Ameaça do parto prematuro

Ameaça do parto prematuro
Partillhar

Ocorre entre a semana 21 e 37, já que antes da semana 20 seria considerado um aborto e depois da semana 37 o bebé já é considerado pronto.

Por que acontece o parto prematuro?

Há uma série de fatores de risco da mãe e do bebé que é preciso ter em conta para poder previnir um parto prematuro:

- Antecedentes de partos prematuros

- Certas doenças maternas: diabetes, hipertensão, cardiopatias, anemias, infecções severas (vaginose , cervicite), patologias renais, doenças autoimunes, obesidade

- Anomalia no colo do útero, como fibromas

- Idade extremas ( menores que 18 e maiores de 40)

- Ameaça de aborto durante a gestação ou abortos prévios

- Gravidez múltipla

- Anomalias congênitas ou cromossômicas no feto.

- A insuficiência placentária .

- Incompatibilidade de sangue dos pais .

- A ruptura prematura da bolsa.

- Placenta prévia

 

Sinais de alarme

A partir da semana 21 , existem vários sinais que indicam que o trabalho de parto está começando.

No te puedes perder ...

Plano de recuperação depois de uma cesárea

Plano de recuperação depois de uma cesárea

Uma cesariana requer cuidados subsequentes que não exijam um parto vaginal. A recuperação da cesárea é mais lenta e exigirá mais dias de internação hospitalar, geralmente de 3 a 5 dias, em comparação com 2 ou 3 dias de parto normal. Não se esqueça que é uma intervenção cirúrgica e como tal precisará de atenção especial, que explicamos abaixo

- Contrações uterinas regulares ( uma a cada 10 minutos, de 30 segundos de duração, que se mantém duranate um prazo de 60 minutos)

- Perdas de fluido pela vagina (aguado, sangue ou muco)

- Cólicas abdominais , com ou sem diarréia

- Dor na parte inferior das costas .

- Pressão abdominal na pelve.

Tendo um ou mais destes sintomas, deve avisar ao obstetra de emergência que irá avaliar o paciente para diagnosticar se é ou não é um nascimento prematuro, a verificação de mais de 2 cm de dilatação , apagamento cervical de 50% ou menos e tamanho do colo uterina de acordo com semanas de gestação .

O tratamento prescrito dependerá do quanto avançado está o trabalho de parto, ou seja,do quanto intensas estão as contrações, nivel do apagamento do cervix, da dilatação, etc e sobre tudo do número de semanas de gestação.

Para todos os casos se recomenda repouso absoluto até o bebé esteja pronto e não hajapergio. No entanto, nas grávidas de menos de 33 semanas é muitoprovável que necessite dehospitalização para avaliação contínua, receber medicação intravenosa para tentar parar o trabalho de parto e usar medicamentos (glicocorticóides) que amadureça rapidamente os pulmões do bebé no caso de não ser possível parar o trabalho de parto. Em muitos casos, o resto pode ser feito em casa usando medicamentos relaxantes uterinos. O prognóstico é favorávelsempre que a bolsa se rompa.

Em algumas ocasiões é necessário recorrer ao cerclagem cervical do útero. Esta intervenção consiste em fechar o colo do útero com uma espécie de cinta que se fixa a ele e se ata. Uma vez passado o perigo, se remove para que o bebé possa sair de maneira natural pelo canal do parto. Desta forma, se reforça o colo do útero e se impede a diltação. É necessário um controle muito rigoroso do obstreta já que é um procedimento invasivo com risco intrínseco que a OMS só aconselha em casos de alto risco onde haja um fator cervical durante o segundo ou terceiro trismestre de gravidez, em mulheres com diagnóstico de incompetencia que tenha um histórico de três ou mais nascimentos prematuros .

Pode se previnir?

Uma vez que há uma série de fatores de risco que podem levar ao parto prematuro , evitar ou controlar ajuda a minimizar as chances de parto prematuro (embora às vezes não há maneira de impedi-lo) .

- O acompanhamento regular da gravidez e visitas ao ginecologista ajuda detectar possíveis complicações.

- Se você tem alguma doença (diabetes , lúpus, hipertensão) , é muito importante que você diga ao obstetra antes de engravidar para   tomar as precauções em relação aos medicamentos e cuidados que devem seguir durante a gravidez.

- Uma vez grávida , leve uma vida tranquila possível , dormir oito horas todos os dias, uma dieta saudável e não faça esforço excessivo.

- A hidratação das gestantes é fundamental, deve beber cerca de 2 litros de ágia ao longo do dia

- Se você tem risco de parto prematuro, evite as relações sexuais e estimulações do pico do peito ( que induzem as contrações uterinas)

- Nada de furmar

- Há alguns testes rápidos baseados na detecção de determinadas substâncias fetais (tais como a presença de fibronectina na secreção cervicovaginal) que informam sobre a severidade das contrações e alertam a probabilidade de um parto prematuro. Além disso, o nível de estriol no soro materno é uma forma de dectetar a atividade supra-renal fetal . Tem um aumento significativo 3 a 4 semanas antes do nascimento, tanto em partos que estão em prazo normal como em prematuros, por isso o estudo em mulheres em risco pode alertar um parto prematuro .

 

 

 

Redação: Irene García


0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×
*/?>