Riscos da gravidez aos 40 anos

Riscos da gravidez aos 40 anos
Partillhar

 As condições laborais e pessoais atuais  fazem que muitas mulheres, reflitam sobre a maternidade, depois dos quarenta. Embora muitas gravidezes têm vindo a ser concretizadas, existem alguns riscos que são aumentados passando a barreira dos quarenta.

Recta final da gravidez: saiba distinguir as contracções!

Recta final da gravidez: saiba distinguir as contracções!

Assusta-lhe a recta final da gravidez, a aproximação do momento do parto, o facto de não estar preparada ou de não saber se o teu filho vai mesmo nascer? Por vezes as grávidas têm certas dores do parto que são “falsas”, as chamadas contracções de Braxton Hicks, que podem fazer crer que o grande momento chegou. Aprenda a distingui-las.

 - Risco de aborto : o risco de aborto espontâneo com a idade materna está em torno de 11,1% entre os 20-24 anos , 11,9 % com idade 25-29, 15% 30-34 anos , 24,6 de 35-39 anos , 51% com idade entre 40-44 anos e 93% após 45 anos.

 

- Aumento do risco de anormalidades cromossômicas: O distúrbio cromossômico mais comum é a síndrome de Down ( trissomia 21), envolvendo retardo mental e outras malformações , como doença cardíaca grave. A incidência desta síndrome aumenta com a idade materna; e é menos de 1 em 1.000 em mulheres com menos de 30 anos, enquanto nas mulheres com idade entre 40-42 anos, o risco aumenta para 1 em 105 e acima dos 48 anos, o risco é de 1 em 16.

 

- Hipertensão arterial: Tratasse de um estado caracterizado por pressão arterial elevada , que muitas vezes ocorre no final do segundo trimestre e durante o terceiro. A sua incidência aumenta com a idade materna e gestações múltiplas. Em pacientes com história de hipertensão arterial, geralmente pioram com a gravidez. Quando a hipertensão arterial da mãe é acompanhada por edema e proteinúria é chamado: pré-eclampsia . Os quadros de pré-eclâmpsia variam de formas leves a outras muito graves. Se isto ocorrer, é necessária um rigoroso monitoramento materno-fetal.

 

- Nascimento prematuro e baixo peso ao nascer: O risco de prematuridade não é apenas a mortalidade neonatal , mas também os efeitos que podem ser deixados no recém-nascido , que podem ser graves ( surdez, cegueira ... )

 

- Diabetes Gestacional: Constitui o distúrbio metabólico que é mais frequentemente associada com a gravidez afetando o prognóstico mãe idosa( infecções do trato urinário , ganho excessivo de peso , parto prematuro, ... ) e do futuro filho ( macrossomia , dificuldade respiratória ou hiperbilirrubinemia ) se não é devidamente controlado.

 

- Cesarianas ou partos instrumentais: O risco aumenta em mulheres com mais de 40 anos que dão à luz a seu primeiro bebê . Há uma maior probabilidade do prolongamento do segundo estágio do parto e aumento de sofrimento fetal , aumentando assim a probabilidade de parto vaginal operatório ( vácuo ou fórceps) ou cesárea .

 

- Agravamento das condições anteriores da mãe durante a gravidez e o período pós-parto.

 

Apesar de todos estes inconvenientes , a Dra. Rocio Nuñez , vice presidenta na Clinica Tambre, diz nos que " todas as gravidezes exigem estilos de vida saudáveis ​​e cuidados especiais, e as mulheres idosas que engravidan devem aumentar cuidados e ser constantemente sob o controle de especialistas . "

 


0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×