Entrevista a Isabel Leal, autora do livro "Meditação para Crianças"

Entrevista a Isabel Leal, autora do livro
compart

"Se a criança não receber a devida atenção, em geral, quando adulta, tem dificuldade de amar seus semelhantes." (Dalai Lama). É assim que Isabel Leal, autora de vários livros sobre e para crianças, inicia a apresentação da sua página na Internet. O TodoPapas não podia perder a oportunidade de entrevistar esta escritora, professor e acima de tudo uma grande defensora de que, essencialmente, somos todos um Ser Espiritual. “Meditação para crianças” é o mais recente livro da autora que mostra que esta é a verdadeira disciplina para trazer paz aos mais novos. Como a própria diz “Deixe-se contagiar …”

"Se a criança não receber a devida atenção, em geral, quando adulta, tem dificuldade de amar seus semelhantes." (Dalai Lama). É assim que Isabel Leal, autora de vários livros sobre e para crianças, inicia a apresentação da sua página na Internet. O TodoPapas não podia perder a oportunidade de entrevistar esta escritora, professor e acima de tudo uma grande defensora de que, essencialmente, somos todos um Ser Espiritual. “Meditação para crianças” é o mais recente livro da autora que mostra que esta é a verdadeira disciplina para trazer paz aos mais novos. Como a própria diz “Deixe-se contagiar …”

TodoPapas: Isabel, depois de se ler o seu perfil percebe-se que é uma pessoa que viajou muito e que conheceu diversas culturas. De que forma é que esses “conhecimentos” que foi adquirindo contribuíram para que escrevesse sobre e para crianças?

Isabel: Efectivamente sempre tive o gosto pelas viagens e comecei a viajar muito cedo. Mais tarde tive a sorte de trabalhar numa companhia aérea e por isso continuar a visitar imensos países lindíssimos, a perceber outras culturas e formas de estar. Encontrei em outros países o interesse e a prática para levar ao mundo da criança e sua família o bem-estar. Por este motivo e por achar que todas as crianças merecem ser felizes e estar bem ou pelo menos o melhor possível, decidi estudar e trazer para Portugal algumas dessas matérias. Percebi que se estuda e põe em prática um conjunto muito interessante de técnicas que em paralelo com a escola visam o bem-estar da criança. Encontrei pessoas experientes, disciplinas e os resultados com cerca de 10 anos ou mais que comprovam que é possível mudar, melhorar e ajudar os mais novos quer no seio da família, na escola e em sociedade. São essas matérias que procuro espelhar no meu trabalho.

TPP: Para a Isabel o facto de se ter consciência de que somos um “Ser espiritual” é, de certa forma, o ponto de partida para se compreender e educar os mais novos. O que a leva a afirmar que seja esta a “base” de tudo?

Isabel: Muito inteligente esta pergunta. O que posso dizer-lhe é que ganhei a consciência que somos um ser energético na nossa partícula mais pequena os estudos científicos já descobriram isso. Vão descobrir que é importante estudar os 12 filamentos de DNA e não apenas 2 como está até ao momento, digo no sentido de perceber o que contêm. Temos noção sobre 10% das nossas capacidades e os restantes 90% não fazemos ideia para que servem. É importante perceber mais, estudar mais e perceber que o Ser humano é cheio de capacidades. Mais do que estudar espiritualidade (o que faz sentido pois somos um corpo habitado por uma alma), é importante estudar desenvolvimento pessoal ou descoberta pessoal, perceber quais as nossas reais capacidades e características. Desta forma podemos compreender melhor os mais pequenos e os grandes a uma outra luz e com outra eficácia.

TPP: Como continuação do seu trabalho escreveu vários livros, entre eles está o “Meditação para Crianças”. O que é que este livro, que é o mais recente, tem de diferente dos anteriores?

Isabel: O livro “Meditação para crianças” é o meu terceiro livro. Em conjunto com os dois anteriores “Crianças de um novo mundo” procura trazer as famílias portuguesas um novo olhar sobre o dia-a-dia das crianças e suas capacidades. Todos tentam oferecer soluções e abrir as consciências. Este terceiro livro é um livro prático. Feito em linguagem muito simples o livro destina-se aos adultos e o cd com meditações guiadas e musicoterapia aos mais pequenos. Pode ser utilizado em casa, no carro e na escola. Tem sido felizmente um grande sucesso uma vez que é um livro simples de leitura fácil e com uma ferramenta valiosa, o cd.

 

TPP: Sendo a meditação uma das técnicas mais simples das terapias complementares, de que forma é que pode ser o ponto de partida para que, no caso das crianças, estas tenham uma vida melhor e mais estável?

Isabel: A meditação é uma das disciplinas mais simples. Muito popular e eficaz no ambiente infantil é utilizada por pais e professores. As regras básicas desta disciplina são a postura, a respiração e a criatividade. As meditações guiadas são momentos musicais e criativos que transportam as crianças para mundos positivos e confortáveis. Trabalham a auto-estima e a postura positiva na criança. Crianças que conhecem melhor as suas capacidades e que gostam de si mesmas são crianças bem sucedidas na escola e na vida. É necessário uma enorme entrega e disciplina pessoal por parte do professor de meditação para crianças, uma vez que estas seguem os exemplos a que assistem.

TPP: A Isabel chega mesmo a dizer que os pais ou educadores podem e devem utilizar a meditação como uma ferramenta para substituir os castigos. Isto pode parecer um pouco estranho, mas é verdade que funciona? De que forma?

Isabel: Na verdade eu acredito que ninguém aprende coisa alguma pela negativa. Sempre achei que se ensina de forma diplomática, construtiva e serena para que a mensagem seja aceite e interiorizada. Grandes e pequenos merecem estes métodos. A meditação é uma disciplina que procura o autoconhecimento e o cultivo da paz. Aos poucos e com a prática diária leva os mais pequenos a novos patamares de segurança e tranquilidade e por isso menos tendência aos distúrbios. Acredito que os mais pequenos são muitas vezes reflexo dos mais velhos que com eles convivem ou vivem. As crianças reflectem o seu descontentamento por mau comportamento ou agressividade quando não sabem comunicar de outra forma. Em pequenino é fácil ter medo de manifestar a sua verdade por medo de excessiva autoridade dos pais ou por medo de perder o seu amor. Pelos motivos apresentados a Meditação é uma excelente ferramenta para grandes e pequenos.

TPP: Existe um pouco a ideia generalizada de que para se meditar tem de se estar num ambiente calmo, com poucas pessoas, etc. No entanto, no seu livro a Isabel apresenta técnicas de meditação possíveis de serem praticadas em escolas, centros de estudo, em casa e noutros espaços semelhantes. Que conselhos pode dar para que um momento de meditação num espaço como estes possa ter o sucesso pretendido?

Isabel: Na verdade meditar num local, ou zona com energia especial é benéfico e ajuda imenso. Existem pontos específicos no planeta terra onde a energia que emerge do seu centro é mais forte e tal pode ser sentido pelo ser humano. Existem ainda locais onde a pratica de meditação e oração é uma constante e por esse motivo a energia presente no local é também forte. Ajuda meditar nestes locais. No entanto, a grande lição da meditação é a viagem interna que se faz independentemente do exterior onde o adulto ou a criança se encontra. Esta é uma das alíneas principais da disciplina Meditação. Assim, meditar na escola, no carro ou em casa é possível. A música e o ambiente proporcionam que a criança se entregue ao momento de meditação.

TPP: A inquietude, a brincadeira, o correr, o saltar … são tudo coisas que fazem parte das crianças. Com tudo isto de certeza que não deve ser fácil fazer com que as crianças meditem. Vale a pena realizar uma sessão de meditação mesmo que seja por curtos períodos de tempo, quase que por brincadeira? Será que conseguem atingir os mesmos objectivos e a mesma paz interior?

Isabel: Na verdade as crianças têm uma natureza de descoberta e irrequietude que faz parte dessa natureza e que é muito gira e saudável. Meditar com crianças deve ter a envolvente de momentos criativos, ou seja, os momentos meditativos devem ser levados sempre a sério, mas devem ser por curtos períodos de tempo e com momentos criativos intercalares. As meditações podem ter de 2 a 4 minutos não mais, por cada meditação uma vez que as crianças tem um tempo de concentração e predisposição para fazer os exercícios meditativos mais curto que o nosso. A zona criativa será uma extensão da meditação se for feita em silêncio e concentração. Existe ainda a meditação a andar, ou a fazer uma obra criativa. O foco deve ser mantido no trabalho e na respirar. As crianças são muito inteligentes e percebem os exercícios muito rapidamente. Com o tempo habituam-se a perceber o quanto bem-estar recebem e tomam a iniciativa de fazer meditação sozinhas. É melhor meditar todos os dias com as crianças uns minutos apenas, em lugar de esperar muito tempo de meditação e uma vez por mês.

Isabel, desejamos-lhe o maior sucesso e felicidades!

Por: Patrícia Santos

Artigos relacionados

Niña comiendo

A alimentação das crianças na escola

São milhares as crianças na idade escolar que utilizam os serviços do refeitório. Por isso, este deve servir como marco educativo para que as novas gerações aprendam e adquiram hábitos de vida e atitudes...

Meditação para crianças

Meditação para crianças

“Meditação para crianças” é o mais recente livro de Isabel Leal que, para além de escritora, é professora de Meditação e de Reiki...

0 Comentários

Escreva o seu comentário

Para comentar este artigo você deve iniciar sessão sua conta ou inscrição.

Nós usamos cookies para melhorar a qualidade do serviço , medir a audiência e oferecer publicidade que podem ser de interesse . Se você continuar a navegar entendemos que você aceitar a nossa Política de Cookies.