Vou ser pai ... e agora?

Vou ser pai ... e agora?
Partillhar

Vai ser papá e invadem-lhe todo o tipo de sentimentos estranhos e contraditórios, dúvidas e até medos. Não se preocupe, não é o único. Estes são os medos mais frequentes dos futuros papás.

A paternidade

Muitos homens sentem-se papás desde o preciso momento em que sabem da gravidez, outros têm que esperar para ver o bebé nos seus braços e outros demoram alguns meses depois do nascimento da criança para se sentirem pais. Há futuros papás que colocam, de forma fugaz e interiormente, uma pergunta; Serei realmente eu o pai?

Pergunta que, por outro lado, se é feita por algum amigo, ofende-os profundamente. Deve-se encarar esta reacção desde um ponto de vista emocional, não racional. São muitos os sentimentos que se começam a misturar perante a notícia de serem pais: estes momentos de confusão são normais.

O adeus definitivo à sua adolescência

Os homens precisam da sua dose de atenção e de carinho diário. Dose que, evidentemente, diminuirá com a chegada do bebé. Em alguns casos, o futuro papá, vê o seu filho como um pequeno “rival” com quem terá que partilhar os cuidados da sua mulher. O papá deixa de ser a criança mimada ou o adolescente. Chega uma etapa nova, maravilhosa, mas cheia de responsabilidades que pesam sobre os seus ombros.

Medos económicos

No te puedes perder ...

Desenvolvimento infantil: jogos a partir dos três anos

Desenvolvimento infantil: jogos a partir dos três anos

A partir dos 3 anos o seu filho vai deixando de ser um bebé e pode parecer mais pacífico que nos meses anteriores. Torna-se muito mais independente e desfruta da companhia de outras crianças. A transição das brincadeiras paralelas às colectivas vai produzindo-se a pouco e pouco, embora ainda precise da sua ajuda para controlar os seus sentimentos quando surge algum desacordo com um colega de brincadeira.

Outro dos medos que enfrenta o homem durante a gravidez da sua mulher tem a ver com o impacto que representará a chegada do bebé à economia familiar. É claro que um filho implica muitas despesas, mas não se preocupe, tudo é questão de apertar um pouco o cinto, ou adiar determinados caprichos. Com as satisfações que lhe dará o seu bebé ao chegar, compreenderá que esses pequenos sacrifícios valem a pena.

O ginecologista, o obstetra, as aulas de preparação para o parto…

A maioria dos homens não está habituada ao ambiente destes “lugares para mulheres”, onde se sentem deslocados e inibidos. De forma geral, os homens não conhecem – ou preferem não conhecer - com certa profundidade o sistema reprodutivo da mulher. Mas é importante ter em conta que a futura mamã está a passar por um momento no qual precisa de todo o seu apoio e ajuda.

“A minha mulher vai ficar gorda e pouco desejável”

É normal que tema a transformação física da sua mulher, mas tente compreender que também não é fácil aumentar uns vinte quilos, ter náuseas de manhã e os pés permanentemente inchados. Mesmo que já não sinta por ela a atracção sexual de antes, tenha em conta que este também é um dos seus medos, e a única pessoa que a pode tranquilizar, subir a moral e reconfortar é você.

As relações de casal

Durante o período de gestação, as hormonas da grávida sofre todo o tipo de mudanças que afectam o seu carácter e o seu estado de ânimo. Por isso é normal que passe por momentos nos quais não consiga entender o seu comportamento, especialmente em relação a si. A força interior que tem a grávida mistura-se com uma certa debilidade emocional, por isso, podem haver dias nos quais uma simples palavra ou brincadeira a afectem até pontos incalculáveis.

Também o futuro das relações sexuais do casal durante este período é uma questão que colocam a maioria dos futuros papás, magoaram o feto ou a mãe? Perante uma gravidez que se desenvolve com normalidade, recomenda-se continuar a manter relações sexuais, mas cada grávida é um mundo. Umas sentem-se mais activas sexualmente, enquanto outras podem chegar a perder quase completamente o interesse pelo sexo. Se a posição da sua mulher perante este tema não é a que gostaria, tenha paciência, voltará a ser a de sempre dentro de alguns meses.

Rompeu águas! Mas, por onde é que se ia para o hospital?

Parece um medo absurdo, mas é real. Muitos papás acham que quando chegue o momento de levar a sua mulher para o hospital vão acontecer todo o tipo de desastres. Mas calma, se se esquece do caminho, a sua mulher encarregar-se-á de o recordar, a gritos!

 


 



0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×
*/?>