Desconfortos típicos da gravidez

Partillhar

Estar grávida pode ser um dos momentos mais bonitos da tua vida; muitas mulheres definem-no como uma prenda, mas provavelmente porque na sua vez não vinham incluídos outros extras: náuseas, vómitos, dores de cabeça, varizes, etc. Talvez possas sentir algum ou todos os males menores da gravidez (chamados assim seguramente por alguém que nunca viveu uma gravidez). Descubra quais são os mais comuns e o que fazer para preveni-los ou minimizar a sua aparição.

Náuseas

As náuseas podem aparecer em qualquer momento do dia, embora possam ser mais comuns ao levantar-se e entre a 5ª e a 12ª semana, se bem que existem mulheres que padecem deste problema durante os 9 meses.

 

São mais frequentes ao conjugarem-se com o estômago vazio, de modo que antes de levantar-se da cama deve comer algo ligeiro. O mais recomendado é comer pequenas quantidades de alimentos com hidratos de carbono fáceis de digerir. O gengibre também pode ser um grande aliado!

 

Prisão de ventre e ardores no estômago

À medida que a tua gravidez avança, o seu aparelho digestivo irá ressentir-se em repetidas ocasiões. Os ardores de estômago e a prisão de ventre estarão presentes ao longo da gestação. Isto deve-se ao facto de certas hormonas da gravidez diminuírem a actividade intestinal, o que causa prisão de ventre. A melhor maneira de prevenir este problema é ingerindo alimentos ricos em fibra. Beba muitos líquidos e faça exercício físico, isto estimula a actividade do aparelho digestivo.

No te puedes perder ...

Doenças primaveris: alergias, conjuntivites, varicela, asma

Doenças primaveris: alergias, conjuntivites, varicela, asma

O aumento do pólen que circula no ar, o pó e outros resíduos ambientais fazem com que aumente a asma, a varicela e outras doenças muito comuns entre as crianças. Como prevenir é melhor que curar, siga os conselhos que lhe vamos dar para que não passe toda a Primavera dependente da saúde do seu filho.

As hormonas e a pressão do feto são, uma vez mais, os responsáveis pela acidez no estômago. Tente aliviar este desconforto ingerindo poucas quantidades de alimentos várias vezes ao dia e abstenha-se de alimentos gordos, picantes e ácidos. Não se deite depois de comer, pois pode estimular o refluxo dos ácidos. Pelo contrário, caminhar vai ajudá-la a melhorar a digestão. Quando tiver acidez de estômago, sente-se direita e mastigue uma bolacha salgada para neutralizar o ácido.

Hemorróidas

São causadas pelo peso do útero e agravadas pela prisão de ventre comum e frequente neste estado. Para além disso, infelizmente não têm tendência a desaparecer, corre ainda o perigo de que aumentem durante o parto. Para evitar este sofrimento silencioso combata a prisão de ventre comendo muita fibra, verduras, frutas, pão de centeio, cereais, etc., e bebendo sumos naturais de fruta. Deixe de comer alimentos picantes e para a higiene íntima escolha produtos sem sabão.

Picadas

Durante a gravidez o volume do seu corpo aumentará notavelmente e a sua pele não vai ficar atrás. Esta estica-se com o seu corpo, podendo provocar picadas na epiderme. Para acalmar este desconforto hidrate bem a sua pele com creme ou com loções específicas. Se as picadas forem fortes, consulte o seu médico porque pode tratar-se de alguma patologia.

Cãibras nocturnas

Não se sabe a ciência que provoca as cãibras. Quem sabe se não está relacionado com o nível de cálcio ou de magnésio ou à fadiga unida à retenção de líquidos ou que se deva à lentidão da circulação sanguínea; o certo é que as cãibras, principalmente nocturnas e sobretudo nas extremidades inferiores, são relativamente frequentes no terceiro trimestre. Para preveni-las evite estar sentada durante muito tempo e realize movimentos suaves. Os esforços muito violentos podem desencadear contracções musculares. Para acalmar a dor, apoie o pé no chão e ande descalça, com a continuação massaje o músculo afectado.

Inchaço

A retenção de líquidos pode fazer com que as suas mãos e os seus pés inchem. Beber muita água não irá favorecer o facto de reter mais líquidos, antes pelo contrário. Desta forma, procure beber pelo menos 6 copos de água por dia. Para diminuir o inchaço, eleve as mãos acima da cabeça e descanse com os pés ao alto. Os peitos também vão inchar consideravelmente, e podem chegar a doer ou a incomodar. A partir do quarto mês este inchaço pode diminuir. Utilize soutiens adequados que mantenham o peito no sítio até ao final da gravidez.

Dores nas costas

Durante o percurso da sua gravidez, a sua barriga não parará de crescer e a partir do quinto mês, o aumento de peso proporcionará, inevitavelmente, alterações na sua coluna vertebral e no seu centro de gravidade, o que pode desequilibrar o seu corpo causando dores de costas. Tente ajustar a sua postura para que reparta o peso equitativamente quando caminha ou está parada. Tente não estar de pé durante muito tempo. Quando estiver sentada apoie as costas e assegure-se de que os seus pés estão elevados de tal forma que os joelhos estão à altura da cadeira. Um pouco de exercício também pode ajudar.

Insónias

As insónias também são frequentes durante a gravidez, especialmente no último trimestre quando a barriga a impedir de encontrar uma postura cómoda na cama. Se tem problemas para dormir, estabeleça uma rotina para relaxar: lave bem a cara e o pescoço, faça uma massagem na testa, tome um banho relaxante, hidrate bem o corpo e beba um copo de leite quente antes de ir dormir, o seu corpo libertará triptofano, um aminoácido que a ajudará a conciliar o sono.

Varizes e estrias

Uma das possíveis consequências das alterações hormonais é a distensão que sofrem o abdómen e o peito durante a gravidez, formando-se as anti-estéticas estrias. O melhor é que não apareçam, para isso deve cuidar da sua alimentação ingerindo alimentos ricos em vitamina A e C. Manter a pele limpa e hidratada com cremes específicas anti-estrias pode ajudar a prevenir a sua aparição. Tenha em conta que as estrias não desaparecem depois do parto.

As varizes são veias inchadas que aparecem à superfície da pele das pernas. Se na sua família existem antecedentes ou se tem peso a mais terá mais probabilidades de padecer deste problema. Embora diminuam de tamanho depois do parto, não desaparecem por completo. Desta forma, para impedir que surja a primeira, tente não estar de pé ou sentada muito tempo. As medidas de compressão também podem ajudá-la.

Dores de cabeça

As alterações hormonais podem causar cefaleias. Como durante a gravidez a lista de medicamentos se restringe consideravelmente, deverá procurar remédios alternativos e, sobretudo, prevenir as situações que provocam as dores. Não permaneça demasiado tempo em lugares muito quentes e sem ventilação. O cansaço e a fome também podem ser propícios a uma terrível enxaqueca. Coma com frequência e em pequenas quantidades. Quem sabe se não é um bom momento para experimentar técnicas de relaxamento como o yoga ou a meditação.

Aumento do fluxo vaginal

A partir do momento em que fica grávida, é possível que note secreções vaginais mais frequentes. É normal, sempre que o fluxo seja pouco denso, transparente ou esbranquiçado. A roupa interior de algodão é a melhor opção nestes casos. Pode utilizar também pensos diários para se sentir mais confortável e fresca. Os pensos devem permitir a transpiração para não ocorrer o risco de uma infecção provocada por fungos. Se sentir picadas e se a secreção for espessa e cheirar mal, vá o seu médico.

Golpes de calor

Para combater estes golpes de calor, em especial se tem tendência para transpirar, utilize roupa de algodão e beba muita água para compensar a perda de líquidos.

Incontinência

As perdas de urina podem advir como consequência de um esforço físico, de um simples susto ou ataque de riso. A incontinência afecta sobretudo as mulheres que já tiveram partos anteriores. Cujos músculos estão menos tonificados. Os exercícios de Kegel (contracção dos músculos do solo pélvico) podem ter grande utilidade. Para além disso, também servem como preparação para o parto. Urine quando sentir necessidade e incline-se para a frente para se assegurar de que a bexiga fica vazia, e assim as visitas à casa de banho serão menos frequentes.



0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×
*/?>