• Buscar
Publicidad

Consequências de engordar muito durante a gravidez

Consequências de engordar muito durante a gravidez

Durante a gravidez é muito comum que em cada visita ao ginecologista tenha de pesar-se para ver se está a ganhar peso bem. O ganho de peso ideal é entre 9 e 12 quilos, mas deve ter-se em conta que também depende da sua constituição.

Publicidade

Índice

 

Quanto peso se deve ganhar durante a gravidez?

Geralmente, todos os médicos aconselham que durante o período gestacional se ganhe peso da seguinte forma:

- As mulheres que sofrem de obesidade só devem ganhar de 5 a 9 kg de peso.

- As mulheres que têm excesso de peso devem ganhar de 7 a 11 kg.

- Mulheres que têm um peso normal, aproximadamente de 11 a 16 kg.

- As mulheres que estão abaixo do peso recomendado devem ganhar de 13 a 18 kg.

Apesar destas indicações, em termos gerais, muitas mulheres tendem a ganhar mais peso do que é razoável, especialmente aquelas tinham excesso de peso ou obesidade antes de engravidar.

De acordo com um inquérito da Universidade de Yale em Connecticut (EEUU), quase dois terços das mulheres grávidas ganharam mais peso do que o recomendado durante os nove meses de gestação. Estes dados são alarmantes, uma vez que o aumento excessivo de peso pode ter consequências graves tanto para a mãe como para o bebé.

 

Consequências da obesidade da mãe sobre o bebé

- A mais grave é a morte fetal. Num estudo da Universidade de Newcastle (Reino Unido) foi afirmado que o risco de morte fetal aumenta quando o IMC da mãe no início da gravidez é superior a 23.

- Atraso do crescimento. Normalmente, os bebés nascidos de mães com excesso de peso ou obesas crescem mais lentamente do que os nascidos de mães dentro dos limites recomendados, de acordo com os resultados de um estudo da Universidade de Iowa (Estados Unidos). Também influencia o desenvolvimento posterior dos bebés.

- O ganho de peso excessivo está também ligado a um risco acrescido de malformações e defeitos no tubo neural do feto.

- Maiores hipóteses de autismo. As mulheres que são obesas têm 67% de hipóteses de ter um filho com autismo.

- Se a mãe ganha demasiado peso, a hipótese do bebé nascer con a espinha bífida também duplica-se.

- Macrossomia ou peso acima do normal para a idade gestacional.

 

Consequências para a mãe

- Retenção de peso pós-parto e risco de obesidade posterior.

- Risco de diabetes gestacional. As mulheres que sofrem esta doença tendem a ter bebés muito grandes à nascença. Isto leva a problemas no parto e ao desenvolvimento da diabetes tipo 2 após o parto.

- Complicações no parto e alto risco de cesariana. O nascimento poderia ser prolongado e, como consequência, haveria sofrimento fetal e o processo poderia culminar com uma cesariana.

- Perigo de pré-eclâmpsia. Como regra geral, as mulheres com excesso de peso ou obesas tendem a ter a tensão arterial mais elevada e pré-eclâmpsia. As consequências podem ser muito graves, incluindo a morte da mãe ou do feto.

- Dor nas costas e nas pernas por carregar demasiado peso.

- Aumenta o aparecimento de veias varicosas.

 

Como evitar engordar durante a gravidez?

Estas dicas vão ajudá-la a evitar ganhar mais peso do que é recomendado nestes meses de gravidez, o que a ajudará a manter a sua saúde e a do feto:

- Fazer 5 ou 6 refeições por dia menos copiosas, mas mais frequentes. Não é aconselhável passar mais de 3 horas com o estômago vazio. Entre as refeições, é aconselhável petiscar alimentos saudáveis como fruta, cereais integrais, produtos lácteos desnatados, frutos secos , nozes…

- A base da sua dieta deve ser a fruta e os legumes que fornecem muitas vitaminas, minerais e fibras (os nutrientes de que necessita) e promovendo o trânsito intestinal.

- Os produtos lácteos são também muito importantes para fornecer o cálcio necessário para o desenvolvimento do bebé. Coma 3 ou 4 porções por dia de produtos lácteos desnatados ou semi-desnatados.

- Evite alimentos insalubres como pastelaria, bebidas gaseificadas, doces, batatas fritas...

- A proteína também é necessária, uma vez que precissa de energia. As melhores proteínas provêm da carne branca e do peixe.

- Limitar o consumo de carne vermelha, pois tem mais gordura.

- Cozinhar tudo com um mínimo de gordura: nada de fritos, opte por cozer a vapor ou grelhar.

- Os cereais são necessários, mas escolha os grãos inteiros que proporcionam os mesmos benefícios, mas com menos calorias.

- Nem todas as gorduras são más, algumas são saudáveis e devem ser consumidas, tais como gorduras polinsaturadas fornecidas por azeite, frutos secos, abacate... e evitar gorduras saturadas encontradas na manteiga, leite inteiro, alimentos processados, etc.

- Beba muitos líquidos, especialmente água (cerca de 2 litros por dia), leite e sumos naturais.

- Faça exercício regularmente. Natação, caminhada, pilates, yoga... pelo menos 30 minutos por dia.

- Lembre-se de que não deve seguir uma dieta rigorosa durante a gravidez, pois pode privar o feto dos nutrientes necessários. Se tiver alguma dúvida, pergunte ao seu profissional médico ou endocrinologista.


Glosario

Espinha bifída

Definição:

A espinha bífida (EB) é uma má-formação congénita do tubo neural (DTN), que se caracteriza porque um ou vários arcos vertebrais posteriores não se uniram correctamente durante o primeiro mês de gestação, de maneira que a médula espinhal fica nesse lugar sem protecção óssea.

Sintomas:

• Aspecto anormal da parte posterior do bebé, variando de um pequeno remendo com pêlo ou uma marca de nascimento, a um saco (espécie de saliencia) que se encontra ao longo da área da espinha dorsal. • Problemas intestinais e da bexiga. • Perda de sensibilidade por debaixo da área da lesão, especialmente nos casos de meningocele e mielomeningocele. • Incapacidade de mover as pernas • Hidrocefalia. • Problemas cardíacos. • Problemas ortopédicos (dos ossos). • Nível de inteligência abaixo da normalidade.

Tratamento:

O tratamento é necessário para reduzir o dano neurológico e as complicações como uma infecção, e para ajudar a familia a enfrentar este transtorno. Geralmente, recomenda-se uma reparação cirúrgica na  idade infantil, embora esta possa fazer-se mais à frente para permitir que a criança tolere melhor o procedimento. Antes da cirurgia, a criança tem que ser tratada com cuidado para reduzir os danos na médula espinhal exposta, o qual abarca uma posição especial, dispositivos de protecção e modificações na forma de alimentar, manipular, dar banho e cuidar do bebé.

"Kominiarek MA, VanVeldhuisen P, Hibbard J, et al. The maternal body mass index: a strong association with delivery route” publicado no American Journal of Obstetrics & Gynecology 2010; 203:264.e1-7.

Institute of Medicine IOM: “Weight Gain During Pregnancy: Reexamining de Guidelines”. Washington, National Academy Press, 2009.

“Maternal Overweight and Obesity and the Risk of Congenital Anomalies A Systematic Review and Meta-analysis” del Institute of Health and Society, Faculty of Medical Sciences, Newcastle University, Newcastle upon Tyne, United Kingdom publicado no Journal of the American Medicine Association JAMA.2009; 301(6):636-650.

"Maternal metabolic conditions and risk for autism and other neurodevelopmental disorders," publicado na revista Pediatrics, Journal of the American Academy of Pediatrics.

Fecha de actualización: 24-02-2021

Redacción: Esperanza Pavón

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×