Exercício físico na gravidez, saiba porque é que deve escolher o yoga!

Exercício físico na gravidez, saiba porque é que deve escolher o yoga!
Partillhar

Praticar yoga durante a gravidez pode ser uma preparação muito útil para dar à luz graças ao conhecimento de diferentes técnicas específicas para ajudar na respiração e nas contracções durante o parto. Dessa forma, o yoga oferece-lhe a oportunidade de torná-la consciente do bebé e das alterações que se produzem no seu corpo durante a gestação.

A gravidez é um processo extraordinário que, geralmente, dura 40 semanas, contando como referência o primeiro dia da última menstruação, embora cada bebé, se a gravidez for sem complicações, saiba exactamente quando tem que nascer. São muitas as alterações que ocorrem no seu interior, tanto fisiológicas e anatómica, como emocionais. É o momento da sua vida em que se tornará mais intuitiva, mais instintiva nesta transição até à maternidade.

A prática de yoga durante esta etapa tão especial irá ajudá-la a estar mais consciente destas alterações, a senti-las, a compreendê-las e a vivê-las na sua plenitude. As posições modificadas para cada período da gestação fazem-na conectar com o seu corpo. É uma ajuda inestimável para soltar a tensão física nos músculos e articulações, mas também para libertar emoções e ajudá-la a sentir-se livre de inibições.

O momento do dia escolhido para praticar yoga é um momento de pausa, um momento de conexão única entre si e o seu bebé, sentindo como o seu corpo altera de dia para dia. É, sobretudo, uma oportunidade para estar absolutamente consciente da sua respiração natural. Através dela conecta com o seu corpo mas também com o seu bebé que se mexe ritmicamente a cada ciclo respiratório. Uma má postura, uma atitude corporal inadequada, tensão na parte alta do corpo, o stress, as preocupações, entre outros motivos, comprometem, sem dúvida, o ritmo natural da respiração.

No te puedes perder ...

Varizes durante a gravidez: prevenção e tratamento!

Varizes durante a gravidez: prevenção e tratamento!

As alterações hormonais que se produzem durante a gravidez provocam o aparecimento de numerosas e anti-estéticas varizes. No entanto, prevenir o seu aparecimento é possível seguindo uma dieta equilibrada, praticando exercício diário, tomando duches de água fria, etc. Se apesar de seguir estes conselhos as varizes entram na sua vida, fique tranquila! A maioria delas desaparecem depois do parto e as que persistem podem ser eliminadas de forma simples com diversos tratamentos.

Através da prática do yoga ajuda a restabelecer, sem forçar e sempre se uma forma suave, uma postura adequada para que o fluir da respiração não seja entorpecido. A coluna vertebral é o nosso eixo com duas direcções claramente definidas. O crescimento do bebé no interior do seu corpo põe claramente em manifesto estas duas forças. Todo o organismo está a adaptar-se a estas alterações e o seu bebé é um companheiro activo durante a gravidez. O som da sua voz, as suas emoções e os seus sentimentos são muito importantes. O medo, a tristeza e as preocupações também fazem parte das emoções e reconhecê-lo e expressá-lo ensinam o bebé já desde a sua vida no interior, já que durante a gravidez estão profundamente conectados.

Para além disso, a prática frequente do yoga durante a gravidez (é melhor praticar todos os dias cerca de 15 minutos do que uma vez por semana durante 1 hora) torna-a consciente do seu corpo e prepara-a para o dia do parto. Aprende a reconhecer diferentes partes do seu corpo, assim como o solo pélvico, essa "porta" que o bebé terá de atravessar no seu caminho para o exterior, e como essa certa tensão pode libertar-se se tiver consciência da sua respiração. O seu corpo saberá mais. Com a prática de yoga os diferentes movimentos realizados durante a gravidez  irão proporcionar-lhe memória corporal para que no dia do parto todos os movimentos aconteçam de forma instintiva sem que tenha que pensar.

Ninguém nos pode ensinar a ter um filho, ninguém ensinar um bebé a nascer. É um processo completamente involuntário e espontâneo. Simplesmente acontece... é forte, bonito e absolutamente selvagem. Podemos sim escolher ser conscientes de um processo tão incrível como é a gravidez, o milagre do parto e o nascimento.

Primeiro trimestre

Durante o primeiro trimestre não é recomendado o início de nenhuma actividade nova. O seu corpo está a funcionar intensamente para adaptar-se ao desenvolvimento do embrião e da placenta. Neste período realiza-se a implantação, produz-se a diferenciação do tecido fetal e um desenvolvimento neurológico. É um momento extremamente delicado, pelo que se sentirá mais cansada, sendo possível que apareçam náuseas e vómitos. No entanto, se já praticava yoga nos meses antes de engravidar e se se encontra bem, não há nenhum motivo para interromper a prática do yoga.

Uma boa consciência da sua postura vai ajudá-la a que, à medida que o bebé vai crescendo no seu interior, o seu corpo se vá adaptando sem dificuldade a todas as alterações que vão ocorrendo. Para além disso, uma boa postura é imprescindível para que a sua respiração seja mais livre. Por outro lado, o mais importante é perceber os sinais que o nosso corpo nos envia. Se está animada e com vontade, poderá começar com uma sequência suave, aproveitando o seu tempo diário para ser consciente de si própria, das suas emoções e da alteração tão maravilhosa que começa a acontecer dentro de si. Aproximadamente na nona semana de gestação já são dois corações que batem!

Segundo trimestre

Durante este trimestre o mal-estar, como as náuseas, os vómitos e a sensação de cansaço, provavelmente já desapareceram. É um momento muito especial onde começa a sentir o movimento do bebé, onde começa a ser visível a sua alteração física e onde, provavelmente, se sentirá com mais energia. Pode ir incorporando na sua prática asanas mais elaboradas.

Manter uma boa postura durante a gravidez ajuda a evitar mal-estares como a dor ciática, cujo aparecimento é tão frequente neste trimestre. Os ligamentos redondos que unem o útero à púbis começam a alargar-se à medida que o útero vai crescendo, produzindo em muitas ocasiões esticões que podem chegar a ser dolorosos em ambos os lados do útero, pela sua zona mais baixa e externa. Algumas destas asanas ajudam a aliviar a tensão dos ligamentos redondos.

À medida que o bebé cresce o sistema digestivo vai-se deslocando para os lados e para cima, de maneira que podem começar a surgir desconfortos intestinais como os gases. Através de certas asanas vai-se criando espaço interno que poderia aliviar os desconfortos digestivos. Durante a gravidez o volume sanguíneo aumenta chegando a ser no final da gravidez cerca de 40 a 50% mais que o volume normal. Isto pode acarretar a sensação de peso nas pernas e o aparecimento de varizes. Com a prática frequente de asanas a circulação sanguínea vê-se estimulada permitindo um retorno mais fluído.

Terceiro trimestre

Durante este período o movimento do bebé é muito frequente. Reage a diferentes estímulos e observará que tende a mexer-se mais quando você estiver quieta e tranquila, nomeadamente à noite. Dormir toda a noite começa a ser difícil. O peso do bebé sobre a bexiga faz com que tenha vontade de urinar com mais frequência. Deitar-se de barriga para cima não é o mais cómodo. Sem que necessariamente seja o motivo, o seu corpo tende a trocar de postura a cada momento. Isto contribui para que não se veja interrompido (por compressão da veia cava inferior) o aporte de oxigénio do seu bebé. Para além disso, o momento do "grande dia" está cada vez mais próximo.

É possível que se sinta mais lenta, mais distraída e com alterações de humor muito frequentes e, aparentemente, sem causa justificada. O seu corpo vai-se preparando para essa "grande viagem" que é o parto e o seu bebé para o nascimento. Através do yoga poderá estabelecer esta comunicação única consigo mesma e com o seu bebé, aceitando os possíveis medos que tenha e confiando no facto do seu bebé nascer no dia em que ele mesmo decidir. Vocêéúnicae oseu bebé também.



Fecha de actualización: 21-10-2008

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>