• Buscar
Publicidad

Quanto é que posso engordar durante a gravidez?

Quanto é que posso engordar durante a gravidez?

Controlar o peso que ganha durante a gravidez não é uma questão só de estética, mas de saúde, uma vez que um peso excessivamente baixo ou elevado pode causar complicações no desenvolvimento e crescimento do seu bebé.

Publicidade

Índice

 

Nem um quilo a mais durante a gravidez

O ganho médio de peso durante a gravidez é de 200-300 calorias por dia. No final da gravidez, deverá ter ganho entre 9-15 quilos. Embora estes números, mais do que um peso ideal, correspondam a uma média estatística, por isso depende de cada mulher de acordo com o seu peso e altura antes da gravidez, a sua actividade durante este período, etc.

Embora a gravidez não seja o momento de fazer dieta, também não se deve comer sem moderação. A frase "tens de comer por dois" é apenas um mito. Além disso, o sistema digestivo é um dos mais afectados pelas alterações hormonais deste período, pelo que é muito possível que no primeiro trimestre tenha náuseas e vómitos frequentes que até lhe farão perder peso; enquanto que nas últimas semanas, a pressão do bebé sobre o seu estômago fará com que se encha imediatamente e terá de comer menos mas com mais frequência.

Antes de engravidar, pode ter uma ideia de quantos quilos deve ganhar. Calcule o seu Índice de Massa Corporal (IMC) pré-concepção e, dependendo do que sair, poderá engordar mais ou menos quilos.

Para calcular o seu IMC, deve realizar a seguinte operação:

Peso/(altura)² = IMC

Por exemplo: 70 kg = 24,22

                   (1,70)²

 

Em função do resultado, aplica-se o seguinte quadro:

Peso de acordo com o IMC               Quilos a aumentar

 

Baixo (<18,5)                                    12,5 a 18 kg

 

Normal (18,5-24,9)                          11,5 a 16 kg

 

Sobrepeso (25,00 -29,9)                 10 a 14 kg, sendo preferível o menor aumento possível

 

Obesidade grau I (30-34,9)             7 a 10,5 kg, sendo preferível aumentar só um pouco

 

Obesidade grau II (35-39,9)            7 a 11,5 kg sendo preferível 7

 

Obesidade grau III (mayor a 40)    7 a 11, siendo preferible 7

 

Mulheres que esperam gémeos      15,5 a 23 kg

 

O aumento de peso é distribuído da seguinte forma, o seu corpo aplica estas percentagens ao ganho médio:

  • Útero 5,88%
  • Peitos 1.47%
  • Sangue 7,35%
  • Água 8,82%
  • Gordura 19,12%

O seu bebé:

  • Feto 50%
  • Placenta 2,94%
  • Líquido amniótico 4,41%.

 

Cuidar da nutrição na gravidez

O obstetra controlará o seu peso em cada controlo e recomendará se deve ganhar peso ou controlar a sua dieta, uma vez que tanto os pesos excessivamente baixos como os excessivamente altos podem afectar a saúde do seu bebé.

No primeiro caso, o bebé pode carecer dos nutrientes que asseguram o seu crescimento adequado, pelo que poderia dar à luz um bebé de baixo peso para a sua idade gestacional (BPEG) o que o fará requer cuidados especiais nos primeiros dias.

No segundo caso, os quilos extra vêm geralmente de alimentos pouco saudáveis, tais como gorduras ou pastelaria, que fornecem ao organismo um excesso de açúcares e gorduras saturadas que podem levar a um peso exagerado para o bebé, dificuldades no parto e problemas de obesidade e diabetes a longo prazo na criança.

 

Como voltar ao peso original?

Após o parto, muitas mães questionam-se se serão capazes de voltar ao seu peso de pré-gravidez. Embora possa parecer impossível, deve-se ter em conta que a maior parte do peso ganhado (se tiver sido seguida uma dieta adeuada) foi para o feto.

A gordura acumulada no seu corpo durante a gravidez, que se destina a fornecer-lhe as calorias necessárias para amamentar, demorará algumas semanas a desaparescer, mas muitas mulheres ficam surpreendidas com a rapidez com que recuperam o seu peso original, assim que começam a amamentar.

O maior problema é a recuperação da firmeza da pele e dos tecidos. Para isso, terá de fazer exercícios específicos todos os dias, nadar ou caminhar e usar cremes. Aplicar um creme de endurecimento e um hidratante todos os dias. Verá como eles o ajudam a apertar a sua pele para que volte ao seu estado anterior, especialmente na sua barriga.

 

Exercícios pós-parto para recuperar a sua figura

Perder peso não é o mesmo que recuperar o tom muscular. Terá de exercitar os seus músculos abdominais e perineais para os fazer voltar ao normal. Contudo, logo após o parto, encontrar o tempo para fazer exercício pode parecer um sonho impossível. Aproveite os momentos em que o bebé dorme, que são agora a maioria, para fazer alguns exercícios simples em casa que não demorarão muito tempo.

Não comece até cerca de 2 semanas após dar á luz, e sempre que o seu médico o recomendar. Comece suavemente e não se esqueça de aquecer primeiro. É melhor começar pouco a pouco, por exemplo, com duas repetições de cada exercício por dia e trabalhar até dez. Se algum exercício lhe causar dor, pare imediatamente.

1- Tonificar o estômago. Deitada no chão, com os joelhos dobrados e os braços esticados ao lado do corpo. Enfiar a tripa e pressionar as costas contra o chão. Esperar durante quatro segundos e repetir.

2- Encaracolar. Experimente este exercício abdominal quando tiverem passado pelo menos duas semanas. Deitada com as pernas dobradas como antes, tente tocar os joelhos deslizando as mãos ao longo das coxas. Com as mãos o mais próximas possível dos joelhos, ao expirar, contrair os músculos do estômago e levantar a cabeça. Conte até quatro e relaxe.

3- Tonificar as pernas. Este simples exercício fortalece as suas coxas e músculos abdominais. Deitada de lado, segure a cabeça com uma mão e equilibre o seu corpo apoiando a outra mão à sua frente. Certifique-se de que as suas pernas estão alinhadas com as suas ancas e ombros. Com o joelho e o pé virados para a frente, elevar a perna direita até à altura do ombro, contar até dois, e baixar. Repetir algumas vezes, depois dar meia-volta e repetir com a outra perna.


Blott, Maggie (2015), Tu embarazo día a día, Barcelona, Ed. Planeta.

Fecha de actualización: 27-11-2020

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×