Cólica na gravidez

Cólica na gravidez
Partillhar

A gravidez é uma fase cheia de mudanças. Uns são mais perceptíveis que outros, mas quando entra em cena a dor, por menor que seja, o alarme se dispara

É normal sentir um mal estar na zona abdominal e na maioria dos casos não tem maiores implicações. A causa da dor é variada, embora geralmente está relacionado a continua transformação que sofre o corpo ao longo de toda gestação.

São muitos os incômodos que podem aparecer em algum momento durante a gravidez provicando dor na área da tripa e a preocupação da futura mãe: gases, azia, prisão de ventre, pressão dos orgãos, dor na pélvis, contrações, distensão muscular, etc. Cada uma costuma aparecer em um momento concreto de desenvolvimento da gravidez.

Portanto, dependendo da fase da sua gravidez, você pode sentir essas dores:

Primeiro trismestre

No começo da gestação, concretamente uns dias depois da concepção, algumas mulheres padecem de uma dor igual a da menstruação.  Não é de esranhar que muitas confudam esses sintomas com a menstruação. No entanto, se há gravidez, essas dores coincidem com a implantação do embrião. O corpo está se preparando para acomodar e para gestar o futuro ebé e esta atividade do útero em adaptação pode originar uma cólica na parte inferior do abdômen.

Segundo trismestre

No te puedes perder ...

Reducaçao postural na gravidez

Reducaçao postural na gravidez

O corpo de uma mulher grávida muda muito rapidamente, a lordose fisiológica (curvatura anormal da espinha dorsal) da parte inferior das costas torna-se uma hiperlordose durante a gravidez devido à posição que a mulher tende a tomar. O aumento do intestino produz um deslocamento anterior do eixo de gravidade do corpo, o que faz com que ele seja compensado por meio de um aumento da base de sustentação (separação dos pés) trazendo os ombros para trás e a cabeça para a frente.

As dores abdominais nesta fase têm a ver com o crescimento do útero. O segundo trimestre é a fase que a barriga cresce em menos tempo e em uma velocidade maior. A distenção e estiramento dos ligamentos e músculos faz com que essa área sofra.

Na metade da gravidez é comum sentir contrações uterinas esporádicas, irregulares e pouco intensas, que se acentuará a medida que avança a gestação. Se quando você se movimentar, desaparecerem ou atenuarem, provavelmente se trata das chamadas contrações de Braxton Hicks, ou falsas contrações. Se  você sente essas dores, não se desespere. Elas não anunciam o parto. Não se sabe muito bem as razões por que acontecem, talvez é um “ensaio” do corpo para o que está por vir, mas tente relaxar e mudar sua postura.

Terceiro Trimestre

Na reta final os ligamentos e articulações se relaxam cada vez mais para permitir o parto, que já está próximo. É frequente sentir dor na zona da pelvis, que se extente até a bexiga, estômago, o reto...e fica mais intenso quando a grávida anda ou fica de pé.

Além disso,  não é raro que ao longo de toda a gravidez você experimente outras indisposições que te cause dor abdomnial. Estes são devido ao relaxamento do sistema digestivo que torna a digestão mais lenta. As consequências são barriga inchada , aerofagia , prisão de ventre , azia ... Azia é geralmente mais comum no terceiro trimestre, quando o tamanho do feto é considerável e pressionar os órgãos digestivos causando regurgitação ácida.

O mais recomendável para não sofrer com esses incômodos é evitar que apareçam. A prática regular de exercício físico é uma boa maneira de controlar a prisão de frente e os gases. Para combater a acidez retire as comidas gordurosas, que fermentam, os alimentos picantes, etc. Também, é aconselhável adotar posturas que não favoreçam o refluxo gástrico, como deitar-se depois de comer.

Quando é preciso ficar alerta

Em todos os casos em todos os trimestres a dor deveria ser suportável, se não for, e a dor for muito forte, aguda, constante ou se apresente em forma de punções ou cólicas deve procurar um médico imediatamente , especialmente se acompanhada de sangramento , febre, tonturas , calafrios ... Porque pode ser um sintoma de complicações graves, tais como gravidez ectópica ou parto prematuro.



0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×
*/?>