×
  • Buscar
Publicidad

Stressada pela gravidez?

Stressada pela gravidez?

Vários estudos demonstraram que o stress crónico ou severo durante a gravidez é prejudicial tanto para a mãe como para o bebé. Pode produzir-se cansaço, insónias, ansiedade, falta de apetite, etc. Para além disso, afecta o desenvolvimento cerebral do feto, o coração e pode provocar um parto prematuro. Planificar as suas actividades, levar uma vida saudável e ter o apoio dos seus familiares ajudará a afastar o stress.

Publicidade

Comece já a controlar essa ansiedade e stress! 

Porque é que estou stressada?

Não há dúvidas de que todos nós nos sentimos stressados uma vez que seja. Um certo grau de ansiedade faz parte da nossa vida, mas quando se converte numa constante da rotina diária provoca problemas.

A gravidez é uma fase de muitas mudanças: no corpo da mulher, nas suas emoções e relações. Estas alterações podem representar um aumento do stress: as inquietudes, os medos, as exigências físicas, continuar a trabalhar e ao mesmo tempo tentar levar uma vida saudável, etc. 

O excesso de stress pode ser prejudicial para qualquer pessoa, no entanto, numerosos estudos demonstraram que, em grande parte, afecta o desenvolvimento do feto e a capacidade que a criança mais tarde terá nos estados de nervosismo.

No te puedes perder ...

No Verão, muita água!

No Verão, muita água!

Com a chegada do Verão e do calor é imprescindível prestar atenção às necessidades de hidratação dos mais pequenos, sobretudo, nas idades em que são muito propensos a alterações de temperatura, desde que nascem até aos seis anos. Desta forma, deve proporcionar-lhes a quantidade de água necessária para evitar um susto nestas férias.

Y tambien:

A ansiedade da rotina diária a que todos estamos expostos não afecta demasiado o feto. Se o stress for pouco não é prejudicial, até pode proporcionar a força necessária para enfrentar novos desafios. No entanto, o stress severo ou permanente supõe um certo risco durante a gravidez.

Porque é que é prejudicial?

A curto prazo pode produzir-se cansaço, insónias, ansiedade, falta ou excesso de apetite, dores de cabeça ou de costas.

O stress crónico aumenta os níveis das hormonas adrenalina e cortisol, que se libertam quando faz falta lutar ou fugir de algo. No entanto, o seu organismo mantém os níveis de cortisol permanentemente elevados e, desta forma, acabará por sentir-se esgotada, sem conseguir descansar e sendo incapaz de repor as reservas. Isto pode acabar por conduzir ao excesso de ansiedade e a uma depressão.

A presença permanente de hormonas de stress no organismo torna-se tóxica, já que afecta negativamente o sistema endócrino e imunitário. Uma carência de cortisol, pelo contrário, dá lugar a uma debilidade muscular e a uma incapacidade de movimentação. 

Problemas no feto

Para além disso, o excesso de cortisol afecta o desenvolvimento cerebral do feto e a maneira como os circuitos cerebrais se conectam, determinando a maneira como a criança irá reagir ao stress quando crescer.

Os investigadores descobriram ainda que se os níveis de cortisol no feto são mais altos, o cérebro programa-se para tolerá-los. Isto terá como resultado a tolerância que mais tarde a criança terá numa situação de stress.

O stress na mãe também aumenta o risco de problemas mentais e de conduta nas crianças. As crianças cujas mães padeceram deste problema durante a gravidez são mais vulneráveis a sofrerem de doenças mentais ou de problemas comportamentais, como por exemplo o Défice de Atenção com Hiperactividade.

Também afecta o coração do bebé. De acordo com um estudo dirigido por Catherine Monk, da Universidade da Colômbia, as alterações no ritmo cardíaco e a pressão sanguínea da mulher grávida relacionados com o stress e com a ansiedade crónica, alteram o ritmo cardíaco do feto.


Desta forma, o stress pode provocar um parto prematuro, causando a libertação de uma hormona chamada libertadora de corticotropina (CRH). Esta substância produzida pelo cérebro e pela placenta encontra-se estritamente relacionada com o trabalho do parto. Faz com que o organismo liberte substâncias químicas chamadas de prostaglandinas, as quais produzem as contracções uterinas.

O stress severo ou prolongado também pode interferir com o funcionamento normal do sistema imunitário, o qual pode fazer com que a mulher grávida esteja mais propensa a infecções que afectam o útero. As infecções uterinas são das principais causas dos partos prematuros, especialmente aquelas infecções que surgem antes da 28ª semana de gravidez.

Será que sofro de stress crónico?

Se responder afirmativamente a várias das seguintes perguntas, pode indicar que está num estado de stress crónico que tem de ser controlado.

- Custa-lhe a dormir?

- Sente-se inquieta durante a noite?

-. Acorda muito cedo e já não consegue voltar a adormecer?

- Sente-se nervosa e inquieta quando tenta relaxar?

- Sofre de problemas em fazer a digestão?

- Sofre de pequenas náuseas?

- Sente-se, frequentemente, irritada e cansada?

- Chora facilmente?

- Deseja muito beber café ou qualquer outro estimulante?

O que fazer?

Desta forma, como é que sabe se o seu sistema está desequilibrado? Deverá ter em atenção o seu estilo de vida e identificar os aspectos potencialmente problemáticos. Por exemplo, se a sua carga de trabalho é muito grande? Aprenda a reduzir os seus níveis de stress, a conservar as suas energias e a aproveitar o tempo livre sempre que possa.

  1. Planifique. Deve administrar o seu tempo para não se sentir angustiada com todas as suas obrigações. Aproveite o domingo para organizar as actividades da semana: quando é que vai ao médico, às compras, estar com os amigos e família, etc. À medida que a sua gravidez vai avançando ficará mais esgotada: realize as tarefas imprescindíveis e deixe para o seu marido ou família aqueles trabalhos menos importantes. Deve planificar também o tempo de descanso e de lazer.
  2. Informe-se. Pesquise sobre várias coisas acerca de gravidez. Se estiver preparada para tudo aquilo que se vai passar durante a sua gravidez, evitará surpresas ou sustos que podem trazer algum stress.
  3. Seja realista no trabalho. Não tente fazer tudo sozinha, nem continuar com o ritmo de trabalho que tinha antes, já que à medida que a gestação avança o cansaço é maior. Evite as horas extras, as viagens grandes, as reuniões fora de hora, etc. Planifique as tarefas primordiais e deixe para outra altura aquelas que não são prioritárias.
  4. Cuide da sua saúde. Uma alimentação saudável tende a aumentar a sensação de bem-estar. Evite os açúcares em excesso e as comidas muito gordas, que aumentam a sensação de peso e cansaço. Coma alimentos frescos: frutas, verduras, peixe, iogurtes. Beba muita água.
  5. Procure apoio na família. Não deixe de pedir ajuda e conselhos aos seus familiares, marido ou amigos. Compartilhe tudo aquilo que a preocupa.

Pequenos truques

- Coma de uma forma saudável e beba muita água.

- Descanse quando o corpo necessita.

- Faça exercício (sempre que o médico não indique o contrário).

-. Relaxe-se fazendo meditação, ouvindo música e escrevendo um diário da sua gravidez.

- Evite as pessoas e situações que lhe causam stress, sempre que seja possível.

Vá a todas as consultas de cuidados pré-natais. Isto dar-lhe-á uma tranquilidade ao saber que o seu bebé está bem.

 


 
 


Fecha de actualización: 07-07-2008

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.