Não sabe o que oferecer aos seus filhos este Natal? Nós damos-lhe uma ajuda!

Não sabe o que oferecer aos seus filhos este Natal? Nós damos-lhe uma ajuda!
Partillhar

O Natal está a chegar e com ele chega também o típico consumismo da época. Mas o que é certo é que, quem pode, já não passa sem uma prenda debaixo da árvore para os mais pequenos da família.

As festas natalícias tornam-se radiantes quando se tem crianças na família, mas para que não caia no exagero do consumismo e para que compre algo que seja mesmo necessário e importante para os seus filhos, o TodoPapas deixa-lhe aqui algumas sugestões que podem ser úteis na hora de ir às compras de Natal.

Uma das coisas que deve fazer é ver bem aquilo que a criança já tem e que determinado brinquedo lhe poderia ser útil no desenvolvimento de algumas habilidades (não compre apenas porque está na moda ou porque é giro). Fique a saber qual é o tipo de brinquedos ideais para cada idade:

Desde o nascimento até aos 6 meses

Brinquedos

A capacidade manipulativa dos bebés é limitada, de modo que se relacionam com o mundo através da vista, ouvido e tacto. Gostam de ver as caras próximas e preferem os objectos móveis, sonoros e de cores vivas. Rodeie o seu filho de um ambiente adequado, ponha cortinados com estampados vistosos.

Brinquedos móveis: as coisas que se movem despertam-lhe a atenção. Pendure brinquedos móveis próximo do bebé, para que os veja. Alguns modelos têm peças de substituição para variar a composição.

Mordedores e brinquedos de apertar: anéis ou outras formas de borracha, fáceis de agarrar e que podem ser levados à boca.

Bolas e brinquedos moles: os mais adequados são os mais simples e de textura variada.

Fotografias plastificadas e espelho de bebé: colados nos lados do berço, para que a criança os veja.

Guizos, campainhas, brinquedos sonoros: brinquedos que emitem sons ao puxar, agitar, apertar, chupar ou tocar.


Crianças dos 7 aos 12 meses

Brinquedos

Nesta idade o bebé recorda conceitos simples, identifica as partes do seu corpo e as pessoas que vê com frequência. Entusiasma-se com os objectos, estuda-os ao metê-los e tirá-los de uma caixa, procura-os se estão escondidos. Imita sons e já no fim desde período, está quase a andar. Os brinquedos ideais, entre outros, para este período são:

No te puedes perder ...

Problemas com a amamentação?

Problemas com a amamentação?

Dar peito, para as mulheres que são mães pela primeira vez, é um grande mistério difícil de enfrentar, para além disso, se não o souber fazer correctamente vai pensar que o bebé não está a ser alimentado adequadamente. Saber qual é a melhor posição, a quantidade, o que deve comer ou não, o que fazer quando voltar ao trabalho … são muitas as inquietações que rodeiam este tema, no entanto, existe uma solução para todas elas.


Sempre-em-pé sonoros: podem ser colocados na mesa onde come ou próximos da sua cadeirinha para que os manipule.

Bolas: são aptas as duras ou moles, de tamanho adequado.

Brinquedos com rodas: carros, autocarros ou animais que se desloquem sobre rodas grandes de plástico ou borracha.

Livros de tecido ou plástico: com ilustrações grandes e simples, de tamanho adequado de forma a ser agarrados, sacudidos ou mordidos.

Cubos grandes e moles: com eles pode jogar, construir coisas e até comprimi-los e lançá-los.

Bonecos de peluche: devem estar bem confeccionados e feitos de uma única peça.

Recipientes, taças e brinquedos que flutuem: para brincar na água, por exemplo, ao tomar banho.


Crianças dos 12 aos 18 meses

Brinquedos

Nesta etapa a criança anda, segue os adultos para todas as partes e imita-os.  Já adquiriu uma certa destreza manual e desfruta manipulando objectos que ampliem a sua prática. Além disso, já diz várias palavras e compreende certas ideias e, por isso, gosta que lhe contem histórias.

Livros: os melhores são os que têm ilustrações, de texturas variadas para tocar e proporcionar sensações.

Brinquedos e caixas musicais:   interessam-lhe muito os que fazem ruído ao moverem-se.

Veículos: já pode manejar veículos mais sofisticados do que os da etapa anterior, de madeira ou borracha.

Agora é só escolher aquilo que melhor se adapta ao caso das suas crianças. Todos sabemos que quando as crianças são um pouco mais crescidas é difícil fazer frente aos anúncios de brinquedos que invadem as televisões e as revistas. Dessa forma, lembre-se sempre que não deve comprar um brinquedo porque está na moda ou porque é um mero “passatempo”, mas sim porque irá ser um verdadeiro instrumento de estimulação e de desenvolvimento para a criança.

Apesar de tudo isto, também sabemos que para algumas crianças esta é uma realidade muito distante. Não só agora, mas durante o ano inteiro existem crianças e famílias que não têm qualquer possibilidade de comprar brinquedos e, por vezes, até comida e que acabam por viver da generosidade dos outros.

Por isso, e se o seu filho já o perceber, não perca a oportunidade de lhe incutir este pequeno mas tão importante gesto: a generosidade. No Natal são várias as instituições que organizam campanhas de ajuda de géneros alimentares, de roupa, de brinquedos, entre outras coisas. De certeza que perto de si existe alguém que precisa de ser ajudado. Fique atenta a estas campanhas que fazem toda a diferença.

Pode não ser fácil mostrar ao seu filho que partilhar é uma boa ideia, mas, acima de tudo, a forma de actuar dos pais requer muita paciência para transmitir importantes valores às crianças de hoje, que serão os homens de amanhã, aqueles que poderão viver num mundo melhor se agora lhes incutirmos ideias tão primordiais como a solidariedade.

 

 

 

Por: Patrícia Santos



Fecha de actualización: 27-11-2010

Redacción: Irene García

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

×


×
×
×
*/?>