×
  • Buscar
Publicidad

Os substitutos da nicotina podem prejudicar o feto

Os substitutos da nicotina podem prejudicar o feto

As mulheres que decidem deixar de fumar durante a gravidez devem saber que não é aconselhável o uso de substitutos da nicotina.

 

Publicidade

No te puedes perder ...

Doenças primaveris: alergias, conjuntivites, varicela, asma

Doenças primaveris: alergias, conjuntivites, varicela, asma

O aumento do pólen que circula no ar, o pó e outros resíduos ambientais fazem com que aumente a asma, a varicela e outras doenças muito comuns entre as crianças. Como prevenir é melhor que curar, siga os conselhos que lhe vamos dar para que não passe toda a Primavera dependente da saúde do seu filho.

Y tambien:

As mulheres que decidem deixar de fumar durante a gravidez devem saber que não é aconselhável o uso de substitutos da nicotina (pastilhas, inaladores, etc.) para tornar mais fácil a adaptação, pelo menos durante as 12 primeiras semanas de gestação. De acordo com os resultados de uma investigação espanhola, estes produtos aumentam ligeiramente o risco de que o feto sofra de problemas congénitos (como o lábio leporino ou más-formações do sistema digestivo ou circulatório e musculo esqueléticas). O estudo procede de análises sobre o consumo do tabaco de cerca de 20 mil fumadoras e mais de 50 mil que não fumavam e foi levado a cabo por uma equipa da Universidade de Valência e que publica a revista Obstetrics and Ginecology. Os investigadores observaram uma taxa elevada de defeitos congénitos entre os bebés de mães não fumadoras mas que utilizavam substitutos de nicotina no início da gravidez, comparados com os das não fumadoras que não que não utilizaram substitutos de nicotina. Esta diferença atribui-se ao facto da nicotina destes produtos poder ser absorvida de forma diferente à do cigarro e assim favorecer concentrações mais elevadas desta substância com efeito tóxico.


Fecha de actualización: 10-01-2006

Redacción: Irene García

Publicidade

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica. Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso. Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.