborto retido não apresenta sintomatologia. É por isso que o aborto retido só é visível a través de uma ecografia.

Quando se produz um aborto espontâneo se desenvolve risco de infeção e alta alteração da coagulação. Por esse motivo, quando se deteta algum incômodo durante a gravidez é principal ir ao ginecologista.

É possível ter uma aborto retido novamente?

O aborto é um mecanismo natural pelo qual o corpo elimina a gravidez que por algumas causas ou outras não funciona corretamente. O normal é que a tua próxima gravidez se desenvolva com normalidade.

Se isso acontece mais de duas vezes é recomendável fazer um estudo cromossômica para detetar se existe alguma anomalia nos pais. De fato, se devem deixar dois ou três ciclos menstruais para ter certeza da regulação de hormônios.

Se novamente ficas grávida demasiado rápido depois de ter tido um aborto retido pode acontecer que os restos do antigo aborto se juntem e o aborto se produzir mais uma vez.

Como superar um aborto?

Emocionalmente não é um processo fácil. De fato, embora os pais conheçam a gravidez pouco tempo atrás, já sentem um forte vínculo com a futura criança. É um golpe emocional que finaliza as expectativas e as ilusões.

É importante não recusar os sentimentos e se apoiar no casal, na família e os amigos. O melhor é ficar ocupado.

Se não consegues essa superação, o melhor é ajuda externa com um especialista.

Como diagnosticar um aborto?

O médico pode realizar várias provas.

- Prova pélvica: para controlar se o canal do útero dilatou.

- Ecografia: para controlar o desenvolvimento adequado do embrião. Se a ecografia não é definitiva se repete uma semana depois.

- Análise do sangue: se verificam os níveis de hormônios durante a gravidez.

- Análise de tecidos: se a mulher grávida expulsou o tecido, o mais normal é analizar esse tecido num laboratório para confirmar se aconteceu o aborto.

- Provas cromossômicas: se tiveste dois ou mais abortos se faz um estudo sobre os cromossomos do casal.


Fecha de actualización: 21-10-2020

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×