O primeiro mês de gravidez

O primeiro mês de gravidez
Partillhar

O médico já lhe confirmou a feliz notícia: está a espera de um bebé! Desde a segunda semana da sua gravidez começa a notar mudanças no seu corpo: um dos primeiros sintomas é o aumento do peito, que costumam inchar com os dias prévios à menstruação, e em muitos casos, tornam-se igualmente sensíveis. É muito importante ir mudando o tamanho do sutiã - provavelmente aumente de 2 a 3 tamanhos- segundo o que vá necessitando para que a pele guarde todo a sua elasticidade. No duche, altere os jatos de água fria e a sua quantidade para tonificar.

Por outro lado, a mudança hormonal que acontece durante a gravidez faz com que a qualidade da nossa pele sofra alterações, uma pele seca pode tornar-se gordurosa e vice-versa. O ideal é limpar bem a cara duas vezes ao dia e aplicar um creme hidratante. Algumas vezes a gravidez supõe uma volta de acne, e nestes casos o cuidado da cara tem que ser mais rigoroso. Consulte o seu médico se começam a surgir borbulhas.

 

Também a sensação de cansaço aparece desde as primeiras semanas de gravidez. Assim que, mesmo que trabalhe, não exija demasiado de si mesma: descanse sempre que necessite e tente dormir 8 horas diárias. Aproveite agora, que ainda pode; a partir do quinto ou sexto mês de gravidez não saberá exactamente o que fazer com a sua barriga e além disso, os bebés adoram brincar e dar pontapés pelas noites!

No te puedes perder ...

O primeiro mês de gravidez

O primeiro mês de gravidez

O médico já lhe confirmou a feliz notícia: está a espera de um bebé! Desde a segunda semana da sua gravidez começa a notar mudanças no seu corpo: um dos primeiros sintomas é o aumento do peito, que costumam inchar com os dias prévios à menstruação, e em muitos casos, tornam-se igualmente sensíveis. É muito importante ir mudando o tamanho do sutiã - provavelmente aumente de 2 a 3 tamanhos- segundo o que vá necessitando para que a pele guarde todo a sua elasticidade. No duche, altere os jatos de água fria e a sua quantidade para tonificar.

 

Se depois de ler tudo estiver um pouco assustada... não se preocupe, pense que a gravidez só dura 9 meses e merece a pena... Sabia que ao finalizar o primeiro mês de gestação o coração do bebé já late? Apesar de medir só 1, 5 mm!

Alguns conselhos sobre a sua alimentação e os seus hábitos que lhe servirão para toda a gravidez.

Uma pessoa que realize uma actividade física média deve de ingerir cerca de 2000 calorias diárias, ao estar grávida deve aumentar esta quantidade para umas 300 calorias a mais. Escolha uma dieta rica em comidas saudáveis e naturais, evitandos as carnes e peixes crus como o sushi, as ostras ou as aves pouco cozidas. Também é importante diminuir os queijos moles das suas refeições e os leites não pasteurizados que podem ser portadores de bactérias causantes de certas doenças nos bebés.

Além do mais, tem que aumentar uns 20% a ingestão diária de proteínas e duplicar a vitamina D e a de ferro, fundamental para o bom desenvolvimento do feto. Necessidade que se produz como resultado do maior volume sanguíneo materno. As principais fontes de ferro são as carnes vermelhas e o fígado, bem como outros tipos de carnes, aves e peixes. A vitamina D está nos cereais, leite de soja e em alguns queijos...

 A necessidade de cálcio durante a gravidez é de 1200 mg diárias, um 50% mais que a quantidade necessária para as mulheres que não estão grávidas. O cálcio é especialmente importante para as grávidas com menos de 25 anos, já que os seus ossos continuam a crescer em densidade. Este nutriente obtém-se sobretudo no leite, iogurte e nos queijos.

Quantos aos hábitos, desde o momento que sabe que está grávida, tem que ter um especial cuidado com os excessos de cafeína, e é claro, nada de tabaco nem de álcool. Além disso, sempre que não seja contra indicado pelo seu ginecologista, o ideal é que faça meia hora de exercício suave diariamente... mesmo que esteja cansada, o seu corpo e o ânimo agradecem.

 



Fecha de actualización: 21-11-2005

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>