Super avós do século XXI

Super avós do século XXI
Partillhar

Nas sociedades modernas a figura do avô tornou-se mais imprescindível que nunca. Os mais velhos encontram no crescimento dos seus netos uma nova etapa na qual podem desempenhar um papel essencial de amigos, confidentes, transmissores do passado e algumas vezes de autênticos educadores.

A “profissão” de avô

Actualmente, tanto o avô como a avó têm um papel preponderante e quase imprescindível no desenvolvimento da criança. São a cara do carinho, da ternura, da cumplicidade e do amor incondicional.

“Quando os meus netos nasceram foi quando começou o meu declive como mulher e que me direccionei para eles”, explica-nos Marisa Viñes, um claro exemplo de uma avó moderna.

Pais e avós

Muitas vezes os conflitos surgem entre pais e avós em relação à educação dos netos. Os primeiros podem cair no erro de pensar que os avós não podem tomar nenhum tipo de decisão na educação dos filhos. Os segundos podem chegar a um abuso da responsabilidade sobre os pequenos. Aqui lhe deixamos algumas regras para que possa tirar o maior proveito da relação com os mais velhos:

A nova imagem do pai

A nova imagem do pai

Até há bem pouco tempo o pai representava a figura da autoridade na família: a sua presença afectiva não era considerada indispensável nem necessária na educação das crianças. Hoje em dia, sabemos que o pai exerce uma influência muito positiva na formação da personalidade do filho, desde a sua mais tenra idade.

- Limite as horas das refeições e os horários de sono para evitar equívocos.

- Explique-lhes como devem preparar os alimentos, faça-lhes uma lista do que as crianças podem ou não comer, dê-lhes o volume dos biberões e explique como lavá-los e esterilizá-los.

- Faculte-lhes uma lista com todos os telefones de interesse, não só os dos pais mas também do pediatra e das emergências.

- Seja compreensiva, os avós são os primeiros a querer ajudar mas, por vezes, não sabem como.

- Apesar de ouvir muitas vezes “no meu tempo … “, não pense que as ideias são ridículas. Muitas dessas ideias fazem todo o sentido actualmente.

- E lembre-se: a função de educar os netos é por conta dos pais. O papel dos avós é dar carinho, ternura e confiança aos seus netos.

Escravos do século XXI

A sobrecarga familiar à qual chegam a estar expostas muitas avós, e alguns avós, é a outra cara deste fenómeno. O papel dos avos, em circunstancias normais, deve ser o de transmissor da memoria familiar e da experiencia, complementando os pais na educação dos seus filhos. Assumir responsabilidades excessivas por parte dos avós pode levar a consequências como quadros de stress, cansaço e, inclusivo, um maior risco de sofrerem um enfarte. Os pais devem ser conscientes das limitações na hora de pedir ajuda aos avós.
 

As alterações sociais, como a incorporação da mulher no mundo laboral ou as relações à distância, fazem com que muitas vezes se abuse da responsabilidade dos avós. Isto apesar de, como explica o advogado Antonio Acevedo, especialista no campo das relações familiares entre netos e avós, “a participação dos mais velhos no crescimento dos netos tornou-se, actualmente, mais indispensável do que nunca”.

Onde está o meu neto?

Antonio Acebedo é um advogado especialista em temas de custódia por parte dos avós. Na sua opinião, “a função de transmissão de raízes por parte dos avós é algo muito importante, sobretudo, pela quantidade de divórcios e separações que acontecem nos dias de hoje. Os avós são um ponto de referência fixo na unidade familiar, embora esta tenha sido alterada por uma ruptura matrimonial e por qualquer outra circunstância”.

Para Acevedo, “cortar o vínculo entre netos e avós seria negar o amor, uma ternura e carinho fundamental para as crianças”.

No entanto, nem todos os avós podem desfrutar do crescimento dos netos. António Acevedo explica como todos os dias chegam ao seu escritório “avós a chorar porque não podem ver os seus netos”. Estas pessoas procuram-me, pois existem leis que permitem que os avós vejam os netos”.

A defesa do direito de visitas dos avos aos netos surge por uma experiencia própria de Antonio Acevedo, “tinha uma prima que faleceu muito jovem, tinha uma filha. Pouco tempo depois o pai da criança disse que se ia embora com a menina e que não queria voltar a vê-los”.

Depois de um complicado processo legal, Acevedo conseguiu um regime de visitas para esses avos assente no despacho onde está explícito que os avós têm direito a ver os seus netos.

A pouco e pouco a sociedade e a lei vão dando esse tão merecido apoio aos avós. O papel da terceira idade dentro da família é um verdadeiro suporte emocional, são transmissores da unidade familiar e do modelo de envelhecimento nas sociedades modernas.

Avós com ordenado

Nos Estados Unidos é muito normal que os avós recebem algum tipo de retribuição económica por cuidarem dos netos. Tanto assim é que os avos podem ter um seguro sobre este “trabalho” para evitar possíveis reclamações e pedidos dos pais.

Avós nos contos

A família dos avos está presente no dia-a-dia das nossas famílias, mas não só. Os contos infantis também nos oferecem um claro exemplo da sensibilidade e do carinho que oferecem aos pequenos: a avó do Capuchinho Vermelho ou a avozinha da Heidi encarnam esses valores de dedicação, entrega e amor dos mais velhos.


0 Comentários

Escreva o seu comentário

iniciar sessão inscrição
×


×
×
×