• Buscar
Publicidad

É normal ter sangrado depois das relações sexuais quando estou grávida?

É normal ter sangrado depois das relações sexuais quando estou grávida?

O útero está muito irrigado durante a gravidez toda. Por isso, nas primeiras semanas é normal ter um leve sangrado depois de manter relações sexuais. Não te deves preocupar se esse sangrado é escasso, leve e não aparece de novo. Mesmo assim, o melhor é falar com teu médico.

Publicidade

Índice

Por que sangro depois de ter relações sexuais? 

Durante a gravidez o útero está muito mais irrigado para manter a vida do feto. Por esse motivo é habitual que depois da relação sexual o extremo do pescoço uterino sangue um pouco e produça um sinuoso sangrado por causa da fricção do pene com as paredes do útero. Geralmente esse sangrado é leve e de côr marrão, o que indica que não existe uma hemorragia ativa.
Aliás, nesses meses aumenta a quantidade sanguínea da mãe e se produz a dilatação dos vasos sanguíneos. Isso junto com o aumento dos estrogênios pode provocar uma congestão das mucosas.
Esse sangrado é mínimo e normalmente são só umas gotas que percebes na calcinha ou quando te limpas. Não se repete até ter relações sexual com penetração novamente.
É mais habitual nas primeiras semanas de gravidez, embora pode acontecer durante toda a gestação. Não é perigoso nem afeta ao feto, porém o melhor é consultar teu médico.

Esses sangrados são evitáveis?

Existem algumas posições que ajudam diminuir o risco de sangrados, por isso é bom aplicar elas quando tens esses sangados. Ficar a quatro e apoiar as mãos e os joelhos diminui a possibilidade de sangrar. De fato, qualquer posição na qual a penetração se faça desde atrás evita o sangrado.
É bom usares géis lubrificantes para que o pene entre com mais facilidade e não machuque as paredes do útero. Outra opção é optar por outras formas de relações sexuais, a penetração não é a única.

Quando te deves preocupar por um sangrado? 

Não obstante, sangrar depois de manter relações sexuais pode estar causado por outros motivos que desenvolvem um problema: 
1- Placenta prévia. Se a placenta está localizada na abertura do pescoço uterino é normal sagrar depois da penetração. Muitas mulheres têm placenta prévia nas primeira mitade de gravidez, mas quando cresce o útero a placenta se desloca longe do pescoço uterino. É recomendável não manter relações sexuais se existe placenta prévia, especialmente no terceiro trimestre de gravidez porque poderia provocar uma gravidez prematura. Nesse caso a sangue é de côr vermelha intensa e mais abundante.
2- Pólipo cervical. A existência de um pólipo na cérvix também pode fazer com que uma mulher sangre depois do sexo. Os pólipos são tumores benignos que, se se detectam na gravidez, só precisam ser tratados se têm um grande tamanho ou se causam algum problema.
3- Infeções. As infeções vaginais (como a candidíase ou a vaginose bacteriana) e as doenças de transmissão sexual (como a tricomoníase, a gonorréia, a clamídia ou o herpes), podem irritar e inflamar o pescoço uterino e produzir o sangrado com a penetração.
Nesses casos além de um sangrado intenso, vermelho e muito abundante, aparecem outros sintomas como câimbras abdominais, náuseas ou contrações. Podem estar causados por outros motivos que não sejam as relações sexuais como um aborto espontâneo ou um desprendimento de placenta. Se acontecer isso, é bom que um médico valore o problema e a causa.

É seguro manter relações sexuais durante a gravidez?

Sempre que seja uma gravidez normal, o sexo é seguro em todas as etapas.
Uma gravidez é normal quando existem um baixo risco em complicações (como aborto espontâneo ou parto prematuro). Fala com teu médico se tens certeza de estar nessa categoria.
Muitas mulheres grávidas percebem que seu desejo sexual muda durante a gravidez. Também é mais inconfortabel quando o corpo cresce. Se é teu caso, fala com teu parceiro sobre as relações sexuais e sobre a quantidade de possibilidades de satisfazer o desejo sexual.
Existem outras ocasiões onde o melhor é recomendar não ter relações sexuais durante a gravidez. Essas são, por exemplo: 
- Tiveste um acidente ou uma ameaça de aborto espontâneo.
- Tiveste um antecedente de parto prematuro ou sinais de que terás um parto prematuro.
- Tiveste sangrado, fluxo ou câimbras vaginais sem explicação.
- Tiveste perdida de líquido amniótico.
- Sofres de placenta prévia.
- Tens insuficiência de pescoço do útero. 
- Tens uma gravidez multiple. 
Se estás grávida e decides ter relações sexuais, existem várias práticas seguras na gravidez. 
- Se tens sexo oral, não é recomendável asoprar na vagina. O ar pode provocar uma obstrução de um vaso sanguíneo pela presença da bolha de ar. Pode ter risco para ti e para teu bebé.
- Não deves ter relações sexuais com uma pessoa sem conhecer seu historial sexual ou se existe a posibilidade  de uma doença de transmissão sexual (como herpes, verrugas genitais, clamídia, VIH, etc). Tua infeção pode afetar ao bebé.
- Especialistas recomendam evitar o sexo anal durante a gravidez.
Lembra que é provável que pareça inconfortabel a posição sexual habitual. Deverás procurar outro tipo de posições.

 


Glosario

Herpes

Definição:

Lesão cutânea inflamatória caracterizada pela aparição de pequenas vesículas agrupadas. Apresentam-se em duas variedades: A herpes tipo I, a mais comúm, produz lesões dolorosas à volta da boca; o herpes tipo II, o Herpes Zóster, afecta, sobretudo, adultos e é mais frequente na região genital.

Sintomas:

Aparição de aftas, perda de apetite se é tipo I.

Tratamento:

Comprimidos que têm a capacidade de diminuir notávelmente a duração dos síntomas. Também se pode aplicar uma pomada.

Goetzl, Laura (2006), Concepción y embarazo a partir de los 35, Pearson Educación.

Huggins-Cooper, Lynn (2005), Maravillosamente embarazada, Madrid, Ed, Nowtilus.

Fecha de actualización: 07-10-2020

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×