Saúde oral na gravidez - Prevenção e tratamento de doenças

Saúde oral na gravidez - Prevenção e tratamento de doenças
Partillhar

A frase “a gravidez custa-te um dente” tem em si algo de verdadeiro, já que o aumento das hormonas e do fluxo sanguíneo durante a gravidez provocam desconforto nas gengivas, o que pode derivar numa gengivite ou até numa periodontite. Se esta doença não for tratada a tempo, pode mesmo causar um parto prematuro ou bebés de baixo peso à nascença.

A doença periodontal

É uma doença que afecta as gengivas e as estruturas de suporte dos dentes. A etapa mais inicial da doença periodontal é a gengivite que, se não for tratada, pode progredir até periodontite, onde se produzem danos irreversíveis nas gengivas. Nas grávidas é muito comum que sangrem das gengivas e que se produza uma gengivite, tanto que é conhecida como a “gengivite da gravidez”. Também se origina um aumento da secreção da saliva.

Porque é que isto acontece?

A principal causa da doença das gengivas é a placa bacteriana, uma capa pegajosa e incolor que se forma constantemente e que adere à volta dos dentes. A limpeza diária é essencial para retirar a placa e manter uma boca saudável. Se esta placa bacteriana não for retirada, endurece e converte-se num depósito rugoso e poroso chamado tártaro. As toxinas produzidas pelas bactérias na placa irritam as gengivas e destroem os tecidos de suporte que estão à volta dos dentes. As gengivas inflamam e separam-se dos dentes formando bolsas que se enchem com mais placa bacteriana. À medida que a doença avança, as bolsas tornam-se mais profundas e a placa desloca-se até à raiz dos dentes. O osso que sustém o dente pode sofrer danos permanentes. Se não foram tratados a tempo, os dentes afectados podem inflamar e até cair.

No te puedes perder ...

Saúde oral na gravidez - Prevenção e tratamento de doenças

Saúde oral na gravidez - Prevenção e tratamento de doenças

A frase “a gravidez custa-te um dente” tem em si algo de verdadeiro, já que o aumento das hormonas e do fluxo sanguíneo durante a gravidez provocam desconforto nas gengivas, o que pode derivar numa gengivite ou até numa periodontite. Se esta doença não for tratada a tempo, pode mesmo causar um parto prematuro ou bebés de baixo peso à nascença.

Durante a gravidez, este processo é mais frequente pelo aumento de diversas hormonas, entre elas a relaxina, uma hormona que serve para relaxar as articulações, facilitando o parto. No entanto os seus efeitos também afectam os ligamentos da boca, provocando a mobilidade das peças dentais e facilitando a entrada de restos de alimentos entre os dentes e gengivas, o que provoca a inflamação.

Para além disso, durante estes 9 meses existe um maior fluxo de sangue pelo corpo que pode causar inchaço, sensibilidade e mau estar nas gengivas.

Sintomas da gengivite

- As gengivas sangram ao escovar os dentes

- Gengivas vermelhas, inflamadas ou dolorosas

- Dor de dentes

- Gengivas soltas e inflamadas

- Mau hálito persistente

- Pus entre os dentes e gengivas

- Dentes soltos ou que se estão a separar

- Alterações nas dentadas

- Alterações na adaptação das dentaduras parciais.

Tratamento da doença

Nas etapas iniciais da doença o tratamento consiste na raspagem e alisamento radicular. Isto implica extrair a placa e tártaro das bolsas à volta dos dentes polindo e alisando a raiz. Assim se eliminam as bactérias e os irritantes que causam a inflamação. Normalmente o tratamento permite que a gengiva adira de novo ao dente ou quês e contraia o suficiente para eliminar a bolsa.

Os casos mais avançados podem requerer tratamento cirúrgico. Inclusivo se existem dentes. Inclusivo se existirem dentes soltos, o dentista pode ver-se obrigado a tratar a boca: por exemplo, unindo os dentes com férulas temporais para reduzir o movimento obtendo mais comodidade e melhor função.

Prevenção e cuidado das gengivas

Antes de chegar ao extremo de perder um dente, uma higiene adequada e uns simples cuidados podem prevenir o aparecimento da gengivite.

- Escovar os dentes pelo menos três vezes por dia. Se possível, depois de cada refeição durante pelo menos cinco minutos. Se vomitar também deve escovar os dentes para limpá-los bem.

- Escovar com suavidade. Usar uma escova de filamentos suaves e escovar suavemente. Se tiver muita sensibilidade use uma pasta dentífrica especial para gengivas sensíveis. Se lhe doerem as gengivas depois de escovar os dentes, aplique gelo para aliviar a dor.

- Usar fio dental diariamente. Se possível, depois de cada refeição.

- Não comer demasiados doces, porque contribuem para a doença das gengivas e para a caries.

- Visitar o dentista regularmente. O melhor é fazer um exame dental ao princípio da gravidez para conservar a saúde dos dentes e ir ao dentista com maior frequência.

- Não fumar, que estraga os dentes e faz mal ao bebé e à mãe.

Como escovar os dentes?

Passo 1

- Escovar sem molhar e sem pasta dentífrica

- Escovar desde a gengiva até ao dente no sentido vertical

- Limpar as zonas externas e internas

- Enxaguar a boca

Passo 2

- Limpar a escova e colocar pasta dentífrica

- Limpar desde a gengiva até ao dente no sentido vertical

- Cuspir a paste de dentes que sobra

Cuide da sua boca para evitar um parto prematuro

A publicação oficial da Academia Americana de Periodontologia, Journal of Periodontology, publicou dois estudos sobre os prejuízos de uma má saúde bucal durante a gravidez que pode desencadear um parto prematuro.

O primeiro foi realizado por uma equipa dirigida pela doutora Cátia M. Gazolla, da Universidade do Vale do Rio Verde, em Três Corações (Brasil). Nele estudaram a gravidez de 450 mulheres das quais 328 tinham alguma doença periodontal. A 266 das 328 foi proporcionado o tratamento adequado, enquanto o resto abandonaram o estudo. Cerca de 4,1% das mulheres com gengivas saudáveis tiveram os seus bebés com baixo peso num parto prematuro; das mulheres com problemas periodontais tratados, cerca de 7,5% tiveram um parto prematuro ou bebés com baixo peso ao nascer, enquanto as mulheres grávidas que sofriam algum problema periodontal e abandonaram o estudo, a taxa de parto prematuro ou bebés com baixo peso foi de 79%.

A outra equipa de investigação pertence à Universidade do Norte da Carolina, em Chapel Hill, que estudou oito tipos diferentes de bactérias orais e como respondiam os anticorpos. A conclusão foi a mesma, as doenças periodontais produzem um aumento de partos prematuros.

Para evitar outros males que também afectam a mulher, o melhor é fazer uma primeira revisão antes de ficar grávida e como bem concluem os investigadores, se durante a gravidez existir uma doença das gengivas ou periodontal, o melhor é trata-la para prevenir um parto prematuro.

 

 

Fonte: Academia Americana de Periodontologia



Fecha de actualización: 05-03-2008

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>